Topo

Coluna

Fernando Calmon

Fernando Calmon: veja os principais carros que chegarão no Brasil até 2022

Divulgação
Volkswagen T-Cross, que teve esboço revelado recentemente, é um dos modelos antecipados há meses nesta coluna Imagem: Divulgação
Fernando Calmon

Fernando Calmon, engenheiro, jornalista e consultor, dirigiu a revista Auto Esporte e apresentou diversos programas de TV. Escreve às terças-feiras.

Colaboração para o UOL

05/07/2018 04h00

Coluna celebra 1.000 edições e revela os planos de GM, Volkswagen, Fiat e rivais

Uma jornada e tanto. Publicada desde 5 de maio de 1999, esta coluna completa agora 1.000 edições semanais consecutivas. Para essa edição comemorativa foi feito um estudo sobre lançamentos das principais fabricantes que atuam no mercado automotivo brasileiro até 2022. Os três principais grupos -- General Motors, Volkswagen e FCA --, por exemplo, sinalizam apenas a quantidade e têm critérios diferentes sobre "novidades".

A indústria costuma apresentar gerações novas de modelos entre seis e oito anos e uma reciclagem de meia vida a cada três ou quatro anos. Segue projeção por sondagens e experiências anteriores. Sujeita, obviamente, a imprecisões por se tratar de segredos a sete chaves e planejamentos que podem mudar ao longo do percurso.

Veja mais

+ Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe
+ Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
+ Instagram de UOL Carros
+ Siga UOL Carros no Twitter

- Chevrolet: 20 produtos, 10 versões e séries

Divulgação
Imagem: Divulgação

Comecemos pela renovação de toda a linha de modelos nacionais: facelift da Spin e novas gerações (ou substitutos) de Onix, Prisma, Cobalt, Montana e S10.

Podemos incluir também os importados: Camaro cupê/conversível (facelift), Cruze hatch/sedã (facelift) e Tracker (nova geração).

Produtos inéditos: crossover derivado diretamente do Onix; SUV compacto feito a partir da plataforma GEM do Onix (abaixo do Tracker); SUV compacto-médio baseado no próximo Cobalt (entre Tracker e Equinox); dois SUVs de sete lugares (um menor, para o lugar da Spin, outro de grande porte, substituindo a Trailblazer); picape compacta-média entre Montana e S10 (baseada no próximo Cobalt); e Bolt (elétrico). Novo Blazer poderá ser o 21º veículo.

- Volkswagen: 20 produtos até 2022

Reprodução
Imagem: Reprodução

Já lançou seis das 20 novidades prometidas: Amarok V6, Polo, Virtus, Tiguan, Golf e Golf Variant.

Seguem em 2018: Gol e Voyage com câmbio automático; nova geração do Jetta; Polo GTS e Virtus  GTS (configurações 1.4 turboflex de 150 cv).

Em 2019 chega o aguardado T-Cross, SUV rival para modelos como Honda HR-V, Nissan Kicks  e Jeep Renegade, entre outros.

Importados: Atlas (EUA), Passat (Alemanha) e nova geração da Amarok.

Inéditos: estão na lista o SUV compacto-médio Tarek (base do Jetta e posicionado entre T-Cross e Tiguan); crossover baseado no entre-eixos do Polo; picape intermediária (entre Saveiro e Amarok); nova Saveiro e sucessor do Gol.

- Fiat-Chrysler: 15 modelos da Fiat, 10 de Jeep e Ram

CarWale
Imagem: CarWale

FCA prevê 15 produtos sob a marca Fiat. Entre eles estarão: renovações de Mobi, Argo, Cronos e Toro; novas gerações de Uno, Strada e Fiorino; além de um inédito "mini-SUV" baseado no Mobi; SUV de porte compacto a partir da matriz do Argo; derivação do futuro Jeep  Compass com sete lugares e logotipo da marca italiana. Versões com motores turbo e câmbios automáticos completam a gama.

Jeep terá como novidades principais produtos nacionais: Renegade e Compass atualizados; Compass de sete lugares.

Importados da marca: "baby" Jeep (menor que Renegade); novo Wrangler; novos Cherokee/Grand Cherokee; novo Wagoner.

RAM terá uma picape média de uma tonelada (porte de S10, Toyota Hilux e afins), muito provavelmente produzida na América do Sul; e uma maior (quase certamente a nova 1500) importada.

- Ford: foco em SUVs

Divulgação
Imagem: Divulgação

Não antecipa planos de longa duração, mas já em 2018 tem facelift de meia-vida da família Ka (com direito a novos motores e câmbios); e lançará uma pequena atualização do Fusion. Para 2019, garante três lançamentos: novo Edge e Mustang conversível devem constar do cronograma; o terceiro produto ainda é misterioso, mas esta coluna aposta numa nova atualização da Ranger, incluindo a versão "esportiva" Raptor.

