Citröen coloca novo C3 e estiloso DS3 para circular

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • Jair Toledo Jr./UOL

    Pouca camuflagem, placa de Porto Real (RJ) e retrovisores com capa cromada: novo C3 local

    Pouca camuflagem, placa de Porto Real (RJ) e retrovisores com capa cromada: novo C3 local

Lá se vão quase dez meses desde os primeiros flagras da segunda geração do hatch Citroën C3 no Brasil. Na ocasião do aparecimento das primeiras unidades, ainda com camuflagem pesada e até mesmo artifícios como lanternas falsas (na vertical, sobre a coluna traseira, enquanto as lanternas originais do carro ficam mais abaixo e na horizontal), a Citröen desconversou e afirmou não ter qualquer expectativa de lançar o modelo por aqui a curto prazo. Mas o tempo passa.

Passa e traz novidades, como as imagens que justificam esta nota: quase sem maquiagem, apenas com algumas coberturas adesivas estrategicamente posicionadas sobre o logo da marca, detalhes de faróis e lanternas, frisos e fendas das tampas de capô e porta-malas, o novo C3 mostra que já está adaptado ao terreno e praticamente pronto para nosso mercado. As fotos foram feitas na última quarta-feira (11) e enviadas por Jair Toledo Jr. -- não só a UOL Carros, mas para diversas publicações especializadas, numa ação que aparenta ser proposital e com o objetivo de dar visibilidade ao produto.

  • Foto de divulgação mostra C3 europeu (esquerda), semelhante ao modelo visto no RJ (à direita)

Repare na qualidade dos cliques, rara em fotos habituais de segredos -- na primeira imagem, totalmente frontal, é possível ver detalhes do carro, como o novo formato do logotipo da marca; a divisão do capô, que mesmo sob adesivo se revela com abertura mais elevada em relação ao atual, e seu recorte para acomodar os faróis irregulares; o para-brisa panorâmico, também "oculto" sob adesivo, que amplia o campo de visão do motorista (mas também deixa passar excesso de sol num país tropical), vendido como diferencial do modelo europeu; espelho retrovisores com capa cromada, como vistos no AirCross -- este carro, aliás, antecipou o interior do novo C3 no Brasil; a imagem registra até mesmo o ar efervescente, fazendo imaginar o calor da tarde derretendo o asfalto.

Nas outras fotos, detalhes como frisos cromados, desenho de vidros e o formato em bumerangue das lanternas, ainda que adesivos recubram sua seção horizontal, também são perceptíveis.

  • Lanternas do tipo bumerangue, logo e cromados (esq.) são cobertos no carro flagrado (dir.)

Perceptível também é o rearranjo do discurso de fontes ligadas à Citroën, que agora afirmam que há uma "intenção em desenvolver e evoluir o produto", ainda que o C3 atual esteja "vendendo bem, com média de 2,8 mil/3 mil unidades ao mês" (o mistério é justamente para não afetar essas vendas). A marca não revela uma data, mas é certo que o novo C3 faz seus últimos ajustes -- e é certo que ele deve utilizar o novo motor 1.6 flex, sem tanquinho para partida a frio, que já é vendido na configuração de entrada do médio Peugeot 308 -- antes de substituir o velho C3.

Que aliás, mostra sinais claros de estar dando seu "canto de cisne", o que no mercado automotivo significa ter preço e pacotes atraentes como nunca: completo, incluindo teto solar elétrico, é encontrado em qualquer loja por menos de R$ 38 mil.

Na Europa, onde conta com cerca de dez opções de motorização, o novo C3 parte de 13.300 euros (cerca de R$ 32 mil na conversão direta). Mais perto, no Chile, onde chega por importação da França com motores 1.4 e 1.6 a gasolina, sai pelo equivalente a algo entre R$ 28.800 e R$ 38.800.

Novo C3 e DS3 estão perto
Veja Álbum de fotos

ANTES, O DS3
A Citröen, no entanto, tem novidade confirmada e (quase) imediata: o estiloso DS3, compacto da série de luxo e personalização da marca, desembarca oficialmente em junho, apontam nossas fontes. Após flagras já sem qualquer cobertura feitos no Rio, foi a vez da cidade de São Paulo receber uma unidade do carro.

As imagens de José Rui mostram uma opção com carroceria pintada de azul metálico e o teto de branco sólido. Diferente dos anteriores (brancos e com placas verdes de teste), este DS3 tinha placa cinza, típica de carros particulares. Sob o capô, o carro deve manter o motor 1.6 de  156 cavalos e câmbio de seis marchas que utiliza mundo afora. Comprimento e entre-eixos são idênticos aos do novo C3: 3,94 e 2,46 metros, respectivamente.

A mira do DS3 está definida: vai concorrer com os mesmos adversários que tem na Europa, Audi A1 e Mini Cooper. A faixa de preços será semelhante e deve variar entre R$ 85 mil (num cenário favorável de câmbio e política -- lembre-se do super-IPI para importados de fora do Mercosul-México) e R$ 95 mil (mais salgado, mas mais realista). Na Argentina, onde já é vendido, custa o equivalente a R$ 67.200 reais.

Só não está definido se o estilo do DS3 vendido por aqui permitirá doses mais abusadas de personalização, com estampas de onça e cores chamativas. Arriscamos que não, mas quem sabe haja espaço para surpresas...
 



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos