Últimas de Carros

Volkswagen estreia "motorzãozinho" no Fox Bluemotion, que parte de R$ 32.590

André Deliberato

Do UOL, em Campinas (SP)

A Volkswagen apresenta à imprensa, nesta quarta-feira (26), o Fox Bluemotion 2014, que estreia o tão esperado motor 1.0 de três cilindros, que também será responsável por movimentar as versões de entrada do subcompacto Up nacional e demais modelos da marca. O preço inicial é de R$ 32.590 (duas portas) e R$ 34.090 (quatro portas).

Para comparar, o Fox básico com motor TEC 1.0 4-cilindros parte de R$ 31.840 (duas portas).

O motor pertence à família EA211 (evolução do atual EA111, de quatro cilindros) e rende 82 cavalos de potência e 10,4 kgfm de torque com etanol, e 75 cv e 9,7 kgfm com gasolina. O comando de válvulas é variável na admissão; são 12 válvulas (4 por cilindro) e não há tanque de combustível suplementar para partidas a frio (o sistema é da Bosch, o mesmo utilizado por modelos de outras marcas, mas ajustado para o conjunto 1.0 da Volks). Veja aqui a ficha técnica completa do modelo.

Por ter bloco de alumínio e um cilindro a menos, o motor é 24 kg mais leve que o 1.0 "normal" do Fox Bluemotion anterior. Segundo dados da Volks, ele é o propulsor de 1 litro mais potente do Brasil, superando os de Chevrolet e Hyundai (mesmo os 4-cilindros). O consumo anunciado pela fabricante, seguindo normas e padrões do Inmetro, é de 8,8 km/l na cidade e 9,9 km/l na estrada (etanol) e 12,7 km/l na cidade e 14,4 km/l na estrada (gasolina).

  • Divulgação

    Grade frontal quase fechada é o principal diferencial externo do Fox Bluemotion

As mudanças no Fox Bluemotion, cuja proposta é a economia de combustível, não se limitam ao motor. O carro também ganha direção eletro-hidráulica (antes era só hidráulica), relação de marchas alongada e nova calibração de amortecedores. A grade dianteira quase totalmente fechada e os pneus "verdes" de baixa resistência à rolagem (de perfil alto, 175/70 R14, mas menores que os convencionais de aro 15), exclusivos da versão, são itens de série e colaboram para minorar o consumo.

O problema do Fox Bluemotion é a magreza de conteúdo
: o carro sai de fábrica "pelado". Entre os pacotes de opcionais estão o Trend e o I-Trend, este com volante multifuncional e I-System (de informações sobre o carro), mas nem eles oferecem itens desejados como ar-condicionado e vidros elétricos, por exemplo. Tais itens vêm num outro kit opcional. Já o sensor de ré é vendido separadamente. Infelizmente. nenhum preço foi divulgado. 

PRIMEIRAS IMPRESSÕES
UOL Carros rodou pouco mais de 100 quilômetros com o novo Fox Bluemotion e se impressionou. O carrinho é bastante esperto e nem parece usar motor 3-cilindros (muito menos de 1 litro). Quem vê de fora pode até pensar que se trata de um carro 1.4 (comparar com um 1.6 já é exagero). Detalhe: a unidade testada tinha gasolina no tanque -- ou seja, rendia 75 cv e 9,7 kgfm de torque.

A REGRA É TER TRÊS

  • Murilo Góes/UOL

    Hyundai HB20 fabricado no Brasil tem propulsor 1.0 3-cilindros com 80/75 cv (E/G)

  • AP

    Ford EcoSport recebe no exterior o 1.0 Ecoboost turbo, 3-cilindros, que vai a 125 cv

  • Divulgação

    Motor EA211 da Volks, aspirado, 3-cilindros, com 82/76 cavalos: é o downsizing em ação

A 120 km/h, em quinta marcha, o Fox roda perto de 4.000 rpm. O ruído que invade a cabine é baixo e não incomoda; vale ressaltar, portanto, o belíssimo trabalho de isolamento acústico feito pela Volkswagen.

O som, aliás, lembra muito o de outro motor de três cilindros presente no mercado brasileiro: o de Hyundai HB20 e Kia Picanto. Nem tanto pelo fato de ser feito de alumínio, e sim pelo tempo de movimentação dos cilindros.

O câmbio manual de cinco marchas contribui para o bom desempenho, e a nova direção eletro-hidráulica também oferece perceptível melhora para quem dirige, principalmente na estrada, e contribui para menor gasto de energia para a assistência -- consequentemente, melhora o consumo de combustível.

E por falar nisso, o carro avaliado por UOL Carros obteve números até melhores que os anunciados pela Volks. Enquanto a marca falava em 12,7 km/l na cidade e 14,4 km/l na estrada (segundo dados do Inmetro), obtivemos 13,3 km/l no perímetro urbano e 15,6 km/l em rodovias. A autonomia do computador de bordo indicava 574 quilômetros (o tanque de combustível tem 50 litros).

Resta saber se toda essa tecnologia apresentada pelo Fox (potência e torque convincentes e consumo de "carro verde" de verdade) migrarão 100% para o pequeno Up, que deverá abdicar de ainda mais equipamentos para ficar barato. Resta a torcida para que a Volks capriche na oferta do subcompacto e escale mais itens de série que opcionais.

Viagem a convite da Volkswagen

Topo