Topo

Salão de São Paulo

Caçador de carros: quais atrações eu queria ter visto no Salão do Automóvel

Siga o UOL Carros no
Felipe Carvalho

Felipe Carvalho é administrador de empresas, consultor e primeiro "caçador de carros" profissional do país. Seu canal no YouTube dedicado a avaliações de achados automotivos tem mais de 100 mil inscritos. www.youtube.com/CarrosdoPortuga

Colaboração para o UOL, em São Paulo (SP)

18/11/2018 16h17

Listei carros que fariam eu pagar o triplo do preço do ingresso para observar de pertinho

As portas do Salão do Automóvel de São Paulo se fecham ao público neste domingo, 18, após quase duas semanas de muita festa. Quem veio, viu os principais lançamentos e tendências para os próximos anos. Quem não veio, vai ter que esperar dois anos para o próximo evento para ter este mesmo nível de entrega.

Esse ano, os destaques foram carros elétricos e híbridos, além dos SUVs, atuais queridinhos do mercado. Mas faltou, para mim, um pouco mais de emoção. Ao meu ver, os fabricantes poderiam aproveitar a grandiosidade do evento para apostar em carros inusitados, daqueles que surpreendem todo mundo.

Veja mais

Salão traz cores contra o marasmo de branco, prata e preto
Cinco clássicos lindos do Salão
Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe

Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
Instagram de UOL Carros
Siga UOL Carros no Twitter

De clássicos e diferentões

Levando em conta o passado, poucos deram devida atenção a sua própria história, seja no Brasil ou no mundo. Por mais que tenhamos diversos encontros de carros antigos espalhados pelo Brasil, seria fantástico se pudéssemos ver unidades impecáveis no Salão do Automóvel, escolhidas a dedo pelos fabricantes.

Ou até mesmo aquelas peças de museu que alguns deles tem guardados em suas fábricas, seja um modelo com chassi número 1, o último que saiu da linha de produção ou até mesmo protótipos que a maioria só viu por fotos.

Já pensando no presente, também seria bem bacana se pudéssemos ver alguns modelos que não são oferecidos no Brasil. Além de matar nossa curiosidade, é uma ótima oportunidade de testarem a reação do público com novos modelos.

Mas infelizmente, boa parte dos estandes, mais pareciam extensões de seus show-rooms de concessionária, carros que podem ser vistos em qualquer dia do ano. E de graça!

Pensando nisso, listei alguns carros que fariam eu pagar o triplo do ingresso para poder vê-los ao vivo e a cores.

Chevrolet

Em novembro de 1968, exatos 50 anos atrás, foi apresentado ao público aquele que seria um dos carros mais importantes da General Motors no Brasil, o Opala. É chover no molhado falar sobre ele, até minha filha de 10 anos sabe o que é um Opala. Houve um encontro de donos no lado extrerno do SP Expo, mas como a Chevrolet não se atentou nisso para expor esse clássico em seu estande no Salão desse ano?

Além disso, esse deve ser o único Salão do mundo no qual a Chevrolet não expõe um Corvette...

Fiat

Um dos principais carros de sua história, o Fiat 500 1969 branco, foi exposto num mezanino do estande, ainda que fora de alcance. Mas aplausos para a Fiat, que levou outros dois 500 atuais, um Sport e outro X. O Sport é uma evolução daquele 500 que foi vendido até pouco tempo por aqui. Ficou elegante com os novos para-choques e novos conjuntos óticos.

Já o 500 X, é sua versão "inflada", bem maior e com duas portas a mais. Eu não tinha dúvidas que esse último faria muito sucesso por aqui, e felizmente a Fiat, decidiu, durante o Salão, vendê-lo no Brasil.

Mas também gostaria de ver outros modelos por aqui. Já que a tendência atual é a de carros com motores turbos, que tal mostrar ao público aqueles que foram os primeiros turbos nacionais? Uno Turbo e Tempra Turbo são peças importantes na nossa história e eu ainda espero vê-los num próximo Salão.

Kia

A coreana Kia tem pouco participação no nosso mercado e sua história ainda é curta. Por mais saudosista que eu seja, entendo que talvez não faça sentido expor aqueles carrinhos estranhos que foram vendidos por aqui nos anos 1990 e 2000. São peixes fora d’água perto dos moderníssimos e bem desenhados Kia da atualidade.

Ainda assim, uma famosa van da Kia revolucionou essa categoria no Brasil e poderia ter uma área de destaque, mesmo que seja apenas uma homenagem. Estou falando da Kia Besta, que polemizou com o nome mas caiu no gosto do público. Quem nunca andou numa Besta?

De qualquer forma, palmas para eles que trouxeram vários modelos que ainda não são oferecidos por aqui, incluindo a eterna promessa Kia Rio.

Jeep

Será que a FCA tem noção do quão importante foi a imagem do Jeep Grand Cherokee nos anos 1990? Esse jipão com um enorme V8 foi símbolo de status e reinou ao lado de outros poucos SUVs da época.

Mas não vou reclamar, pois estava lá um antigo Jeep Willys 1964 em lugar de destaque. Inclusive serviu de inspiração para uma série especial do Jeep Renegade, a ser oferecida em breve. Ok, aceito um Grand Cherokee 1993 no próximo Salão.

Ford

Cresci ouvindo e lendo que a Ford era referência em acabamento e refinamento no interior dos seus carros. Entro num atual Ford Ka e não consigo ter essa percepção.

Pulo para um Ford Fusion e aí sim consigo entender o que os mais velhos estavam me falando. Mas cadê o maior símbolo desse requinte que tivemos no Brasil?

Estou falando do Ford Galaxie, uma barca com mais de 5 metros de comprimento e 2 metros de largura, com dois bancos inteiriços para 6 ocupantes, com ar condicionado e câmbio automático numa época em que nem se falava nisso e com um interior de chorar.

Quantas mulheres chegaram à igreja dentro de um Galaxie? Quantas vezes você entorta a cabeça quando vê um passar na rua? Ele tinha que estar lá, girando bem no meio do Salão, com uma modelo vestida conforme a moda dos anos 1960. Seria lindo.

Volkswagen

Teve encontro de Volkswagens antigos no Salão do Automóvel 2018? Teve! Eles ficaram por lá durante os 10 dias do evento? Não...

Quem esteve no primeiro final de semana, pode ver o primeiro Gol GTi, o mesmo exporto no Salão do Automóvel de 1988. Fantástico, mas uma peça rara como essa deveria ficar todos os dias por lá.

Fora isso, sabemos que a VW tem inúmeros carros e protótipos guardados em sua fábrica de São Bernardo do Campo. Essas joias estão sendo guardadas para quem?

Siga o UOL Carros no

Audi

Muitos já viram, estampada na tela do computador ou do celular, a antiga perua S4 que foi do saudoso piloto Ayrton Senna.

Mas quantos viram esse carro ao vivo? Ele tinha que estar lá, ao lado na nova e belíssima perua RS4 vermelha. "Quer uma dessa vermelha? Olha quem teve uma parecida no passado. Ok, onde eu assino o cheque".

Toyota

Lindo o jipe Bandeirante azul exposto no fundo do estande da Toyota. Ele foi o último a sair da linha de montagem, no ano 2001, mas o visual é praticamente o mesmo de toda sua vida. Dezessete anos depois, resolveu aparecer ao lado de seus irmãos modernos.

Quanto ao Corolla, fenômeno de vendas na categoria dos sedãs médios, será que a Toyota ainda tem o chassi 001? Ficaria lindo no estande desse ano.

Mercedes-Benz

Um dos estandes mais legais, com um belíssimo AMG GT C amarelo, Smarts Forfour e lançamentos importantes, como a nova Classe A. Atrás do estande, um jipão antigo despertou a curiosidade dos mais atentos. Tratava-se do primeiro Classe G do Brasil, um 300 GD fabricado em 1981.

Tive o privilégio de conhecer melhor o carro e gravei até um vídeo para eternizar esse momento. Tomara que sigam essa linha e tragam mais modelos antigos para os próximos Salões.

Siga o UOL Carros no

Honda

Fã do Accord que sou, fui surpreendido com a nova geração que estava exposta. Uma pena que no lugar do suave V6, um moderno 4 cilindros com turbo entrou em cena.

Mas, assim como a Audi, a Honda também poderia surfar na idolatria que temos pelo Senna e ter exposto o NSX preto que o piloto brasileiro teve.

Além dele, cadê o primeiro Honda Civic fabricado no Brasil, que há pouco tempo deu as caras e apareceu em vários sites? Acho que o público ia gostar de relembrar da simples e bela 6ª geração do modelo.

Nissan

Estava lá o novo X-Trail, belo SUV que deve fazer sucesso por aqui, caso venha. Porém, a imagem da marca do Brasil não é das melhores, comparada com suas irmãs japonesas.

Qualidade não faltam em seus carros, mas muitos ainda tem medo do pós venda ruim e da desvalorização acima da média. Será que não seria interessante mostrar um pouco da tradição da marca?

Eu imagino o primeiro Pathfinder, símbolo de status nos anos 1990, ao lado do X-Trail. "É SUV que vocês querem? Temos tradição no seguimento". Já para o lados dos carros modernos, tragam o Maxima para o próximo Salão, pois Versas, Marchs, Kicks e Sentras eu vejo todos os dias.

Renault

Outra que também se atentou ao passado, mas apenas por um dia. Quem foi na última terça-feira, teve o privilégio de ver alguns Renaults antigos, alguns desconhecidos do grande público.

Seria ainda mais legal se alguns pudessem ficar todos os dias, mas ainda assim é bem melhor que nada. Quanto aos novos, eu nem sei por onde começar. Basta navegar no site da Renault na Europa para lamentar os modelos que temos por aqui.

BMW

Na única segunda-feira do evento, alguns BMW antigos foram expostos na área externa. Dos que estavam lá, me apaixonei por um M3 1989, primeira geração do lendário modelo. Esse carro tinha que estar lá dentro durante os 10 dias, ao lado de M3 e M4 atuais.

Porsche

Lindo de chorar o belo 356, primeiro carro da famosa fabricante de esportivos. Tive a honra de participar de uma live com o UOL Carros e ficar bem ao lado do modelo, que estava exposto numa área mais alta, sem acesso ao público. Incrível a beleza do carro quando visto de perto. Ele parece ter sido feito à mão.

Aplausos para a Porsche e que traga outros antigos para os próximos Salões.

Hyundai

O principal modelo da marca, o HB20, recentemente completou seis anos de produção. Eu, junto com meus amigos do UOL Carros, gravamos uma live ao lado do chassi número 001.

Como a Hyundai está comemorando o milionésimo carro produzido, porque não colocar o primeiro ao lado dele. Ao meu ver, teria sido bem legal.

Mitsubishi

No Salão de 2016, estava exposto no estande da Mitsubishi o primeiro veículo 4x4 produzido por eles. Nesse eles foram econômicos nas homenagens e optaram por expor somente os atuais modelos, inclusive os dois lançamentos, Pajero Sport e Eclipse Cross.

Um tem visual controverso e o outro carrega um nome que não merece.

O verdadeiro Eclipse foi um esportivo que fez muito sucesso por aqui nos anos 1990, mas ele não teria espaço ao lado do atual, que é um SUV. Já que é assim, poderiam expor um 3000 GT, um fantástico esportivo com motor biturbo e tração nas quatro rodas.

Subaru

Se alguém souber de um carro mais simpático que o Subaru 360, por favor, me avise. Ele foi o primeiro veículo produzido pela Subaru e provavelmente não tenha nenhum por aqui, nem mesmo nas mãos de colecionadores.

Seria uma ótima oportunidade de trazer algum de fora para mostrar para os brasileiros onde começou a história dessa respeitada fabricante de carros.

Suzuki

Todas as atenções estavam voltadas para o Jimny Sierra, a nova geração do jipinho que encara qualquer terreno ficou bem mais moderna, mas sem perder sua essência. Só por isso eu já gostei muito de visitar o estande da Suzuki, mas ficaria ainda mais feliz se pudesse ver um clássico dos anos 1990.

Poderia ser o pequeno Swift GTi, hatch com incríveis 7,9 kg/cv. Será que sabem do paradeiro daquele que foi testado pela revista 4 rodas e passou com louvor pelo teste dos 60 mil km?

Mais Salão de São Paulo