Últimas de Carros

Nissan Note será feito em Resende (RJ) para aposentar Livina em 2015

Bill Pugliano/AFP
Versa Note para os americanos, Note para os japoneses e... matador de Livina no Brasil imagem: Bill Pugliano/AFP

Fernando Calmon

Colunista do UOL

Conforme apurações, o Nissan Note substituirá o Livina em janeiro de 2015, no Brasil. O modelo será feito na nova fábrica da marca japonesa em Resende (RJ). Oficialmente, porém, a Nissan despista.

Mostrado durante o Salão do Automóvel de São Paulo de 2008, o monovolume Livina é fabricado desde 2009 em São José dos Pinhais (PR). Primeiro carro de passeio feito pela Nissan no país e também o primeiro equipado com motor flex, o Livina original, 1.6 e com espaço para cinco ocupantes, foi escalado para encarar o Honda Fit, paradigma do segmento, além de Fiat Idea e Chevrolet Meriva. Logo depois, ganhou configurações de cinco e sete lugares (Grand Livina) e também em versão aventureira (X-Gear).

Nunca conseguiu figurar no pódio de seu segmento. Segundo o último levantamento de emplacamentos da Fenabrave (baixe o relatório completo aqui), o Livina vende quase cinco vezes menos que os líderes Fit e Spin (monovolume da Chevrolet que substituiu de uma só vez Meriva e Zafira em 2012, se assemelhando no estilo ao próprio carro da Nissan). De janeiro a maio, emplacou 3.488 unidades, contra 16.434 do modelo da Honda e 15.293 entregues pela GM. A Fiat também vende mais: 5.504 unidades do Idea no período.

  • Traseira do Versa Note mostrado no Salão de Detroit, em janeiro

NOMES
Conhecido por Note na Ásia e apresentado aos americanos como Versa Note durante o Salão de Detroit, em janeiro, o novo modelo da Nissan é fabricado globalmente sobre a mesma plataforma V (de Versátil) que dá origem ao hatch March e ao sedã Versa conhecidos aqui. Nos Estados Unidos, deverá substituir o médio Tiida (compacto por lá).

No Brasil, facilitará a vida da Nissan, que usará uma mesma base para fazer seus produtos com maior apelo de venda em Resende.

Desta unidade sairão antes o March (renovado), em janeiro de 2014, além do Versa, em julho do mesmo ano -- atualmente importados do México.

  • Divulgação

    Livina chegou ao Brasil em 2009, se multiplicou, mas nunca emplacou de fato

Topo