Coluna

Alta Roda

Empresa alemã está perto de criar carro com porta à prova de "encostões"

Divulgação
Batizado de i-protect, sistema detecta apenas objetos parados; por enquanto: próximo passo é fazê-lo ler os que se mexem Imagem: Divulgação
Divulgação
Alta RodaFernando Calmon

Fernando Calmon, engenheiro, jornalista e consultor, dirigiu a revista Auto Esporte e apresentou diversos programas de TV. Escreve às terças-feiras.

Colunista do UOL

03/01/2017 17h46

Sistema usa sensores para bloquear abertura em caso de perigo

Evitar que uma porta, ao ser aberta, danifique outro veículo ou bata em um obstáculo, finalmente está perto de se tornar realidade.

A empresa alemã Kiekert, uma das maiores fabricantes de fechaduras do mundo, resolveu investir no projeto de um grupo de estudantes do grau médio de Colônia (Alemanha) para desenvolver um sistema que batizou de i-protect, apresentado este ano ainda em forma de protótipo em um colóquio na cidade de Munique, também naquele país.

Fechaduras são mecanismos que podem ter de 35 a 150 componentes, só perdendo em complexidade para o motor. Como não é um dispositivo tão barato, pelo grau de segurança exigido, seus fabricantes tentam agregar valor ao seu negócio, caso da Kiekert.

Um dos desenvolvimentos da companhia é uma fechadura com LED que adverte outros veículos e pedestres que a porta está sendo aberta. Trata-se de um dispositivo mais efetivo do que luzes nas laterais internas das portas, que podem ser vistas tarde demais para evitar um acidente.

Dessa forma a Kiekert está impulsionando as pesquisas que tornarão viável o i-protect.

Bloquear para proteger

O sistema funciona de forma aparentemente simples: um sensor embutido na porta reconhece o que se passa em torno do automóvel e envia um sinal avaliado pela central eletrônica do veículo, que trata de bloquear a abertura. 

Esta operação se faz por meio do limitador que ajuda a sustentar a porta aberta, utilizando um comando eletromagnético. É altamente preciso, capaz de parar o movimento alguns centímetros antes do obstáculo. Identifica objetos estáticos de qualquer tamanho ou forma ao longo de todo o ângulo de abertura da porta. 

O sistema de retenção, totalmente mecânico, deixa para corrente elétrica a função de abrir e frear, o que torna o manuseio da porta bem mais confortável, inclusive para pessoas que se queixam de certo peso para operá-las, especialmente quando o veículo está em um aclive desfavorável e se precisa vencer a força da gravidade.

Segundo a Kiekert, houve algumas tentativas anteriores de achar uma solução para abertura segura de portas, mas o sistema agora desenvolvido conta com a tecnologia correta. A empresa prevê que o i-protect entrará em produção em 2020 e o está negociando com um fabricante de carros -- não revelado, claro.

Por enquanto, só pode detectar objetos estacionários, mas o próximo estágio ampliará o campo de atuação para identificar veículos em movimento, incluindo motocicletas, bicicletas e até pedestres.

Quem vai querer

Provavelmente não será um equipamento barato, mas em termos de segurança pode se tornar atraente para marcas premium. A versão básica, que só detecta objetos estáticos, deverá custar menos, mas diminui prejuízos que uma abertura de porta descuidada ou mesmo em locais muito apertados costumam produzir no próprio carro ou nos de terceiros.

Para oficinas mecânicas das concessionárias, que enfrentam valores de imóveis cada vez mais elevados nos grandes centros urbanos, com relação tanto ao tamanho dos boxes de serviços quanto das áreas de estacionamento, um dispositivo como o i-protect viria em boa hora.

Siga o colunista no Twitter: https://twitter.com/fernandocalmon

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Colunas - Alta Roda
Topo