UOL Carros

26/12/2008 - 16h11

Yamaha YBR 125 Factor traz visual arrojado e faz até 35 km/l

Da Infomoto

Caio Mattos/Infomoto

Yamaha YBR 125 2009 traz conjunto equilibrado

Yamaha YBR 125 2009 traz conjunto equilibrado

Apesar de não receber injeção eletrônica de combustível, a YBR 125 Factor 2009 traz várias características que podem fazer a diferença na hora da compra. A moto mais vendida da Yamaha apresenta um visual arrojado, que lembra sua irmã mais velha, a YS 250 Fazer. Além disso, a Factor é ágil, já está de acordo com a terceira fase do Programa de Controle da Poluição do Ar por Motociclos e Veículos Similares (Promot 3), que entra em vigor em janeiro, e econômica -- faz até 35 km com um litro de gasolina. O preço da versão testada, a ED (top da linha, equipada com partida elétrica, rodas de liga-leve e freio a disco na dianteira) é de R$ 6.585. Sua principal concorrente, a CG 150 Titan ESD tem preço sugerido de R$ 6.990.

A YBR Factor 125 2009 foi, literalmente, "passada a limpo". O que mais desperta a curiosidade dos motociclistas é saber como funciona o "coração" da popular da YBR. O motor deste projeto 100% brasileiro é exatamente igual ao de sua antecessora: monocilíndrico, de 124,9 cm³, comando simples no cabeçote (OHC) com duas válvulas e refrigeração a ar. Porém, em função da nova lei de emissões, a Factor adotou o carburador Mikuni BS 25.

  • Releia o texto com primeiras impressões da YBR 125

  • Veja imagens da Factor

    Assim, a nova YBR perdeu um pouco de torque e potência. O antigo motor gerava 12,5 cv de potência máxima a 8.000 rpm e 1,19 kgfm a 6.500 rpm de torque. Agora, na nova versão tem potência declarada é de 11,2 cv a 8.000 rpm e o torque de 1,13 kgfm a 6.000 rpm.

    FICHA TÉCNICA
    YBR 125 Factor 2009
    Motor: Um cilindro, SOHC, duas válvulas, refrigerado a ar, 124 cm³.
    Potência e torque: 11,2 cv (8.000 rpm) e 1,13 kgfm (6.000 rpm).
    Diâmetro e curso: 54,0 mm x 54,0 mm.
    Alimentação:Carburador Mikuni BS 25.
    Taxa de compressão:10,0 : 1.
    Partida: Elétrica (pedal na versão "K").
    Câmbio: 5 velocidades.
    Transmissão final: Corrente.
    Tanque: 13 litros.
    Quadro: Diamond em aço.
    Suspensão:
    Dianteira: Garfo telescópico, com 120 mm de curso.
    Traseira: Balança com sistema bichoque com 105 mm de curso.
    Freio:
    Dianteiro: Tambor de 130 mm de diâmetro (a disco de 245 mm na versão "ED").
    Traseiro: Tambor de 130 mm de diâmetro.
    Pneus:
    Dianteiro: 2.75-18 42 P Metzeler ME 22.
    Traseiro: 90/90 - 18 42 P Metzeler ME 22.
    Comprimento: 1.980 mm.
    Largura: 760 mm.
    Altura: 1.080 mm.
    Entre-eixos: 1.290 mm.
    Altura mínima do solo: 175 mm.
    Altura do assento: 780 mm.
    Peso: 112 kg (110 kg na versão "K") a seco.
    Cores: Azul, prata, preta e vermelha.
    Preço: R$ 6.585.

    A "mini Fazer" está um pouco mais fraca, porém ainda de acordo com sua proposta urbana. Com força em baixas e médias rotações, o propulsor ajuda na tarefa de largar na frente dos carros quando é dada a luz verde. Na cidade, a YBR Factor rodou 33 km com um litro de gasolina. Já na estrada, com velocidade constante de 90 Km/h, a moto registrou média de 35,4 km/l. Além disso, a moto conta com câmbio de cinco velocidades macio e muito preciso.

    MACIEZ
    Na pilotagem, a nova Yamaha proporciona um conjunto de motor, câmbio e suspensões muito macio, herança que vem desde as primeiras YBR no início do ano 2000. Em função dos posicionamentos do guidão e pedaleiras, o moto garante uma boa postura ao piloto. A única ressalva é a espuma do banco, mole demais, que tende cansar o motociclista em longos períodos. O piloto é naturalmente jogado para a frente do banco, causando um certo desconforto.A adoção de uma espuma de maior densidade seria a solução.

    Com relação ao conjunto ciclístico (freios e suspensão), a Yamaha usou receitas tradicionais, porém muito bem acertadas. Na dianteira, garfo telescópico com 120 mm de curso. Já na traseira balança com sistema bichoque. O sistema é preciso, macio e copia com muita propriedade as imperfeições do piso.

    Com relação ao sistema de frenagem, a YBR Factor conta com freio a disco na dianteira, que recebeu uma nova pinça de um único pistão maior. Na parte traseira, o tradicional freio a tambor. Neste quesito, a "motinho" da marca dos três diapasões merece destaque. Os freios são eficientes e, se trabalhados em conjunto, diminuem o espaço de frenagem. Além disso, os novos pneus Metzeler ME 22 (sem câmara na versão com rodas de liga-leve) oferecem boa aderência, principalmente em curvas fechadas de média velocidade, deixando a utilitária da Yamaha muito divertida em estradas sinuosas.

    Toda a parte ciclística foi ancorada em um novo chassi, do tipo diamante, que oferece melhor estabilidade e dirigibilidade. Assim, a YBR 125 Factor está mais "esperta", principalmente nas mudanças de direção e também em curvas mais fechadas.
    (por Aldo Tizzani)
  • Compartilhe:

      Fale com UOL Carros

      SALOES