Vendas de carros na China desaceleram; Mitsubishi 'entrega' fábrica na Holanda

Da Reuters
Em Pequim (China) e Tóquio (Japão)

O crescimento das vendas de automóveis na China perdeu força à medida que a desaceleração da economia do país afetou a confiança do consumidor, com potenciais compradores resistindo a grandes descontos e promoções de montadoras como Ford e Toyota.

As vendas gerais, incluindo as de carros de passageiros e veículos comerciais, cresceram 2,9% no primeiro semestre sobre um ano antes, para 9,6 milhões de veículos, mostraram dados divulgados pela associação chinesa de montadoras, a CAAM.

O dado se compara ao ganho de 3,4% no período há um ano e ao salto de 48% na primeira metade de 2010. Com a desaceleração, os altos níveis de estoques tornaram-se uma dor de cabeça comum para montadoras e concessionárias.

"Anteriormente, apenas concessionárias que vendiam marcas locais chinesas estavam sob pressão de estoques, mas agora aquelas que lidam com marcas estrangeiras também começaram a sentir os efeitos", disse Cui Dongshu, vice-secretário-geral da Associação Chinesa de Carros de Passageiros à Reuters em recente entrevista.

Para muitas concessionárias que vendem BMWs ou outros modelos de luxo, os estoques nos últimos meses cresceram de 60 para 90 dias, comparados com níveis normais de 30 a 45 dias, segundo executivos do setor.

UM TOSTÃO
A fabricante japonesa Mitsubishi Motors disse nesta quarta-feira (11) que venderá sua fábrica de carros na Holanda, a única que possui na Europa Ocidental, para a fabricante local de ônibus VDL Group pelo valor simbólico de 1 euro, sob a condição de que os 1,5 mil empregados não sejam demitidos.

A venda permitirá à Mitsubishi focar mais nos mercados emergentes, onde o crescimento deve ser maior que o de países desenvolvidos. A fabricante iniciou novas linhas de produção na Indonésia e Tailândia neste ano e está estudando aumentar a produção na China e no Brasil.



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos