Seu Automóvel

Aprenda a não fazer bobagens com câmbio manual, automatizado e automático

Divulgação
Imagem: Divulgação

Karina Craveiro

Colaboração para o UOL

08/09/2017 04h00

Transmissão manual, automatizada, automática ou CVT? Qual sua favorita? Para câmbios diferentes existem modos diferentes de condução. Você conhece todos?

No câmbio manual, por exemplo, as trocas das marchas e o controle da embreagem são feitos pelo motorista. 

No sistema automatizado (de uma embreagem), o conjunto mecânico é idêntico ao do manual, mas as trocas e o controle da embreagem são realizados por módulos eletro-hidráulicos comandados por uma central eletrônica, automaticamente. Como se um robô fizesse o trabalho de apertar o pedal e trocar a alavanca de posição para você, mas lembrando que eles ainda estariam lá.

Já nas transmissões automática convencional ou CVT, o sistema de embreagem é substituído por um conversor de torque que faz com que as marchas sejam trocadas automaticamente. No caso da CVT, as relações são continuamente variáveis, ou seja, tem "marchas infinitas" e a ausência de engrenagens. Como característica, este câmbio tem aceleração contínua, sem trancos -- em muitos casos, porém, ele pode emular marchas "virtualmente".

SIGA UOL CARROS NO YOUTUBE

+ Inscreva-se no canal: https://goo.gl/B4mHyi

+ Instagram: https://www.instagram.com/uolcarros/

Vantagens e desvantagens

Diferente do resto do mundo, brasileiros estão mais acostumados a guiar carros com câmbio manual. De acordo com pesquisa da Jato Dynamics, em 2016 60,7% dos automóveis que circulam nas ruas de nosso país utilizam esse tipo de transmissão, enquanto 34,7% eram equipados com algum câmbio sem o pedal de embreagem -- para efeito de comparação, em 2007 o número era de 91% para carros M/T e 9% para modelos A/T.

Uma das maiores vantagens das transmissões sem pedal de embreagem, tirando conforto em si, é proporcionar uma condução mais tranquila para o trem-de-força. Como se tem somente os pedais de freio e acelerador, o controle é mais simples e até mais intuitivo.

Ainda assim, existe uma recomendação básica. "O condutor não deve 'segurar' o veículo em rampas utilizando o acelerador e consequentemente a força do motor. Com o carro parado, use o freio", explica o consultor técnico da Fiat, Ricardo Dilser. Ah, nada de mudar a alavanca de "D" para "R" ou ainda para "P" com o carro em movimento. "Outro erro é acelerar e frear ao mesmo tempo para 'carregar o conversor de torque' e ter arrancadas mais fortes. O ganho de aceleração é pouco e isto irá forçar e causar aquecimento no sistema", acrescenta Gazzola.

Ainda assim, cresceu o número de automóveis com transmissão automatizada, automática e CVT. E não importa qual seja sua escolha, saiba que é preciso seguir algumas regrinhas para não cometer erros na hora de conduzir. Especialistas ouvidos por UOL Carros comentam quais são as principais gafes quando este é o assunto.

Cuidados com o câmbio manual

  • Manter o pé apoiado na embreagem

    Segundo o gerente de pesquisa e desenvolvimento da Honda, Luiz Gazzola, causa desgaste prematuro de todo o sistema de embreagem.

  • Segurar o carro em subidas com a embreagem

    De acordo com Gazzola, também causa desgaste prematuro da embreagem.

  • Manter a mão apoiada na alavanca de câmbio

    Acredite, o peso da mão força o contato dos garfos seletores com os anéis sincronizadores, acelerando o desgaste.

  • Reduções bruscas de marcha e/ou não usar a embreagem

    Pode provocar o aumento repentino de rotação do motor, podendo causar flutuação de válvulas.

  • Trocar de marcha com alta rotação e soltar a embreagem rapidamente

    Segundo o especialista, pode causar o aumento repentino de carga no sistema de transmissão, levando a fadiga e eventual quebra dos componentes.

Fonte: Jato Dynamics

Dicas com câmbios automáticos/automatizados/CVT

  • Conhecer as funções da transmissão do veículo

    Uma ótima dica, além de básica, e ler o manual do proprietário.

  • Trocas manuais

    Para alguns carros com câmbio automático, além da posição D, existem outras opções de marchas ou trocas de marchas manuais (feitas por hastes atrás do volante ou ainda na base da transmissão), que podem ser úteis em condições de ultrapassagens, serra ou estradas sinuosas.

  • Use o freio motor

    Em algumas transmissões existe o modo "L", para que seja possível aproveitar o freio motor e preservar freios.

  • Adeus pé esquerdo

    Outra dica simples e completamente eficaz é "esquecer" a perna esquerda. Em geral, há uma tendência de quem nunca dirigiu carro automático ou automatizado em procurar instintivamente o pedal da embreagem com a perna esquerda. Uma dica é manter o pé fixo sobre o apoia-pé (se o modelo tiver) ou encostá-lo mais próximo ao banco, bem longe dos pedais.

Fonte: Jato Dynamics

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Seu Automóvel

Topo