UOL Carros

23/04/2008 - 16h16

Moto flex 'imita' carros e deve chegar até dezembro

Da Infomoto

Infomoto

Display da Delphi mostra sistema Multifuel durante feira em 2007

Display da Delphi mostra sistema Multifuel durante feira em 2007

Depois de conquistar o mercado de automóveis, o sistema bicombustível chega finalmente às motocicletas. A AME Amazonas Motocicletas Especiais anunciou nesta quarta-feira (23) que produzirá uma moto com a tecnologia de injeção eletrônica multifuel desenvolvida pela Delphi Automotive Systems do Brasil.

O sistema, apresentado pela multinacional na Automec (Feira Internacional de Autopeças, Equipamentos e Serviços), em abril do ano passado, vai permitir ao motociclista optar entre álcool e gasolina em qualquer proporção.

A nova motocicleta, que vai se chamar AME GA, além de permitir escolher entre gasolina, álcool ou ambos (daí o GA no nome) e ter, segundo a fábrica, uma menor geração de gases do efeito estufa, poderá trazer uma economia ao bolso do motociclista de 25% -- considerando o preço de venda médio dos combustíveis para o Estado de São Paulo de fevereiro a março de 2008, segundo a Agência Nacional do Petróleo (ANP).

Funcionamento
À época do lançamento do sistema Multifuel, em 2007, o diretor de engenharia e vendas da Delphi para a América do Sul, Roberto Stein, afirmou não haver grandes diferenças entre o sistema bicombustível para carros e motos. Para que a motocicleta possa utilizar os dois combustíveis em qualquer proporção, a taxa de compressão do motor tem de ser adequada.

É preciso instalar uma bomba de combustível especial para trabalhar também com álcool. Além disso, são usados sensores inteligentes de ar e combustível, que, em conjunto com o sensor de oxigênio, "aprendem" qual a mistura de gasolina/álcool que está no tanque.

Tudo isso é controlado por um Módulo Eletrônico de Controle da injeção (ECM), o software de calibração para controle da mistura de combustível, o qual envia as informações a bicos injetores de última geração, com maior vazão. Diversas peças, como o tanque e pistões, entre outras, também devem receber um tratamento especial para resistir à maior corrosão causada pelo álcool.

Uma grande dificuldade para a adoção de sistemas multicombustíveis em motos era onde alojar o sistema de partida a frio, que consiste num pequeno tanque apenas para a gasolina utilizada ao se ligar a moto em dias de baixas temperaturas.

A solução da Delphi foi eliminar esse sistema de partida a frio. "Conseguimos criar o Multifuel sem a necessidade do 'tanquinho' de gasolina. Para isso, temos duas opções: em motos maiores pode ser utilizado um sistema de aquecimento da mistura; em motos menores, existe apenas a necessidade de se colocar [ao menos] meio litro de gasolina no tanque nas cidades cujas temperaturas atinjam menos de 10º C", afirma Stein.

Mercado
A AME (empresa que pertence à GHF Trading), a motocicleta bicombustível deve impulsionar essa tendência em duas rodas, assim como aconteceu com a venda de automóveis flexíveis -- que atingiu em 2008 a marca de 5 milhões de veículos, e que hoje é quase um padrão do mercado.

Para Stefano Dehó, diretor de Marketing da AME, a tecnologia usada no projeto oferecerá uma maior economia ao motociclista, já que a moto poderá utilizar um combustível brasileiro auto-sustentável. "O que podemos adiantar é que será um novo modelo de média cilindrada. Esperamos que o veículo seja apresentado até o final do ano", diz Dehó.

Novos ares
O projeto da Delphi do sistema Multifuel para motocicletas começou há três anos, com o desenvolvimento do sistema bicombustível no Centro Tecnológico de Piracicaba (SP). O novo sistema para motocicletas já estará adequado aos níveis de emissão do Promot 3 (Programa de Controle da Poluição do Ar por Motociclos e Veículos Similares), lei de emissões de gases que entrará em vigor em 2009, que equivale às normas da EURO III, já em vigor na Europa.

"Com a utilização do álcool, esses índices de emissão podem ser ainda menores", garante o diretor de engenharia e vendas da Delphi para a América do Sul, Roberto Stein.

Além dos sistemas de gerenciamento de motor e bombas de combustível Multifuel, a Delphi fornecerá chicotes elétricos, conectores e sensores de temperatura para a nova motocicleta. (por Aldo Tizzani)

Compartilhe:

    Fale com UOL Carros

    SALOES