Saab consegue comprador e vai fabricar carros elétricos a partir de 2014


Dan Lalor
Mark Potter
Em Estocolmo (Suécia)

  • AFP

    Saab entrou em colapso no final de 2011 e desde então procurava investidores

    Saab entrou em colapso no final de 2011 e desde então procurava investidores

A montadora sueca Saab encontrou um comprador e verá seu futuro atrelado à fabricação de veículos elétricos, divulgou nesta quarta-feira (13) um dos administradores da companhia. A nova responsável pela Saab é a National Electric Vehicle Sweden AB (Nevs), empresa sueca  controlada pelo chinês Kai Johan Jiang, mas ligada também ao grupo japonês de investimento The Sun e à construtora de usinas de força de energia renovável National Modern Energy Holdings, de Hong Kong.

A informação sobre a compradora da Saab foi confirmada pela agência "Automotive News" e por um porta-voz da Nevs, mas os detalhes da proposta não foram divulgados. "A Saab começará uma nova operação em Trollhattan (sede da marca, no oeste da Suécia), onde o desenvolvimento e a produção se focarão inteiramente em carros elétricos", disse o porta-voz da fabricante.

NOVA FASE
Embora o porta-voz da empresa tenha se referido à "nova operação" da Saab, ainda não foi definido se o tradicional nome da empresa será mantido. De toda forma, a pressa para sair do quadro deficitário é grande e o prazo para a entrega de novos produtos já foi definido: o primeiro modelo elétrico será apresentado até o começo de 2014 e será uma derivação do 9-3.

O 9-3 é um modelo baseado na plataforma Epsilon da GM, que deu origem a modelos como Vectra (Opel e Chevrolet), Chevrolet Malibu e Opel Insignia. Este vínculo com a GM pode atrapalhar os planos dos novos controladores da Saab, uma vez que a gigante americana já se mostrou contrária à aquisição da marca por investidores chineses (no caso, o grupo Zhejiang Youngman Lotus Automobile), anteriormente, alegando questões estratégicas de mercado.

Não ficou definido se haverá uma destinação para projetos mais recentes da marca, como o sedã 9-5 e o crossover 9-4X. 

HISTÓRICO DA CRISE
Fabricante de carros desde 1947, a marca era deficitária há quase duas décadas, mas enfrentou seu pior momento a partir de 2006, quando viu as vendas médias caírem de 133 mil unidades para 31.700 em 2010.

Sem fabricar nem vender carros desde março de 2011, a A Saab entrou em colapso no final do último ano, menos de dois anos depois da americana GM tê-la vendido ao grupo holandês Spyker. Desde então, vinha procurando investidores e já havia recebido propostas de compras de grupos holandeses e chineses. (Com Redação de UOL Carros)

Saab 9-3 servirá de base para o futuro carro elétrico
Veja Álbum de fotos

titulo-box Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos