Últimas de Carros

Atualizada em 20.10.2015 19h03

Volkswagen Fusca 2013 parte de R$ 76.600 com charme do Fusca original

Murilo Góes/UOL
Fusca 2013: masculino, cheio de referências clássicas e pronto para virar hit imagem: Murilo Góes/UOL

Eugênio Augusto Brito

Do UOL, em São Paulo (SP)

A Volkswagen precisava executar um único movimento, uma só mexida, para fazer do sucessor do New Beetle, de 1998, um sucesso: aposentar de vez o vasinho de flores existente ao lado do volante. Mais nada seria necessário. Mas os engenheiros e designers alemães foram além e enterraram de vez o "flower power", mote do modelo anterior. O novo Fusca retoma não apenas o apelido, mas também o estilo do Volkswagen original (o que chegou ao Brasil nos anos 1950), combinados a uma mecânica atual, a mesma do Jetta TSI, tudo na medida para agradar não apenas os machos, nem só as patricinhas, mas a todo tipo de público.

A retomada do nome original -- que é oficial, está no documento do carro: VW Fusca 2.0 -- trouxe também o carisma do modelo original a reboque. Assim, o novo Fusca cansou de ser apresentado ao público: primeiro em setembro, com Neymar e um time inteiro de celebridades de primeira e segunda divisão, todos loucos para aparecer mais que o carro (relembre aqui); depois no Salão do Automóvel de São Paulo, em outubro, quando ganhou etiquetas de preço e uma ala inteira no estande da Volks para si -- embora tenha sido ofuscado pelos pequenos Up e Taigun (aqui); e, por fim, há duas semanas, junto com o novo Volkswagen CC (ex-Passat CC) e Tiguan R-Line, formando o trio de modelos matadores da linha premium da marca (saiba mais sobre este evento e sobre como o cupê de quatro portas anda, aqui).

O novo Fusca teria só dois preços oficiais, um para o carro com câmbio manual e outro para o automatizado, mas a Volkswagen mantém sua velha e habitual política de pacotes e assim os valores são os que seguem:

+ Fusca 2.0 TSI: R$ 76.600
A base mecânica traz motor de 2 litros, sobrealimentado por turbo e com injeção direta de gasolina, gerando 200 cavalos de potência (a 5.100 rotações) e torque de 28,55 kgfm (em precoces 1.700 giros), câmbio manual de seis marchas e suspensão McPherson na dianteira e Multilink na traseira. 

Já a lista de equipamentos de série é generosa traz rodas Spin de 17 polegadas e pinças de freio pintadas de vermelho; direção elétrica; ar; retrovisores elétricos; spoiler traseiro bicolor; pedaleiras e ponteira de escape dupla cromadas; computador de bordo; relógios sobre o painel central (temperatura do óleo, cronômetro e pressão do turbo); sistema de som com tele sensível ao toque, CD changer, telefonia por Bluetooth e oito falantes; revestimento mesclado para bancos e de couro para o volante; iluminação das portas (branco, azul e vermelho).

Na segurança, faróis de neblina; sensores de estacionamento dianteiros e traseiros; controle de cruzeiro; airbags duplos frontais e laterais; freios com ABS (antitravamento), ASR (controle de tração), ESC (controle de estabilidade), assistente para aclives e XDS (bloqueio eletrônico do diferencial).

+ Fusca 2.0 TSI DSG: R$ 80.990
O mesmo equipamento, mas comandado pela caixa automatizada de dupla embreagem (DSG) de seis marchas.

+ Fusca completo, utilizado na avaliação: R$ 102.271
O pacote DSG acrescido dos seguintes pacotes opcionais (nomes em negrito): tecnológico (R$ 2.850) para trocas manuais feitas em borboletas atrás do volante, ar condicionado digital de duas zonas, luzes de leitura dianteiras, retrovisor interno antiofuscante e limpadores de para-brisa automáticos; teto solar elétrico (R$ 2.900); rádio RNS315 (R$ 2.325) com navegador por GPS; kessy (R$ 1.656) para abertura/travamento das portas e partida do motor no botão, sem uso da chave; faróis bi-xênon (R$ 3.680) com 15 LEDs; bancos de couro Vienna (R$ 4.190), sendo os dianteiros com perfil esportivo, com ; rodas Twister (R$ 2.050) de liga leve e 18 polegadas; e som Fender (R$ 1.630) com dez canais, 400 W, subwoofer e conexão USB.

Primeira observação: é possível encomendar o Fusca inicial e dotá-los de quaisquer pacotes opcionais de forma individual e talvez esteja aí a saída para um carro mais com a cara do dono.

Segundo e mais importante adendo: é impossível dizer que um carro de R$ 102 mil é barato ou se justifica. Mas um modelo esportivo, com 200 cavalos de potência, câmbio de seis marchas e equipamento para fazer curvas em tocada forte e com segurança (o bloqueio de diferencial dosa os freios para que evitar que as rodas no lado interno da curva deslizem em falso) a R$ 77 mil pode começar a abalar alguns paradigmas de um mercado onde carros de três portas e 122 cavalos (não declarados) são vendidos como esportivos por mais de R$ 80 mil. O rival mais parelho seria o Audi A1 Sport, que custa R$ 110 mil, mas conta com "apenas" 185 cavalos sob o capô.

No entanto, para ter uma opção realmente justa é necessário que o comprador faça a sua parte. O Fusca tem tudo para virar a febre sobre quatro rodas da vez: no dia do lançamento, UOL Carros deixou a apresentação dirigindo o exemplar branco Cristal que está sendo avaliado e topou com outros três carros idênticos, ainda sem placas, de particulares. A Volkswagen diz que tem estoque de 1.000 exemplares para entregar até o final do ano. O problema é que algumas lojas estão cobrando ágio de até R$ 17 mil para adiantar a chegada do modelo importado do México, como mostra o parceiro Carsale. Fica o nosso apelo: não pague nada a mais.

Topo