Nova geração do EcoSport (2020) e da família Ka (2022) estão previstas mais adiante. Com a quase extinção dos carros de passeio da marca nos Estados Unidos, é provável ainda que a divisão local enfim inicie uma ofensiva maior em diferentes segmentações de SUVs, e também possível que aposte no novo Fiesta para ocupar a lacuna a ser deixada pela descontinuação do Focus.

- Toyota: planos até 2022

Drew Angerer/Getty Images/AFP
Imagem: Drew Angerer/Getty Images/AFP

Tem dois ciclos: troca de geração a cada seis anos com renovação de meia-vida a cada três.

Família Yaris chegou este ano e deve receber atualizações só a partir de 2021. Nova geração Corolla confirmada para até 2020. Facelift da Hilux chega até o fim deste ano e o SUV derivado SW4 deve acompanhá-la nas mudanças em 2019.

Família Etios, RAV4 e Camry também devem ser atualizados. Para 2022, há o projeto de um SUV com base no Yaris e de um possível crossover derivado do Etios.

- Renault: SUVs na área

Divulgação
Imagem: Divulgação

Começa com a picape média Alaskan, ainda este ano. Em 2019 renovará o Duster e também a dupla Sandero e Logan. 

Demais modelos serão atualizados em ciclos de quatro e sete anos. Um inédito crossover estilo "SUV-cupê" é considerado certo para produção no Brasil (acima do Captur e mirando no Compass) em 2020. Koleos volta a figurar entre os importados.

- Nissan: observa o mercado

Ainda está em fase de planejamento e estuda os segmentos em que vai atuar ou mesmo abrir mão.

Todavia, este ano promoverá mudanças na picape Frontier com a troca de fábrica (sai México, entra Argentina).

Nova geração do March segue no radar e até 2020 sua galinha dos ovos de ouro, o Kicks, deve passar por reestilização.

- Honda: ciclo em andamento

Não vislumbra novos segmentos de atuação. Como segue ciclos semelhantes aos da rival Toyota, deve promover retoques no Accord e no Civic em 2019.

Facelift do HR-V deve ser mostrado ainda este ano. Novas gerações dos compactos Fit e City ficam para 2021 ou 2022.

- Peugeot-Citroën: 16 produtos até 2024

Divulgação
Imagem: Divulgação

A também francesa PSA vai se reinventar. Serão 16 produtos novos (incluídos comerciais leves), produzidos no Brasil e Argentina até 2024.

Começa com Citroën C4 Cactus no começo de setembro.

Peugeot 208, 2008, 308, além de C3 e C4 Lounge terão novas gerações com uma única arquitetura modular, conhecida como CMP.

Também haverá uma picape média Peugeot para uma tonelada de arquitetura convencional.

Siga o colunista

Fernando Calmon no Facebook
@fernandocalmon no Twitter
@fernandocalmonoficial no Instagram

Alta Roda

Alta Roda
Imagem: Alta Roda
+ Programa "Rota 2030" começa a superar um impasse na reta final. Procuradoria-Geral do Ministério da Fazenda (PGMF) apontou a impossibilidade legal de conceder incentivo fiscal para fabricantes que conseguirem superar a meta de eficiência energética a cada cinco anos. Novas negociações e uma solução: só modelos acima do padrão obrigatório terão direito ao benefício.

+ Inicialmente havia a interpretação de que inviabilizaria um ponto relevante do "Rota 2030": estimular investimentos em pesquisa no país. Mas o enquadramento por modelo pode chegar aos mesmos resultados, sem obstáculos jurídicos, pois todos terão de cumprir a meta mínima sem incentivos. É provável que no fim deste mês o programa possa, afinal, ser anunciado.

+ Sistema de chassi 100% ativo, que a ZF acaba de anunciar na Europa, pode se transformar em grande facilitador para adoção de direção autônoma. Suspensões convencionais não lidam com pisos irregulares sem exigir atuação do motorista. Tal recurso é preditivo e deixa a carroceria livre de quaisquer oscilações. Resta discutir os custos.

+ Ressalvas: apenas no mês de novembro próximo a Toyota pretende iniciar o terceiro turno de produção em Sorocaba, se o mercado confirmar a tendência de recuperação. Quanto ao Golf e à station Variant, apesar de lançados no mês passado, são modelos 2018 e não 2019, como costuma ser a regra. Há casos, porém, de outros veículos em mercado três ou quatro meses antes, que já são modelos 2019.