Coluna

O Motociclista

Encontrar uma moto que desperte paixões está cada vez mais difícil

Divulgação
Pequenina Yamaha FT50 de Mini-Enduro foi a primeira grande paixão do colunista Imagem: Divulgação
Divulgação
O MotociclistaRoberto Agresti

Roberto Agresti, editor da Revista da Moto! desde 1994, volta a escrever para UOL Carros. Sua estreia na imprensa automotiva foi em 1984, com passagens pelas revistas Motoshow (atual Motor Show) e Motor 3. Atualmente, é comentarista da rádio CBN/CBN MOTO e colaborador do site AutoEntusiastas desde 2011.

Colunista do UOL

21/11/2016 10h00

Grande desafio da indústria é fazer produto se destacar em meio ao aumento da concorrência

Um experiente jornalista italiano afirmava, nos corredores do recém-encerrado Salão de Milão, que mostras internacionais são excelentes lugares para se apaixonar.

Sonhar, sabemos, é grátis. Não há dúvida de que salões, seja de motos ou de carros, são verdadeiros shows cujo objetivo principal é fazer o coração dos visitantes bater mais forte. Despertar um desejo que termine na compra do ambicionado veículo.

Homens de marketing quebram a cabeça e chegam a oferecer qualidades inexistentes em uma motocicleta comum para tornar os produtos objetos do desejo. Há algumas joias raras que já nascem fazendo sucesso e acabam se vendendo sozinhas.

No meu caso, fui picado pelo vírus da motocicleta não em um salão, mas sim numa grande loja de departamentos em São Paulo. A visão de uma reluzente Yamaha Mini-Enduro, uma trail cinquentinha hoje considerada cult-bike, me enfeitiçou. Isso foi aos 12 anos.

Logo depois disso descobri outra revenda perto do parque do Ibirapuera, cheia de minimotos. Resultado: mais de 40 anos depois, o sonho e a peregrinação em busca da moto perfeita continuam.

Apesar do enorme progresso da indústria motociclística, da pluralidade de tipos, estilos, preços e tamanhos, modelos apaixonantes são raros. Ou caros. Ou ambos.

Não há à venda algo tão surpreendentemente singular, inovador e sedutor como foi a seu tempo a Yamaha Mini-Enduro. A época é outra e a captação de novos consumidores exige estratégias complexas. Uma coisa, porém, continua inalterada: a conquista de clientes fiéis exige motos que despertem paixão.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Colunas - Coluna O Motociclista
Colunas - Coluna O Motociclista
Colunas - Coluna O Motociclista
Colunas - Coluna O Motociclista
Colunas - Coluna O Motociclista
Colunas - Coluna O Motociclista
Colunas - Coluna O Motociclista
Colunas - Coluna O Motociclista
Colunas - Coluna O Motociclista
Colunas - Coluna O Motociclista
Colunas - Coluna O Motociclista
Colunas - Coluna O Motociclista
Colunas - Coluna O Motociclista
Colunas - Coluna O Motociclista
Colunas - Coluna O Motociclista
Colunas - Coluna O Motociclista
Colunas - Coluna O Motociclista
Colunas - Coluna O Motociclista
Colunas - Coluna O Motociclista
Colunas - Coluna O Motociclista
Colunas - Coluna O Motociclista
Colunas - Coluna O Motociclista
Colunas - Coluna O Motociclista
Colunas - Coluna O Motociclista
Colunas - Coluna O Motociclista
Colunas - Coluna O Motociclista
Colunas - Coluna O Motociclista
Colunas - Coluna O Motociclista
Colunas - Coluna O Motociclista
Colunas - Coluna O Motociclista
Colunas - Coluna O Motociclista
Colunas - Coluna O Motociclista
Colunas - Coluna O Motociclista
Colunas - Coluna O Motociclista
Colunas - Coluna O Motociclista
Topo