Últimas de Carros

Nissan Sentra 2013 segue eficaz e traz opção de visual levemente esportivo

Divulgação
Sentra 2013? Mudou pouco, mantendo bom pacote e conforto. Consumo poderia melhorar imagem: Divulgação

André Deliberato

Do UOL, em São Paulo (SP)

A Nissan lançou a linha 2013 do Sentra no Brasil há algum tempo, mas quase passou despercebido. O carro não teve alterações mecânicas ou estéticas -- a única novidade do modelo é o pacote chamado "Black Mask", opcional que dá ao comprador a possibilidade de escurecer faróis e lanternas do carro, por R$ 200, e ainda associar a função Bluetooth ao sistema de som, ao custo de R$ 300.

Fora isso, o Sentra se manteve o mesmo. Vem equipado de série com freios ABS (antitravamento) com EBD (distribuição da força de frenagem), rádio com MP3 com seis alto-falantes e entrada para iPod, direção elétrica, vidros e travas elétricos e rodas de 16 polegadas. A lista de equipamentos completa você pode conhecer clicando aqui.

O trem-de-força é sempre formado pelo motor 2.0 flex de 143 cv e 20,3 kgfm de torque (com etanol ou gasolina) acompanhado de câmbio manual, a partir de R$ 48.890, ou CVT (sistema de polias simulando marchas infinitas) em diferentes versões e preços que chegam até R$ 63.490 -- vale lembrar que estes valores incluem o desconto do IPI e são válidos somente até o final de agosto. 

  • Faróis e lanternas escurecidos custam R$ 200 e dão leve sensação de esportividade ao Sentra

IMPRESSÕES
UOL Carros rodou com uma unidade topo de gama do modelo (R$ 63.490) e mantém as impressões registradas em 2009 (afinal, o carro é o mesmo) -- à época, a Nissan lançava a versão flexível do carro, que havia ficado famoso pela campanha publicitária que dizia que "não tem cara de tiozão".

Ele continua confortável e espaçoso. Sem proposta esportiva, o Sentra cumpre bem o que oferece: ser um sedã médio com preço atraente em relação aos concorrentes, sem deixar de oferecer a mesma quantidade de equipamentos -- ou até mais.

Sua suspensão é anestesiada e absorve bem as imperfeições do asfalto (característica típica de boa parte dos sedãs médios) e a direção elétrica responde bem aos comandos, leve em manobras urbanas e com peso ideal na estrada.

O consumo com etanol não agrada: 5,2 km/l na cidade.

Já o sistema opcional de telefonia por Bluetooth é nota dez: ele faz e recebe as chamadas do telefone sem aquele atraso de um ou dois segundos e os comandos do volante são intuitivos e fáceis de se manusear, tanto para as ligações quanto para as configurações musicais do seu telefone.

  • Sentra segue oferecendo bom nível de equipamaentos. Kit de Bluetooth tem comandos intuitivos

Topo