Últimas de Carros

Atualizada em 29.09.2012 06h46

Citroën estreia em China e Rússia o sucessor do C4 Pallas no Brasil

Claudio Luis de Souza/UOL
Citroën C4 L no Salão de Paris: pode não ser lindo, mas é bem melhor que o Pallas imagem: Claudio Luis de Souza/UOL

Claudio Luis de Souza

Do UOL, em Paris (UOL)

O C4 Pallas, sedã médio da Citroën lançado em 2007 e hoje um fracasso nas lojas brasileiras, será substituído (possivelmente já em 2013) pelo C4 L, versão alongada do atual C4 sedã europeu destinada aos chamados "mercados emergentes".

UOL Carros crava a chegada desse novo três-volumes com base em informações colhidas nos corredores do Salão de Paris, nesta sexta-feira (28), e também após Ivan Ségal, diretor comercial da Citroën no Brasil, negar que o sedã Elysée (gêmeo do Peugeot 301), de menor porte e voltado a um público menos sofisticado, possa um dia ser vendido no Brasil.

"Nossa estratégia para o Brasil é manter a imagem premium da Citroën", disse Ségal. "Jamais venderemos lá um carro de R$ 29.900". A gama da marca no país começa com o C3, na vizinhança dos R$ 40 mil.

Como a Citroën quer deslocar cerca de 50% de suas vendas globais para fora da França, é óbvio que num mercado promissor como o brasileiro ela precisa de um sedã médio decente. O cansativo e cansado Pallas não cumpre mais esse papel (algo que Ségal admite, ainda que relutantemente).

PRESIDENTE EM TEMPOS DE CRISE

  • Claudio Luis de Souza/UOL

    François Hollande (de óculos), presidente da França, chegou por volta de 16h (horário local) desta sexta-feira (28) ao Salão de Paris, que abre as portas ao público no sábado.

    O socialista iniciou a visita pelo estande da Citroën (foto), onde observou alguns carros acompanhado de executivos da marca.

    A França certamente não é o país mais atingido pela crise econômica europeia, mas as fabricantes de veículos locais amargam forte queda nas vendas, e seus trabalhadores já temem demissões em massa.

Este ano, até o final da 1ª quinzena de setembro, o Pallas emplacou no Brasil apenas 3.020 unidades (1,68% do segmento), segundo dados da Fenabrave (associação das concessionárias). É uma performance quase terminal: 13º lugar no segmento, perdendo até para importados de baixo volume, como o Mitsubishi Lancer. O líder entre os sedãs médios, o Toyota Corolla, vende 13 vezes mais.

No mesmo período de 2009, com cerca de dois anos no mercado, o Pallas emplacava 9.064 unidades (6,84% do segmento). A concorrência aumentou, e o sedã da Citroën ficou para trás. O hatch, um pouco mais vivo, também deve mudar no ano que vem.

ELE É LONGO
Com 4,62 metros de comprimento (ante 4,77 metros do Pallas) e acachapantes 2,71 metros de entre-eixos (igual ao do Pallas e 10 cm acima da média do segmento), o C4 L (de "longue", ou longo) vai estrear na China com duas opções de motorização: o THP de 1,6 litro, turbocomprimido, desenvolvido pela PSA em conjunto com a BMW, e uma unidade de 1,8 litro; o câmbio pode ser automático e sequencial de seis marchas.

Trazendo um visual mais ortodoxo que o do Pallas, e por isso mesmo menos enjoativo, o C4 L parece menor do que é. A cabine, no entanto, mostra do que é capaz um entre-eixos tão abundante. Não admira que o modelo tenha estreia marcada para a China, onde muitos dos novos proprietários de carro vão no banco de trás, pois simplesmente não sabem dirigir e contratam motoristas.

Salão de Paris 2012
Salão de Paris 2012
$escape.getHash()uolbr_tagAlbumEmbed('tagalbum','57636', '')

Viagem a convite da Anfavea

 

Topo