Consumidor mais exigente bomba Civic em maio; venda de carro novo sobe 12%

André Deliberato
Eugênio Augusto Brito
Do UOL, em São Paulo (SP)

O governo mexeu no IPI (saiba mais aqui), de olho num cenário que ainda não é, mas que poderia levar à queda do consumo e consequente crise. As fabricantes, por sua vez, repassaram o corte provisório do imposto ao preço dos carros com motorização entre 1 e 2 litros (veja aqui). E o resultado, divulgado nesta terça-feira (5), pela Fenabrave (entidade que reúne os concessionários de carros do país) foi de certa forma positivo. A alta de 12,1% na venda de carros novos em maio na comparação com abril mostra que o consumidor voltou às lojas, mas ainda com alguma precaução. Como o crédito segue apertado, o comprador que tem acesso real aos carros é mais exigente, tem melhores condições financeiras e, com isso, tem optado por comprar modelos que justifiquem mais o gasto: vai para garagem o carro lançado recentemente e, preferencialmente, com retorno garantido no momento da revenda.

Com esta escolha, o que se viu é que o consumidor nem sempre levou para casa o carro mais barato. É o caso claro do sedã Honda Civic, que estreou nova geração no final do ano passado e agora, seis meses depois, assume o posto de carro médio mais vendido do país, ultrapassando o arquirrival Toyota Corolla (que é um projeto mais velho, tendo passado apenas por face-lift no último ano), encostando no ranking principal, repleto de carros compactos, e contrariando análises mais racionais, como fez UOL Carros, inclusive. De acordo com a nova tabela divulgada pelas montadoras, o Civic mais barato (LXS 1.8 manual) custa R$ 62.990, enquanto o Corolla mais em conta (XLi 1.8 manual) sai por R$ 59.950, mais de R$ 3 mil de diferença. O carro da Toyota, porém, segue líder no acumulado anual.

O mesmo pensamento explica a ascensão da Chevrolet, que com mais lançamentos feitos no ano (desde janeiro, surgiram S10, Cruze hatchback e Sonic hatch e sedã, além de Cruze e Cobalt que haviam sido lançados no final de 2011) ultrapassou a Volkswagen, que só tem o novo Fox BlueMotion e a versão automatizada do CrossFox de novidades relevantes. Ambas seguem atrás da Fiat, líder.

O movimento deve alterar a percepção do mercado, como explica pelo presidente da Fenabrave, Flávio Meneghetti: "Hoje não existe mais financiamento sem entrada, ou seja, não teremos novos perfis de consumidores entrando no mercado. Ao mesmo tempo, o número dessas novas fichas cadastrais de financiamento aumentou, mudando o perfil do antigo cliente. Isso deve se refletir em um crescimento de 2,5% do PIB e, possivelmente, nas vendas".

Ainda assim, a entidade mantém os dados um pouco mais pessimistas do último mês, com uma expectativa de que o ano de 2012 se encerre com alta de 3,5% em relação a 2011, o que vai configurar um novo recorde, mas menos expressivo que aquele pensado em janeiro, quando todos davam como certa uma alta de 4,5% e 5%.

OS NÚMEROS
De acordo com o balanço completo da Fenabrave (cuja tabela pode ser baixada clicando aqui), a venda de carros de passeio e veículos comerciais leves zero-quilômetro no país subiu 12,11% na comparação de maio com abril, com um total de 274.490 emplacamentos. A relação para 2011, porém, segue ruim, já que há um ano o mercado consumiu um total de 300.465 unidades (queda de 8,65%).

No acumulado de 2012, com vendas feitas entre janeiro e maio, foram emplacadas 1.295.913 unidades de carros de passeio e comerciais leves, contra 1.350.987 unidades no princípio de 2011 (baixa de 4,37%).

Considerando o setor de automóveis como um todo, colocando motos, ônibus, caminhões e implementos rodoviários na conta, o total de emplacamentos em maio foi de 455.122 unidades (contra 406.479 em abril), com acumulado no ano de 2.169.733 unidades. Em 2011, os números foram de 507.209 em maio (tombo de 10,27%) e 2.266.304 no acumulado (queda de 4,26%).

FABRICANTES
Entre as montadoras, a Fiat segue na liderança do mercado, com participação de 21,67% (59.484 emplacamentos em maio), seguida agora pela Chevrolet (19,96%, com 54.780).

A Volks é a terceira (19,8% ou 54.337), com Ford (8,84% e 24.269 emplacamentos), Renault (6,35%, 17.4354), Honda (3,93%, 10.789), Nissan (3,22%, 8.849), Toyota (3,02%, 8.302), Hyundai (2,68%, 7.370) e Peugeot (1,92%, 5.269) completando as dez maiores.

MAIS VENDIDOS
A lista dos 15 modelos mais vendidos em maio, somando carros de passeio e veículos comerciais leves, traz o hatch compacto Volkswagen Gol como líder, seguido por Uno e Palio, da Fiat. O ranking é o que se segue, com o número total de vendas de cada carro no acumulado do ano entre parênteses:

1. Volkswagen Gol -- 20.937 unidades (99.294 unidades no ano)
2. Fiat Uno -- 17.459 (92.868)
3. Fiat Palio -- 12.659 (60.064)
4. Chevrolet Celta -- 11.741 (47.898)
5. Volkswagen Fox/CrossFox -- 10.545 (53.706)
6. Fiat Strada -- 9.868 (44.382)
7. Chevrolet Classic -- 9.575 (40.420)
8. Ford Fiesta -- 9.384 (43.985)
9. Renault Sandero -- 6.986 (33.928)
10. Volkswagen Voyage -- 6.802 (33.664)
11. Fiat Siena/Grand Siena -- 6.685 (27.255)
12. Chevrolet Agile -- 5.477 (25.199)
13. Volkswagen Saveiro -- 5.455 (22.321)
14. Chevrolet Montana -- 4.664 (18.504)
15. Chevrolet Cobalt -- 4.569 (25.304)

Além do Civic, que seria o 16º colocado do mês (4.509 unidades), à frente do Corolla (4.123), aparecem com boas vendas o SUV compacto Renault Duster (3.333 unidades), contra 2.102 do Ford EcoSport e 1.758 do Honda CR-V; e a a nova Chevrolet S10, que entregou 3.362 unidades para bater a rival Toyota Hilux (3.116 emplacamentos).



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos