Hyundai HB20 parte de R$ 31.995 para bater de frente com o Gol

Claudio Luis de Souza
Do UOL, em Comandatuba (BA)

A Hyundai anunciou na noite desta quarta-feira (12) o preço inicial provisório do HB20, primeiro carro compacto da fabricante sul-coreana produzido no Brasil. O valor é de R$ 31.995 para a versão Comfort, com motor bicombustível 1.0 de três cilindros, câmbio manual de cinco marchas, direção hidráulica, ar-condicionado, computador de bordo e sem sistema ABS nos freios, mas com airbag duplo.

"Provisório", porque é certo que o novo carro da Hyundai terá uma versão mais em conta, talvez abaixo dos R$ 30 mil, despida desses itens acima. Mas ela não será lançada agora. 

As demais configurações do HB20, inclusive a mais cara, com motor bicombustível 1.6, câmbio automático de quatro marchas, airbags e também ABS, terão seus preços revelados quinta-feira (13). As vendas do carro devem começar por volta de 10 de outubro. O modelo, por ora apenas em carroceria hatchback (no ano que vem haverá um sedã e um aventureiro), é fabricado em Piracicaba (SP).

O HB20 com motor 1.0, de 12 válvulas com comando variável, entrega 80 cavalos de potência (6.200 rpm) e torque de 10,2 kgfm (4.500 rpm) quando abastecido com etanol. Já a configuração 1.6, também com comando variável nas válvulas (aqui, são 16), disponibiliza 128 cv (a 6.600 giros) e 16,5 kgfm (a 5.000 giros).

O presidente da Hyundai no Brasil, Chang Kyun Han, já havia dito a UOL Carros que o Volkswagen Gol é o "benchmark" do HB20, vale dizer, o produto já existente que o novo carro deve igualar ou superar. Por isso o preço anunciado do compacto da Hyundai (que dificilmente sofrerá alterações na hora de fechar negócio na concessionária) encaixa com o do veterano líder de mercado na versão correspondente. A marca sul-coreana ainda vai bancar garantia total de cinco anos, sem limite de quilometragem, para o HB20.

UOL Carros flagrou HB20 e mostrou cara do hatch antes
Veja Álbum de fotos

Para efeito de comparação, o Gol parte de R$ 27.900 com motor 1.0 de 76 cavalos (com etanol) e quase nada a bordo; com ar-condicionado, direção hidraulica, ABS e airbags, vai a R$ 32.950. Já o 1.6 de 104 cv  "pelado" parte de R$ 31.890 e vai a R$ 37.225 com os itens acima. O Gol I-Motion, opção automatizada do hatch, traz esses equipamentos em uma configuração que custa R$ 39.825 (ou R$ 34.490 sem eles). A garantia da Volkswagen para os principais componentes do carro é de apenas um ano, sem limite de quilometragem, com três anos para motor e câmbio.

Na ponta do lápis

  • R$ 31.995

    HB20 1.0

    (motor 3-cilindros, 80 cv/etanol, ar, direção hidráulica, comp. bordo, airbag duplo)

  • R$ 32.950

    Gol 1.0

    (motor 4-cilindros, 76 cv/etanol, ar, direção hidráulica, airbag duplo e ABS)

  • R$ 32.897

    Palio 1.0

    (4-cilindros, 75 cv/etanol, ar, direção hidráulica, airbag duplo e ABS)

  • R$ 30.790

    March 1.0

    (4-cilindros, 74 cv/etanol, ar, direção elétrica, trio elétrico e airbag duplo)

Pacotes com itens principais para os carros com preços aproximados ao do Hyundai HB20. Preços retirados dos sites das marcas.

É importante notar que a versão Comfort do HB20, essa apenas com airbag duplo, tem data para mudar e, provavelmente, ficar mais cara: a partir de 2014, todos os carros fabricados no Brasil terão de oferecer ABS e airbags como itens de série. A Hyundai aproveita o período legal de adaptação das montadoras à nova regra: o HB20 vai ser lançado com esses equipamentos em 60% das unidades.

O novo carro da Hyundai é o principal lançamento automotivo de 2012. Apesar de oferecer dois trens-de-força já conhecidos de modelos da co-irmã Kia (Picanto e Soul), no resto o carro é totalmente novo, pensado para o mercado brasileiro e, principalmente, livre das onerações tributárias que incorrem sobre carros importados (e que vieram para ficar, de um jeito ou outro).

Mais do que isso, o HB20 tem a missão de tornar a Hyundai num grande player automotivo no mercado do Brasil, operando a travessia entre seu atual status de importadora de carros desejados, mas pouco "tropicalizados", para um lugar -- pelo menos -- entre as cinco maiores do setor no país (hoje, Fiat, Volkswagen, General Motors, Ford e Renault).

A Renault, por sinal, já achou uma fórmula para manter-se na briga: seu alto volume de vendas no Brasil é de carros com DNA romeno (da Dacia). Já a Hyundai inicialmente manteve vivo (e verde-amarelo) o superado SUV Tucson, mas agora dá um um passo maior, inclusive quanto à qualidade, com o HB20.

Em termos quantitativos, é bom assinalar que em pouco menos de três meses, entre o começo de outubro e 31 de dezembro, a Hyundai já quer emplacar 25 mil unidades do HB20 no país. Em 2013, terá capacidade de produzir 150 mil carros, se a fábrica de Piracicaba operar em dois turnos. Em três turnos, poderia passar de 200 mil unidades -- e, por ora, estamos falando apenas de um modelo...

A matriz sul-coreana espera contar até o final do ano com cerca de 150 concessionárias customizadas para vender o HB20 -- um sinal da suposta fadiga na relação dela com o grupo CAOA, que vende os importados da Hyundai no Brasil. UOL Carros apurou que a fabricante trabalha com a hipótese de uma demanda superior à oferta, o que poderia provocar filas de clientes à espera de um HB20.    


A apresentação do HB20 à imprensa acontece em um resort na ilha de Comandatuba, na Bahia. O test-drive está marcado para esta quinta-feira (13).

UOL Carros já dirigiu o modelo em breve degustação dentro da fábrica da Hyundai, em julho. Naquele primeiro contato, o carro mostrou-se entusiasmante.

Na mesma ocasião, a reportagem viu uma unidade do hatch sem a camuflagem; e no mês passado flagrou o HB20 "despido" durante gravação de um comercial, em São Paulo. O carro "encolhe" a escola de estilo da escultura fluida, presente em modelos maiores da Hyundai, como os sedãs Elantra e o Sonata -- e é muito bonito.

Acompanhe UOL Carros para ter mais informações sobre o HB20, a serem publicadas entre esta noite e a sexta-feira (14).

Viagem a convite da Hyundai



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos