Renault lança Sandero e Logan 2013 sem mudá-los e cria novo motor 1.6

André Deliberato
Do UOL, em Curitiba (PR)

  • Estrelas da nova linha são motor 1.6 8V revisto e renomeado e volta do Sandero GT Line

    Estrelas da nova linha são motor 1.6 8V revisto e renomeado e volta do Sandero GT Line

Carros-chefes da Renault no Brasil, com 57% do total de vendas da marca, Sandero e Logan viraram de ano e ganharam modelo 2013. Ainda assim, a apresentação à imprensa especializada feita nesta quinta e sexta-feira (22 e 23), em Curitiba (PR), não mostrou qualquer mudança estética. A única alteração digna de nota é a troca do antigo motor 1.6 8V, chamado de Hi-torque, pelo mais potente, e segundo a Renault menos beberrão, Hi-power.

GT LINE

  • Divulgação

    Outra novidade foi o retorno da versão GT Line do Sandero. Antes uma série limitada, inaugurada em 2010, agora virou versão. As principais diferenças em relação a um Sandero "comum" são estéticas -- e não diferem tanto do mostrado no GT Line de 2010.

    A dianteira ganha para-choque redesenhado e faróis com máscara negra. Os retrovisores e o aerofólio recebem pintura preta e a lateral, adesivos decorativos. As rodas são de liga leve de 15 polegadas, exclusivas da versão, e a parte traseira adota um extrator de ar, na parte de baixo do para-choque, junto à saída de escape cromada. As lanternas também são escurecidas.

    No interior, bancos, volante e a alavanca de câmbio têm costura vermelha. As saídas de ar também têm contorno dessa cor, da mesma forma que o painel de instrumentos, que ainda conta com o logo da versão. (AD)

Os preços da linha 2013 subiram ainda 1%, mas, segundo Gustavo Schmidt, vice-presidente comercial da Renault, eles diminuíram proporcionalmente, já que antigos opcionais pouco comprados foram integrados aos modelos como itens de série.

O presidente da Renault do Brasil, Olivier Murguet, afirmou que o plano da marca é manter o Sandero entre os 10 modelos mais vendidos do país. Questionado por UOL Carros, Schmidt disse que as estratégias da fabricante estão preparadas para quando rivais de peso entraram no mercado -- casos de Hyundai HB20, Chevrolet Onix e Toyota Etios -- e para os recém-atualizados Volkswagen Gol, Fiat Punto e Citroën C3.

"Os clientes da linha Sandero e Logan estão satisfeitos. Vamos ficar de olho nas movimentações do mercado que estão por vir, mas estamos confiantes. Os números provam. Os carros têm ótimo custo-benefício, sem contar a vasta rede de concessionários, os baixos preços de revisão e a garantia de três anos", afirmou o executivo.

PREÇOS
Veja abaixo a nova lista de preços dos modelos Sandero e Logan, que não contam com o provável aumento do IPI (o prazo estabelecido pelo governo para a venda de carros com a redução do imposto vence no próximo dia 31 de agosto):

Sandero 1.0 16V Authentique -- R$ 27.030
Sandero 1.0 16V Expression -- R$ 32.610
Sandero 1.6 8V Expression -- R$ 35.930
Sandero 1.6 8V GT Line -- R$ 38.470
Sandero 1.6 8V Privilège -- R$ 38.470
Sandero 1.6 16V Privilège automático -- R$ 41.750
Sandero 1.6 8V Stepway -- R$ 40.660
Sandero 1.6 16V Stepway Rip Curl automático (série limitada) -- R$ 41.150
Sandero 1.6 16V Stepway automático -- R$ 44.870

Logan 1.0 16V Authentique -- R$ 26.450
Logan 1.0 16V Expression -- R$ 31.770
Logan 1.6 8V Expression -- R$ 35.480
Logan 1.6 16V Expression automático -- R$ 39.230

A Renault diz que os novos preços "ainda estão por serem definidos, caso a medida [IPI] não seja prorrogada".

MOTORES
O novo motor 1.6 de 8 válvulas, chamado pela Renault de Hi-power, não é... novo. Você o conhece. Trata-se do mesmo 1.6 de 8V atual, conhecido como Hi-torque. A estratégia da marca foi recalibrá-lo, utilizando materiais mais leves e resistentes, para melhorar os índices de emissões e, consequentemente, o consumo de combustível.

O trabalho teve resultado. Antes o propulsor gerava 95 cv e 14,1 kgfm de torque com etanol e 92 cv e 13,7 kgfm de torque com gasolina. Agora, após mais de 7 mil horas e 100 mil quilômetros de pesquisas, o motor rende 106 cv e 15,5 kgfm de torque com álcool e 98 cv e 14,5 kgfm de torque com gasolina no tanque.

A Renault não deu números (pois os motores ainda não passaram pelo programa de etiquetagem brasileiro do Inmetro), mas afirmou que o consumo de combustível melhorou 10% no ciclo rodoviário e 5% na cidade. A velocidade máxima dos modelos é de 174 km/h e 172 km/h, com etanol e gasolina, respectivamente.

Notou na tabela de preços que as versões com câmbio automático têm motor 1.6 de 16V? Cabe explicação: esses carros não utilizarão o novo motor Hi-power de 8 válvulas e mantêm o conhecido 1.6 Hi-flex, de 112 cv e 15,5 kgfm com etanol e 107 cv e 15,1 kgfm com gasolina no tanque.

EQUIPAMENTOS
As versões Authentique, de entrada, vêm sem ar-condicionado, alarme, travas e vidros elétricos e direção hidráulica -- equipamentos que passam a ser de série nos carros com o sobrenome Expression.

A Renault optou por padronizar os principais pacotes opcionais e excluir outros que eram pouco adicionados pelos clientes. Clique aqui para ver a tabela de preços sugerida pela Renault com inclusão dos itens opcionais.

titulo-box Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos