Últimas de Carros

Renovados, JAC J3 e J3 Turin têm "prazo de validade" até maio de 2015

Thais Villaça

Colaboração para o UOL

Após enfrentar quedas expressivas de vendas em 2012, devido ao aumento brutal de IPI para carros importados, a JAC Motors decidiu renovar seus modelos mais populares, o hatch J3 e o sedã J3 Turin, apresentados oficialmente à imprensa nesta terça-feira (18). Mas a reestilização chega com prazo de validade definido: maio de 2015.

Isso porque a fábrica da marca chinesa, que está sendo erguida em Camaçari (BA), deve ficar pronta no fim do próximo ano e o lançamento comercial de um compacto feito especificamente para o mercado brasileiro está previsto para o começo do ano seguinte (leia mais no quadro, nesta reportagem). O modelo a ser feito localmente vai matar ainda o pequenino J2 (leia aqui nossa avaliação), que chegou ao país durante o último Salão do Automóvel de São Paulo, em outubro.

Como modelo 2014, o novo J3 hatch tem preço definido em R$ 35.990, enquanto o sedã J3 Turin passa a ser vendido a R$ 37.990. Os modelos anteriores eram vendidos por R$ 34.990 e R$ 36.990, respectivamente. De toda forma, o site iCarros aponta a cobrança de ágio em algumas revendas: o valor pedido pelo hatch seria de R$ 38.490, com o preço previsto de até R$ 43 mil para o sedã (saiba mais aqui).

BRASIL COMPACTO

O carro que a JAC vai fabricar no Brasil (e que também será vendido na Europa) ainda não tem nome, mas seu lançamento está acertado para maio de 2015. O motor já está definido: será um 1.0 de três cilindros bicombustível, como também serão os outros motores 1.4 e 1.5 da marca.

Habib acredita que o carro nacional fará a JAC aumentar significativamente seu market share no mercado brasileiro, uma vez que o protecionismo do governo empaca o crescimento das marcas importadas.

Com isso, aposta na recuperação das vendas de modelos com motor 1.0, devido às estipulações do programa Inovar-Auto (o novo regime automotivo). "Cerca de 80% dos carros vendidos atualmente no Brasil são compactos. Com o Inovar-Auto, que impõe uma redução no consumo dos veículos beneficiados, esse índice deve aumentar, pois a oferta será de modelos menores com motor de cilindrada mais baixa. Seremos conhecidos como o país dos compactos", afirmou. (TV)

O NOVO J3
A mudança deixou a dianteira com aspecto mais robusto, com faróis maiores e retilíneos, grade integrada, para-choque menos volumoso, além de capô e para-lamas redesenhados. Segundo Sergio Habib, presidente da JAC no Brasil, todas as peças da coluna A para frente foram trocadas. No hatch, a traseira segue sem alterações.

Já o sedã perdeu as lanternas sinuosas e recebeu um conjunto horizontal bipartido e novos para-choque e tampa do porta-malas.

As modificações mais significativas, no entanto, estão no interior, cujo acabamento melhorou bastante. O painel foi todo redesenhado, passando a usar menos elementos cromados e mais o chamado "black piano", revestimento preto brilhante visto normalmente em carros de categorias superiores. Outra novidade é o volante com revestimento de couro e comandos de áudio integrados. Pena que os comandos de ajuste elétrico dos espelhos continuem invertidos (o espelho se move para cima quando o botão é pressionado para baixo, e vice-versa).

Com a proposta de serem carros com o chamariz do bom custo-benefício, a lista de equipamentos da linha J3 segue bem recheada, com ar-condicionado, direção hidráulica, airbag duplo, freios com ABS e EBD, rodas de liga leve aro 15, sensor de estacionamento traseiro, faróis de neblina, volante com regulagem de altura e CD Player com seis alto-falantes e entrada padrão mini-USB (que necessita de cabo adaptador para conectar pen-drives, por exemplo).

+ Baixe a ficha técnica do JAC J3 2014

+ Baixe e veja a lista de equipamentos

VELHO E NOVO CONVIVEM

  • Murilo Góes/UOL

    Com motor 1.5 flex e visual antigo, JAC J3 Sport segue em linha até "setembro ou outubro", quando a JAC promete atualizá-lo.

IMPRESSÕES
Mecanicamente, nada muda. O motor continua o mesmo 1.3 16V -- que a empresa anuncia como 1.4, apesar dos 1.332 cm³ --, que rende 108 cv de potência e 14,1 kgfm de torque com gasolina, já que esta opção não é flex. Para quem prefere escolher o tipo de combustível, a opção segue sendo o J3 Sport, com motor 1.5 flex, de 127 cv com etanol (mais sobre ele aqui), que deve mudar de visual apenas no segundo semestre.

Apesar de mostrar certa valentia na estrada, o modelo pena nas retomadas de velocidade. A suspensão muito mole e o volante com folgas também deixam a desejar, mas seu ponto fraco mesmo é o câmbio manual de cinco velocidades, com engates bastante imprecisos e duros. O nível excessivo de ruídos na cabine mostra que o isolamento acústico também segue fraco.

Resta saber se a nova família J3, além de dois lançamentos no próximo semestre, serão suficientes para fazer a JAC se recuperar: a meta para 2013 é repetir o desempenho da estreia no Brasil, em 2011 (chegou em março), quando a marca vendeu 24 mil unidades; em 2012, os emplacamentos caíram a 19 mil carros, incluindo aí a paulada do IPI, apesar do maior período útil e do portfólio ampliado.

  • Divulgação

    JAC J3 Turin (traseira) e J3 hatch já estão em 2014 com visual retilíneo

Topo