Seu Automóvel

Quer comprar um usado? Veja 8 dicas para fugir de frias e do mau negócio

Fábio Mendes/Folhaporess
Loja da zona norte de SP: dicas valem para revendas independetes, concessionárias e particulares Imagem: Fábio Mendes/Folhaporess

Do UOL, em São Paulo (SP)

24/03/2017 12h23

Todos sabemos que o mercado de carros zero-quilômetros está em queda e os preços, bastante proibitivos. É por isso que muitos consumidores estão migrando para os usados.

Só que a dinâmica de negociação é diferente, pois requer paciência e conhecimento prévio sobre as artimanhas desse mercado. UOL Carros já apontou isso em outras reportagens sobre o tema.

Confira agora oito dicas baseadas em material do Cesvi (Centro de Experimentação e Segurança Viária), com complementos da redação, para fazer um negócio seguro e sem surpresas desagradáveis.

Negócio certeiro

  • Compare preços e fuja de ciladas

    A internet permite realizar buscas muito mais rápidas e aprofundadas sobre o preço médio de um determinado veículo no mercado de usados do que no passado, incluindo triagem específica por versão e ano-modelo. A Tabela Fipe é um bom ponto de partida, mas nem sempre seus valores são condizentes com o praticado no mundo real. Vale incrementar a pesquisa com dados de classificados online, por exemplo. Mas atenção: suspeite de qualquer oferta muito abaixo do padrão, pois pode indicar um automóvel avariado ou de procedência duvidosa. Leia mais

  • Verifique histórico do carro

    UOL Carros já explicou como os lojistas fazem para puxar a "ficha corrida" de um usado. Parte dessa pesquisa o comprador particular pode fazer por conta, junto ao Detran de seu Estado, desde que possua dados como numeração de chassi, placa, Renavam, etiquetas e até numeração dos vidros. Tais dados ajudam a detectar possíveis fraudes, histórico de multas, situação em relação a pagamento de impostos e até se a unidade em questão se envolveu em algum acidente. Leia mais

  • Carro é de loja? Exija histórico

    Se a compra for feita em loja, seja revenda independente ou concessionária, o cliente tem direito a exigir o histórico detalhado do veículo, sob pena de multa e pagamento de todas as pendências financeiras em caso de descumprimento. Leia mais

  • Estado dos equipamentos

    É possível verificar se um usado está em bom estado, pelo menos por dentro, sem muitas dificuldades: estofamento dos bancos, revestimentos, carpetes, tapetes, vãos das portas e borrachas de vedação denunciam se o carro está de fato bem conservado ou até se foi danificado em uma enchente. Constatar a situação do conjunto mecânico, incluindo motor, câmbio, suspensões, possíveis vazamentos de fluidos e desgaste de peças em relação à quilometragem apontada também é importante, mas disso você já sabia. Nossa dica aqui é: não tente bancar o sabichão se não tiver real domínio sobre mecânica automotiva; peça auxílio de um mecânico. Leia mais

  • Veja o que os atuais donos dizem

    Outra dica importante é saber quais são os problemas mais frequentes apresentados pelo automóvel pretendido. Para isso a internet novamente surge como agente facilitador. Fóruns e grupos de redes sociais como o Facebook são muito valiosos, pois armazenam todo o histórico daquele modelo a partir dos relatos de seus próprios donos.

  • Teste o carro antes de bater o martelo

    Esta parece óbvia, mas tem muita gente que, na pressa, esquece de pelo menos dar uma voltinha com o carro para sentir se atende, de fato, às suas necessidades. Você pode ir além: se tiver tempo e dinheiro para isso, que tal alugar uma unidade de mesma versão e ano-modelo e ficar um dia (ou até mais) rodando com ele?

  • Particular, de lojista ou concessionário?

    Já discorreu sobre o assunto antes, embora na perspectiva de quem quer vender. O bom é que a lógica não muda muito para quem compra: direto de particular há mais flexibilidade para negociar preços e obter um negócio vantajoso a ambas as partes, visto que não haverá intermediários. Só que os riscos também aumentam, o que significa que é preciso seguir religiosamente as demais dicas desta lista e se precaver financeiramente (clique para saber mais). Numa revenda multimarca o dinheiro não será tanto problema: a questão são os cuidados já mencionados com mecânica, estado da cabine e procedência. Comprar de concessionário é o mais seguro (às vezes o carro vem até com garantia) e prático, mas também será a opção mais cara. Leia mais

  • Quero um blindado, e aí?

    O Brasil já é o país com maior número de carros blindados circulando no mundo. Com isso, é claro que o mercado de usados também será abastecido com unidades desse tipo. Contudo, como a blindagem gera mudanças na estrutura do automóvel, é preciso ter atenções extras. Clique e veja quais. Leia mais

Fonte: Cesvi Brasil

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Seu Automóvel

Topo