Últimas de Carros

Atualizada em 06.11.2012 14h19

Vendas crescem 17,77% em outubro e lançamentos são destaques

Divulgação
Em seu primeiro mês, o Hyundai HB20 teve 3.312 unidades vendidas; o número é ainda mais animador para a marca se lembrarmos que o carro só chegou às lojas no dia 10 (de acordo com a própria empresa) imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo (SP)

A Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) divulgou nesta terça-feira (6) os dados oficiais de vendas de outubro, que teve 22 dias úteis (setembro teve 19 dias). As vendas cresceram 17,77% em relação a setembro, para 326.917 automóveis e comerciais leves.

O crescimento também se estendeu para os outros setores: as vendas de motos subiram 16,89% (para 134.736 unidades, ante 115.271 em setembro) e o mercado de caminhões e ônibus evoluiu 40,34% (14.746 veículos vendidos em outubro e 10.507 em setembro). No total, todo o setor (que inclui carros, comerciais leves, motos e pesados) vendeu 496.580 unidades em outubro, número 18,2% maior que o de setembro.

HISTÓRIAS QUE OS NÚMEROS CONTAM

Os dados de outubro da Fenabrave mostram que o destino de alguns modelos está selado e também como o novo regime automotivo reflete fortemente no mercado.
É o caso do sedã Chevrolet Prisma, cuja produção em Gravataí (RS) a GM já admitiu ter interrompido. Carro de giro rápido, como se diz, o Prisma ainda vive dos polpudos estoques nas lojas, mas caiu de 3.150 unidades em setembro para 2.070 em outubro (retração de 34%). Até janeiro ou fevereiro deve desaparecer do relatório de vendas. O Onix sedã (cujo nome definitivo ainda é misterioso) entrará em seu lugar em 2013.
A perua Volkswagen Parati respira por aparelhos. Emplacou 213 unidades em outubro, sendo 212 para frotistas (pessoas jurídicas).
A malfadada picape Peugeot Hoggar, séria candidata a sumir do mapa quando a francesa começar a fabricar o 208 no Brasil, em 2013, vendeu apenas 126 unidades no mês passado. No acumulado do ano, seus 2.004 emplacamentos são quase 50 vezes menos que os da líder, Fiat Strada.
Os números também mostram as dificuldades de adaptação das fabricantes ao novo regime automotivo e ao sistema de cotas de importação. Um exemplo é a Nissan, cuja estratégia no Brasil inclui a produção de alguns modelos cruciais no México -- sem sobretaxa aduaneira, mas agora com quantidade limitada.
March e Versa, por exemplo, têm seus emplacamentos em forte baixa: 123 e 52, respectivamente -- no ano, emplacaram 28.250 e 15.555, números bastante expressivos. Já a Livina, fabricada no Brasil, cresceu 14% no mês a mês. Ou seja, o problema não é com a marca.

Segundo a Fenabrave, a média diária de vendas de carros e comerciais leves foi por volta de 16 mil unidades. Os números mostram que o mês passado foi o melhor outubro da história.

RANKING
As quatro grandes montadoras mantiveram suas posições. Fiat em primeiro, com 24,71%, Volkswagen em segundo (21,58%), GM em terceiro (16,54%) e Ford na quarta colocação, com 9,16%. Na sequência vem Renault (6,49%), Honda (4,04%), Toyota (3,85%), Hyundai (3,21%), Citroën (2,13%) e Peugeot (1,90%).

Apesar da liderança da Fiat no mercado, o carro mais vendido foi o Gol, seguido por Uno e Palio. Nada muito diferente da lista de mais vendidos do mês anterior. Veja quais foram os 15 primeiros:

1º) VW Gol G5/G4 -- 27.737 (239.673)
2º) Fiat Uno/Mille -- 21.370 (218.970)
3º) Fiat Palio -- 18.824 (150.687)
4º) VW Fox/CrossFox -- 14.601 (142.429)
5º) Fiat Siena/Grand Siena -- 12.512 (80.007)
6º) Chevrolet Celta -- 12.074 (116.422)
7º) Fiat Strada -- 11.643 (97.312)
8º) VW Voyage -- 9.710 (78.144)
9º) Renault Sandero -- 9.429 (83.167)
10º) Chevrolet Classic -- 8.505 (80.569)
11º) Ford Fiesta/New Fiesta hatch -- 7.351 (98.789)
12º) Ford EcoSport -- 6.525 (27.966)
13º) Chevrolet Cobalt -- 6.377 (54.827)
14º) Ford Ka -- 6.274 (46.222)
15º) VW Saveiro -- 5.966 (55.119)

DESTAQUES
O informativo mostra alguns números surpreendentes e outros esperados. Um desses números que causaram surpresa foi o do Peugeot 308, que vendeu 1.604 unidades (1.171 em setembro) e tomou a segunda colocação do Hyundai i30 no segmento de hatches médios -- por apenas 26 carros o carro francês não alcança o Ford Focus, líder.

A Hyundai vendeu 3.312 unidades do HB20. Não dá para chamar de surpreendente por que o carro fez sucesso com o público em seu primeiro mês de vendas, mas este número se torna uma surpresa quando lembramos que o carro vendeu zero unidades em setembro e só chegou às lojas no dia 10 de outubro, segundo a Hyundai -- foram 21 dias de vendas, portanto.

Outro modelo que voltou a figurar no topo da lista (foi o segundo comercial leve mais vendido no mês) é o Ford EcoSport. É certo que as vendas ainda incluem algumas unidades da geração antiga e que seu crescimento já era esperado. Mas, note: foram 6.525 unidades vendidas em outubro contra 3.036 em setembro, praticamente o dobro.

Com a prorrogação do IPI reduzido até o dia 31 de dezembro, a previsão da Fenabrave para o final do ano é otimista: crescimento entre 4% e 4,8% do mercado de automóveis e comerciais leves.

Topo