Topo

Carros

Carro usado: é melhor vender para loja ou para outra pessoa? Veja dicas

Reprodução
Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo (SP)

29/11/2018 14h30

Na hora de vender um carro usado é melhor negociar direto com um particular? Ou vale aproveitar as facilidades da negociação em lojas?

Na ponta do lápis, o negócio entre particulares ainda é o que garante maior lucro. Mas quem prefere vender o carro usado direto para a concessionária busca economia de tempo, facilidade em fechar negócio e, ponto importantes para muitos, para evitar contato direto com o futuro comprador, deixando tudo por conta da empresa. 

Claro, cabe a você fazer a conta final e decidir o melhor, mas deixamos dicas para ajudar na sua decisão.

Veja mais

+ Vai comprar carro usado? Faça o test-drive!

+ Veja 5 cuidados antes de comprar usado pela internet

+ Saiba o que olhar antes de comprar carro usado

+ Saiba valorizar seu usado ao vender

+ O que não fazer na revenda

+ Vender para particular ou em loja?

Faça as contas

  • Coloque tudo na ponta do lápis

    Vender para particular ainda rende negócios mais valorizados, algo entre 10% a 15%. Mas é preciso calcular também seus gastos com anúncios, tempo decorrido até a venda e até a segurança no momento da negociação. São situações e fatores que podem reduzir esse lucro inicial pela metade.

  • Considere o potencial do financiamento

    Não se esqueça de que, no Brasil, a compra financiada responde por 70% das negociações de carros usados e seminovos. Fazer a venda direta à particular elimina essa possibilidade e pode ampliar o tempo necessário para o negócio acontecer. É uma questão de quanto tempo você estar disposto a aguardar para fazer negócio.

  • Analise prós e contras das lojas

    Lojas ficam responsáveis pela negociação do seu carro a partir do momento em que o aceitam: elas vão tratar com novos clientes e resolver quaisquer problemas -- por conta disso, o valor oferecido ao dono é menor, já que envolvem taxas internas. Na negociação com particular, é você quem deve se responsabilizar pela negociação e resolução de qualquer ocorrência. Aqui, vale pesar quanto disposição você tem e de quanto estaria disposto a abrir mão no valor recebido para ter praticidade.

  • Considere taxas e juros na conta final

    Para fechar, por nossa realidade de constante instabilidade econômica é preciso ter muito cuidado para não comprometer o orçamento e, muito menos, ficar sem o carro dos seus sonhos na garagem. Considere todos os custos envolvidos em cada modalidade, incluindo aqueles que parecem irrisórios.

Fonte: Cristian Vieira, diretor da Carbraxx Seminovos

Mais Carros