Carros

O que houve com os envolvidos na fraude da Volkswagen? Veja

Do UOL, em São Paulo (SP)

O escândalo das fraudes em emissões de poluentes nos motores a diesel do Grupo Volkswagen parece não ter fim. A cada dia, novos desdobramentos indicam que um dos maiores conglomerados do mundo no setor automotivo tenta agir rápido para minimizar os impactos -- calculados na casa dos bilhões de euros.

A manipulação, descoberta por acaso pelo ambientalista Peter Mock, funcionava assim: um software, instalado em modelos equipados com motores turbodiesel da família EA189, identificava quando o carro se encontrava em testes de eficiência energética e camuflava a emissão de poluentes, especialmente óxidos de nitrogênio para deixá-la de acordo com os padrões exigidos por Estados Unidos e Europa.

Quando o carro se encontrava em uso normal, contudo, as emissões alcançavam índices até 40 vezes maiores do que aqueles auferidos pelas autoridades.

Desde que o escândalo eclodiu, com abertura de processo no Departamento de Justiça dos EUA, a cúpula da Volkswagen tenta dar respostas que adiantem as investigações e agilizem o desfecho do caso. Confira abaixo algumas das consequências que o dieselgate já provocou ao grupo. 

Os envolvidos

  • Imagem: AFP
    AFP

    Martin Winterkorn, ex-CEO

    Pediu demissão e, segundo fontes da marca, pode receber até 60 milhões de euros em indenização. Porém, será processado pela Justiça alemã. Leia mais

  • Imagem: Darren Ornitz/Reuters
    Darren Ornitz/Reuters

    Michael Horn, presidente da VW EUA

    Surpreendentemente não caiu, e continua como presidente da marca nos Estados Unidos, mas agora terá de se reportar ao recém-criado cargo de CEO da Volkswagen para a América do Norte.

  • Imagem: Getty
    Getty

    Grupo Volkswagen

    Demitiu, além de Winterkorn, os chefes de Pesquisa e Desenvolvimento de Volkswagen (Heinz-Jakob Neusse), Audi (Ulrich Hackenberg) e Porsche (Wolfgang Hatz). Também se prepara para arcar com multas bilionárias nos EUA, Europa, Ásia, e já começa a enfrentar proibições na venda de veículos a diesel em países como a Suíça. Leia mais

  • Imagem: Paul Sancya/AP
    Paul Sancya/AP

    Audi e Seat

    Marcas vanguardistas do grupo ficaram enfraquecidas após escândalo: no caso da montadora alemã, são 2,1 milhões de carros envolvidos. Leia mais

  • Imagem: Reuters
    Reuters

    Porsche

    Fabricante de esportivos de luxo se fortalece no conglomerado com a ascensão do chefão Matthias Müller ao cargo de CEO geral. Leia mais

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Best Cars
AutoEstrada
Carsale
Carplace
AutoEstrada
Carpress
Carplace
Carpress
Car and Driver
Carplace
Car and Driver
Carpress
Carplace
AutoEstrada
Best Cars
Best Cars
Carsale
Carplace
Carros
Carplace
AFP
Carplace
Best Cars
Carplace
Carplace
Carplace
Best Cars
Carplace
Motos - Da Redação
Carplace
Da Redação
Carplace
Best Cars
Carpress
Carplace
Carplace
Da Redação
Da Redação
Carplace
Carpress
Carplace
AutoEstrada
MotorDream
AutoEstrada
Carpress
Carplace
Carpress
MotorDream
Carpress
Best Cars
Carplace
Topo