Últimas de Carros

Honda cresce com Civic mais forte, Si cupê e Fit aventureiro a R$ 60 mil

Eugênio Augusto Brito/UOL
Honda Fit Twist é uma espécie de versão aventureira do monovolume, em geral tido como careta imagem: Eugênio Augusto Brito/UOL

Eugênio Augusto Brito

Do UOL, em São Paulo (SP)

A Honda pegou a contramão do mercado neste Salão do Automóvel de São Paulo e descartou o "downsizing" ao apresentar à imprensa nesta segunda-feira (22), e ao público em geral a partir de quarta-feira (24), carros maiores e versões mais fortes de modelos já existentes.

O primeiro a chegar é a versão aventureira do Fit, a Twist, nas lojas em novembro a R$ 57.900 (manual) ou R$ 60.990 (automática). O projeto, que é brasileiro, mantém o motor 1.5 do monovolume  "civil", mas molduras para carroceria e caixas de rodas, para-choques, rack de teto, rodas de aro 16 e, no interior, cromados no painel e revestimento sintético à prova d'água nos bancos são os diferenciais.

Até março, a Honda fortalece também a gama Civic: o atual motor 1.8 fica apenas na versão LXS, de entrada; as mais caras trocam de nome e de motor: a intermediária passa a ser a LXR, com motor 2.0 Flex One, de 155 cavalos, sem tanque de partida a frio. Acima, surge a EXR, com airbags laterais (além dos frontais). A marca japonesa diz trabalhar para manter a mesma faixa de preços.

O crossover CR-V pega o mesmo caminho, com motores 2.0 flex a partir de fevereiro de 2013 para as versões LX 4x2 e EXL 4x4, sempre conjugado a um câmbio automático.

O RETORNO
Os japoneses prometem ainda a volta do esportivo Civic Si para 2014, na versão cupê, com motor 2.4 i-VTEC DOHC a gasolina de 201 cavalos e câmbio manual de seis marchas. Há um entrave: o IPI (Imposto Sobre Produtos Industrializados), que atualmente faria o carro custar cerca de R$ 140 mil. A marca quer "forçar" o governo a rever sua mordida fiscal -- daí a presença do carro no Salão de São Paulo, que deverá ser visitado pela presidente Dilma e sua equipe na quarta-feira. De toda forma, afirma a marca, o Si chega em dois anos, mesmo que nada mude na composição de seu preço.

Haverá ainda a aparição do Accord renovado, agora na 9ª geração, com duas opções de motorização: 2.4 de quatro cilindros e 185 cv (com câmbio automático de cinco marchas) e 3.5 V6 i-VTEC de 278 cv (automático de 6 velocidades), ainda no primeiro trimestre do próximo ano.

PRODUTO BRASILEIRO
A apresentação da Honda foi capitaneada pelo chefão global Takanobu Ito, que anunciou também um investimento de US$ 100 milhões para a fabricação de um SUV compacto brasileiro até 2014. Quem esperava o anúncio do compacto Brio nacionalizado, ao menos por ora caiu do cavalo.

A Honda também vai trazer ao Brasil carros de sua divisão de luxo e performance Acura, até 2015. Os primeiros da lista são o SUV RDX, o sedã ILX e o esportivo NSX, trunfo da grife no Salão e carro que vale a pena ser admirado. É a cartada da Honda para encarar a arquirrival Toyota, que controla a Lexus.

  • Eugênio Augusto Brito/UOL

    Ainda conceitual, esportivo NSX está prometido e tem missão de fazer Acura decolar no Brasil

Topo