AP

Carros dos sonhos

Volkswagen confirma fim da Kombi com "última edição"

Eugênio Augusto Brito
André Deliberato

Do UOL, em São Paulo (SP)

Veja imagens da série especial Last Edition
Veja Álbum de fotos

O fim já era esperado, anunciado, mas ainda assim negado oficialmente. Nesta quarta-feira (14), porém, um dia após anunciar a chegada do novo Golf ao Brasil com festa VIP na cidade de São Paulo (SP), a Volkswagen divulga um tipo de "admissão" do que já se sabia: a Kombi vai se aposentar ao final deste ano.

O término das atividades vem, claro, à moda do mundo automotivo com uma série especial chamada Last Edition, que chega às lojas ainda em agosto por R$ 85 mil -- preço próximo ao do sedã Jetta 2.0 TSI (com motor turbo de 200 cavalos) e bem acima do que se espera como patamar inicial do novo Golf. "Oferecida a partir deste mês, série marcará o encerramento da produção da Kombi no Brasil", confirma a Volkswagen.

Tem história com a Kombi ou quer opinar sobre o fim? Comente

  • Reprodução

    "Aprendi a dirigir numa Kombi. Meu pai tinha uma delas, que usava em seu trabalho, e foi com ela que dei meus primeiros passos como motorista. Muitas vezes eu saía com amigos e levava uma montanha de gente na 'Kombosa' da família".
    dumontsnts

    "Só acho que para os puristas essa ultima edição deveria vir com o motor 1.6 refrigerado a ar, que equipava o modelo anteriormente".
    Cristian Silva

    "Este era e sempre foi o carro do meu pai. Ele já teve mais de 10 Kombi e com elas nos criou e sustentou por muito tempo. Passamos por muitas aventuras. Hoje, sou motorista profissional (categoria E) e já trabalhei muito com ônibus graças à velha companheira".
    Alexandre Santos

De fato, segundo informações obtidas por UOL Carros, a Kombi deixa de ser produzida em dezembro deste ano, pois a partir de 2014 somente modelos equipados com freios ABS e airbag duplo poderão sair das linhas de montagem brasileiras. A Volkswagen até conseguiu instalar airbags na van, mas não foi capaz de fazer o mesmo com o sistema antitravamento dos freios (antiquada demais, a mecânica do modelo sequer possui servofreio).

Há estudos sobre possíveis substitutos (fala-se nos atuais Transporter, Eurovan etc), mas ainda não há informações sobre qual será o escolhido -- nem se ele será feito aqui ou importado.

Atualmente, a Kombi convencional é vendida nas configurações Furgão (R$ 44.918), Standard (R$ 48.429) e Lotação (de passageiros, e na qual se baseia a série Last Editon, a R$ 52.211). 

Com tais preços, a Kombi se mantém como utilitário mais vendido do país (mais de 10 mil exemplares emplacados desde janeiro, ou o dobro do segundo colocado, Fiat Ducato). Com custo de produção abatido há décadas, demanda zero de investimento em tecnologia de segurança e conforto, uma inegável herança cultural e, por fim, este histórico de vendas explicam a dificuldade da marca alemã em achar um substituto para o modelo, mantendo um veículo dos anos 1950 em linha por tanto tempo.

+ Tem história a bordo da Kombi para contar? Use o campo de comentários


MODERNIZAÇÃO
O fato é que um anúncio de nove dias atrás apontava mudanças na estrutura fabril da principal unidade da Volkswagen, em São Bernardo do Campo (SP), e dava pistas da aposentadoria da "velha senhora" -- é da fábrica do ABC que a Kombi ainda ganha as ruas do país. Em 5 de agosto, a marca alemã havia anunciado investimento em "novos equipamentos para realização de testes nos veículos em produção, na etapa de montagem final da fábrica Anchieta".

O valor pode até ser considerado baixo -- R$ 10 milhões -- mas seu uso na melhoria da montagem mostra a necessidade de se fazer modelos que requerem um grau de precisão desnecessário até então. O mesmo comunicado deixava claro que "os novos equipamentos deixarão ainda mais preciso e robusto o processo de aferição de geometria de suspensão, alinhadores de farol, cabines para simulação de rodagem e sistemas de testes elétrico e eletrônico", indicando ainda um upgrade nos centros de testes de freios com tecnologia ABS (antitravamento), de motor e de câmbio.

Encontro celebrou 56 anos da Kombi no
Brasil
Veja Álbum de fotos

ÚLTIMA EDIÇÃO
Serão 600 unidades da Kombi Last Edition com pintura especial "saia e blusa" (teto em branco com o restante da carroceria em azul), rodas aro 14 e calotas pintadas de branco, assentos com revestimento em vinil nas mesmas cores do exterior, bordados exclusivos e o que a Volkswagen aponta como equipamentos exclusivos: numeração no painel, rádio com entrada para cartão de memória e conexões USB/MP3 e Bluetooth (destoando de todo o visual clássico da edição), novo grafismo no painel de instrumentos, certificado de autenticidade e adesivo especial marcando os 56 anos de produção no Brasil (lançada na Alemanha em 1950, a Kombi é feita por aqui desde 2 de setembro de 1957).

A motorização segue a mesma desde a última adequação, em 2005: o 1.4 flex da família EA-111 gera 78/80 cavalos a 4.800 rpm com torque máximo de 12,5/12,7 kgfm aos 3.500 giros (gasolina/etanol); no comando de tudo, câmbio é manual de quatro marchas. 

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos