UOL Carros

03/12/2007 - 12h27

Câmbio automatizado transforma Meriva em carro chique

Da Auto Press
A General Motors quer dar um ar mais requintado à Meriva. Afinal, a montadora equipou as linhas Chevrolet Corsa, Corsa sedã e Montana com motor 1.4 Econo.Flex para ter preços mais competitivos. Mas com o monovolume compacto a estratégia é inversa. A minivan, feita sobre a mesma plataforma dos compactos, acaba de ganhar uma versão top, chamada Premium Easytronic, agora a mais cara da linha: R$ 54.314.

O grande diferencial da configuração é o câmbio robotizado, que difere um pouco de uma transmissão automática convencional. Com a Premium Easytronic, a Meriva ganha fôlego para brigar com outros dois modelos compactos familiares com câmbios automáticos: o Peugeot 206 SW Féline Automatic e o Honda Fit EX 1.5 CVT.
Divulgação


Meriva Easytronic tem como rivais o 206 SW e o Fit com câmbio CVT


O câmbio, chamado pela GM de MTA (Manual Transmission Automatized) foi idealizado em 2000 pela Opel, subsidiária alemã da montadora ianque. Já equipava a linha Meriva na Argentina desde o primeiro semestre e só agora chega ao Brasil. O MTA automatiza o acionamento da embreagem e a troca das marchas, mas preserva as engrenagens comuns dos câmbios manuais convencionais. O sistema conta ainda com o dispositivo kickdown, que reduz uma marcha quando se pisa até o fundo do acelerador.

A transmissão de cinco velocidades oferece dois tipos de condução. Ao posicionar a alavanca para a esquerda, na posição A, o modelo funciona como um automático convencional em modo Drive. Já na posição central M, o motorista faz as mudanças no modo manual seqüencial: para a frente aumenta as marchas, para trás reduz. Além das posições Neutra (ou ponto morto, onde o câmbio deve estar para que o carro possa ser ligado) e ré, que ficam à direita, o sistema é complementado pelo botão S. Ele aciona o modo Sport, onde as marchas do modo automático são mudadas em rotações mais elevadas.

Esse câmbio automatizado da Meriva Easytronic trabalha em conjunto com o já conhecido motor 1.8 litro Flexpower. O propulsor gera 114 cv somente com álcool no tanque a 5.600 rpm, enquanto com gasolina a potência é de 112 cv na mesma faixa de rotações. O torque máximo é de 17,7 kgfm a 2.800 giros, tanto com o combustível vegetal quanto com o fóssil.

Divulgação


Aspecto do câmbio Easytronic
é o mesmo de um automático
Segundo a General Motors, com esta transmissão, o monovolume faz de zero a 100 km/h em 12,4 segundos (com álcool) e 12,5 s com gasolina. No modelo manual, a velocidade final é a mesma, mas o zero a 100 km/h é obtido em respectivos 11,2 s e 11,4 segundos.

Preços
A GM já trata de alardear que a transmissão automatizada da Meriva custa R$ 2.000, aproximadamente metade do que custaria uma transmissão automática -- a conta bate com versão Maxx, sem câmbio automático, que custa R$ 52.314, e tem os mesmos equipamentos que a Premium Easytronic, a exceção do câmbio.

Entre os itens de fábrica, ar-condicionado, direção hidráulica, trio elétrico, regulagem elétrica dos faróis, travamento automático das portas, regulagens de altura do banco do motorista e do volante.

Por R$ 54.314, o Meriva Premium Easytronic tem como únicos concorrentes no segmento de compactos o 206 SW Féline e o Fit EX. O primeiro é mais barato, parte dos R$ 49.800 e tem motor com potência parecida: 113 cv com álcool. Já o modelo da marca japonesa se aproxima mais no preço, custa R$ 53.175, tem motor menos potente (105 cv) mas um câmbio CVT (continuamente variável), que é mais moderno e confortável. (por Fernando Miragaya)

Compartilhe:

    Fale com UOL Carros

    SALOES