Últimas de Carros

Quer trocar carro pela moto? Veja 8 dicas para acelerar adaptação

Infomoto
São vários os motivos para trocar as quatro pelas duas rodas: gastam menos combustível, são mais ágeis e oferecem manutenção mais barata imagem: Infomoto

Cicero Lima

Colunista do UOL

Trocar o uso do carro pela motocicleta pode ser a solução para quem necessita se deslocar com agilidade e economia. Argumentos não faltam a favor dos veículos de duas rodas: algumas percorrem mais de 40 quilômetros com um litro de combustível, não ficam presas nos congestionamentos, estacionam com facilidade e têm baixo custo de manutenção.

Com tantas vantagens, é natural que muita gente veja na moto a solução para não perder tempo e dinheiro nas grandes cidades. Entretanto, substituir o uso de um pela outra demanda adaptações na técnica de condução e na forma de enxergar o trânsito. Veja abaixo oito dicas para facilitar e acelerar o processo:

1) Cuide do preparo físico

Se a maioria dos automóveis já conta com a facilidade da direção assistida, manejar uma moto, por mais leve que seja -- Honda Pop 110i e Yamaha T 115 Crypton, por exemplo, pesam menos de 100 kg -- exige o mínimo de preparo físico. Ao estacionar, é necessário apoiar os pés no chão e ter força para manobrar a moto com o motor desligado. 

2) Seja (ainda mais) atento

Claro que todo motorista deve estar sempre alerta com os acontecimentos ao seu redor, mas com as motos o cuidado, a atenção e o reflexo devem ser ainda mais apurados. Caso contrário, num acidente, quase sempre é o motociclista quem tem mais chances de se dar mal. Por esse motivo é que se usa o termo "piloto" para designar condutores de motos, aviões e barcos, veículos que exigem maior habilidade e interação com o veículo. Já os carros são dirigidos. 

Infomoto
Motorista de moto passa por saída de posto de combustível ao mesmo tempo em que picape entra na via: motociclista precisa estar ainda mais alerta aos imprevistos do trânsito imagem: Infomoto

3) Tenha habilitação tipo “A”

Quem já tem a CNH para dirigir automóveis terá maior facilidade para obter a popular “Carteira de Moto”, da categoria “A”. Neste caso, dispensa-se o exame teórico: o candidato deverá fazer exame médico e passar por 15 aulas práticas de 50 minutos antes de ser submetido ao exame prático. O processo dura em média 45 dias e custa entre R$ 800 e R$ 1.000 na cidade de São Paulo.

4) Saiba qual modelo atende suas necessidades

Na hora de escolher a moto, a decisão deve ser racional e levar em conta necessidades, características físicas e ambiente de uso. Quem vai percorrer rodovias precisa de uma moto com melhor desempenho, como os modelos de 250 e 300 cc. Para uso estritamente urbano uma street de 150 cc pode ser suficiente. Modelos de porte maior, como as trails, recomendados para passeios na estrada, exigem habilidade e certa experiência, enquanto scooters e motonetas tendem a complicar a vida de pessoas muito altas. Capacidade de bagagem ou transporte de garupa também devem ser levados em conta. 

5) Conheça bem a moto antes de usá-la

Ler atentamente o Manual do Proprietário é fundamental para conhecer todos os instrumentos da motocicleta e aprender até a regulá-la para deixá-la mais adequada ao seu biótipo. 

Infomoto
É preciso ter CNH tipo "A" para poder pilotar uma moto no trânsito imagem: Infomoto

6) Invista em equipamentos de segurança

Não caia na cilada de querer economizar com itens de segurança. Procure pesquisar a procedência da marca e prefira materiais de qualidade, mesmo que mais caros. Além do capacete (obrigatório), usar botas, luvas e jaqueta garantem conforto e segurança em situações um dia de chuva, por exemplo. Um conjunto com todos esses itens gira em torno de R$ 1.200. O valor parece elevado, mas vale a pena: em caso de queda, você estará mais protegido. Ah, e não esqueça de levar em conta o garupa nas compras.

Infomoto
Investir em cursos de pilotagem permite aprender a agir em situações de emergência e, mais do que isso, preveni-las imagem: Infomoto
7) Treine até ganhar confiança

Motociclistas recém-habilitados têm pouca noção prática de como pilotar nas ruas. Para adquirir experiência e ganhar confiança a bordo da moto, é recomendável trafegar por vias de pouco fluxo e em horários de menor tráfego, como em finais de semana. A transição para o trânsito mais movimentado deve ser gradual e feita sempre com cautela.

8) Invista em cursos de pilotagem

A partir de R$ 240 é possível aprimorar as técnicas de pilotagem. A ABTrans, por exemplo, oferece curso rápido de quatro horas que aborda temas como frenagem, curvas, pilotagem em piso molhado, uso de equipamento de segurança etc. Mais do que saber como agir em situações de risco, o motociclista aprende a preveni-las.

Cicero Lima é especialista em motocicletas e motociclistas.

Topo