Carros

BMW F 800 GS ganha controle de tração e ABS sem encarecer

Mario Villaescusa/Infomoto
Apesar das atualizações estéticas e eletrônicas, novo modelo mantém o preço da anterior: R$ 42.900 Imagem: Mario Villaescusa/Infomoto

Roberto Brandão Filho

Da Infomoto

Moto mais vendida pela BMW no Brasil, a F 800 GS, montada por sistema de CKD na fábrica da Dafra, em Manaus (AM), chegou com novidades para a linha 2013. O modelo trail da marca sofreu alterações estéticas e ganhou novos equipamentos eletrônicos, como freios ABS, aquecedor de manoplas e controle de tração de série. Tudo isso para se manter na liderança da categoria que mais cresce, não só no Brasil, mas em todo o mundo: a de bigtrails.

Só por aqui foram vendidas 2.429 unidades em 2012. Apesar das atualizações, o novo modelo mantém o preço da anterior: R$ 42.900.

Quando ouvimos falar da família GS da BMW, logo pensamos em aventura. Não é à toa: desde 1980 a fabricante constrói motos dessa linhagem, com suspensões de maior curso e posição de condução ereta, focadas para a pilotagem dentro e fora da estrada. Essa característica vem do próprio nome GS, que, segundo a marca, significa Gelände Straße (on/off-road em alemão).

A série conquistou notoriedade ao vencer a prova mais difícil de rali do mundo, o Paris-Dakar, apenas um ano depois de seu lançamento, em 1981. A partir daí seu sucesso só aumentou.

VISUAL RENOVADO
Com o mercado de motos premium em franco crescimento e, principalmente, motivado pelo lançamento mundial da Triumph Tiger 800, a BMW se sentiu na obrigação de renovar seu produto. Porém, seguindo a máxima "em time que está ganhando não se mexe", as atualizações foram poucas. Mas eficientes.

As aletas laterais agora são menores e têm ângulos mais incisivos, deixando o visual mais agressivo. Os defletores de ar frontais subiram alguns centímetros e estão mais próximos do para-brisa, permitindo melhor fluxo de ar. O "bico" da moto também mudou para seguir as linhas mais angulares do conjunto. As setas e a lanterna de LED receberam máscara fumê.

Além disso, os comandos de punho ficaram mais padronizados, de fácil acesso e manuseio. O acionamento das setas indicadoras, por exemplo, era feito por dois botões, um em cada punho. Agora eles estão unidos do mesmo lado, na esquerda, como na maioria das motocicletas. Outro detalhe que mudou foi o "corta-corrente", agora acionado por um botão mais convencional.

O painel de instrumentos continua o mesmo. Tem conta-giros e velocímetro analógicos e display digital com temperatura do motor, hodômetro total e parcial, indicador de marcha, nível de combustível, relógio, cronômetro e autonomia. Nem tudo é perfeito: acima de 100 km/h há certa dificuldade na visualização do velocímetro analógico.

Há ainda uma saída 12V para acessórios como um GPS. O painel conta com iluminação laranja com acendimento automático quando a luz ambiente diminui.

MOTOR E MAIS TECNOLOGIA
A F 800 GS 2013 conservou o motor de sua versão anterior, um bicilíndrico paralelo de 798 cm³ com refrigeração líquida, capaz de gerar 85 cv e 8,5 kgfm de torque. Sua força vem desde as rotações mais baixas, ou seja, tem fôlego de sobra para ultrapassagens em rodovias, sem pedir troca constante de marcha. Em local fechado, acima dos 140 km/h, o conjunto demonstrou um pouco de vibração aos pés do piloto, mas nada fora do comum para uma moto equipada com motor de dois cilindros. A caixa de câmbio de seis marchas tem encaixes justos e precisos. O acionamento da embreagem, às vezes, é até desnecessário.

Apesar de encarar cidade, rodovias e estrada de terra, a moto teve um consumo de combustível razoável: 17,9 km/l (média). Com esse número, o tanque de 16 litros aponta autonomia de 287,8 km, próximos aos 305 km declarados pela marca.

No quesito tecnologia, a motocicleta ganhou controle de tração de série (na Europa, o modelo ainda conta, como item opcional, com ajuste eletrônico de suspensão). O sistema é bem-vindo, principalmente em pisos irregulares e escorregadios. Assim que ele detecta que a motocicleta perde aderência, corta a rotação do motor e corrige praticamente sozinho a situação. Uma segurança a mais para o motociclista sem cobrança por parte da marca. Caso você opte por uma pilotagem mais off-road, recomenda-se que o controle de tração seja desligado -- justamente para que a moto não "engasgue".

BMW F 800 GS 2013
+ Motor: Bicilíndrico, DOHC, oito válvulas, 798 cm³, refrigeração líquida.
+ Potência: 85 cv a 7.500 rpm.
+ Torque: 8,5 a 5.750 rpm.
+ Câmbio: Seis  marchas.
+ Alimentação: Injeção eletrônica.
+ Dimensões: 2.320 mm x 945 mm x 1.350 mm (CxLxA).
+ Peso: 207 kg (em ordem de marcha).
+ Tanque: 16 litros.

O aumento da segurança não para por aí: discos duplos dianteiros de 300 mm são mordidos por pinça flutuante de dois pistões da Brembo e, na traseira, um disco simples de 265 mm com pinça de um pistão, também da marca italiana, dá conta conta do recado. O ótimo conjunto fica ainda melhor com os novos freios ABS, também de série. Como o controle de tração, o sistema antitravamento também pode ser desligado, ambos por meio de um botão no punho esquerdo.

CICLÍSTICA E VERSATILIDADE
Uma das principais características da BMW F 800 GS é sua versatilidade. Ela roda muito bem em estradas asfaltadas e também fora delas. Isso, graças ao quadro em treliça de tubos de aço, que traz mais rigidez ao seu conjunto de suspensões e à roda dianteira, de 21 polegadas. O garfo invertido de 230 mm de curso e o monoamortecedor traseiro, de 215 mm com regulagens em retorno e pré-carga de mola, deixam o piloto mais alto, permitindo melhor visualização do tráfego.

Além disso, transpor obstáculos como valetas, buracos, lombadas, troncos e pedras é trabalho fácil. Ela pode até enganar pelo ótimo acabamento dos componentes, mas o fato é que essa trail tem espírito off-road em sua construção. Deixá-la ainda mais pronta para encarar a terra é fácil: o cliente pode equipá-la com protetores de mão, protetor de cárter e de motor.

Para conquistar uma legião de fãs como fez a BMW F 800 GS, uma motocicleta deve agradar uma grande variedade de consumidores. Sendo assim, a BMW oferece três opções de bancos, com alturas diferentes, além do banco standard de 880 mm. Para os mais baixinhos, 850 mm de altura. Para os mais altos, o banco Rallye, de 920 mm de distância do solo. Já para os estradeiros há uma opção Confort que, além de ficar a 895 mm do chão, ainda conta com espuma mais macia e assento em dois níveis.

MERCADO
O reinado da BMW F 800 GS foi ameaçado com o lançamento da Triumph Tiger 800. Por isso, a marca alemã se movimentou e fez atualizações em seu consagrado modelo. E conseguiu manter o mesmo preço que o modelo anterior.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Topo