Últimas de Carros

Linha 2016 da Harley aposta em moto mais personalizável

Arthur Caldeira

Da Infomoto, em Barcelona (Espanha)

A motocicleta vista como uma tela preta, pronta para ser personalizada. Esta é a filosofia da linha Dark Custom da Harley-Davidson. Com novas suspensões e acabamentos, os modelos Iron 883 e Forty-Eight apostam no visual minimalista para atrair o motociclista urbano e jovem que busca uma moto com traços exclusivos.

“Queremos destacar mais a estrutura básica, para convidar o consumidor criar sua própria moto”, explicou o diretor de estilo da marca, Brad Richards, durante o lançamento mundial da linha 2016, realizado em Barcelona (Espanha).

Outra novidade é a adoção de um motor de maior capacidade cúbica para a família Softail, que, no Brasil, inclui os modelos Fat Boy, Deluxe, Heritage e Breakout. Caracterizadas pelo duplo amortecedor traseiro “escondido” sob o motor, as motos passam de 1.600 para 1.700 cc, para oferecer mais potência (embora os dados não tenham sido divulgados) e torque (de 12,1 para 14,4 kgfm), gastando assim menos combustível.

Os lançamentos da linha 2016 serão atração da marca no Salão Duas Rodas 2015, em outubro, e devem chegar às lojas brasileiras em breve. Outros novos produtos, como uma versão “S” da Fat Boy, com motor mais apimentado, e a relançada grã-turismo Road Glide Ultra não estão nos planos da subsidiária brasileira.

Iron 883

Divulgação
imagem: Divulgação
Repaginada e com novo conjunto de suspensões (incluindo amortecedores traseiros ajustáveis) e rodas, a Iron 883 está ainda mais dark e "crua": ponteiras de escapamento e tampa do filtro de ar passaram a ser pintados de preto; rodas de liga leve têm novo desenho e "emagreceram" 3,7 quilos; o banco foi redesenhado e ganhou camada extra de espuma, a fim de aumentar o conforto, corrigindo uma velha reclamação dos consumidores.

Em um primeiro contato na estrada, suspensões e assento mostraram ter realmente ficado mais bem ajustados. 

Forty-Eight

Divulgação
imagem: Divulgação
Traz garfos completamente novos, de 49 mm de diâmetro, na dianteira, para absorver de forma mais progressiva as imperfeições do solo. Na traseira, foi adotado sistema bichoque ajustável e mais robusto. Além disso, teve o visual estiloso atualizado: ponteiras de escape cromadas e pintura do tanque com linhas horizontais são soluções inspiradas em modelos dos anos 70. Entretanto, a Forty-Eight ainda ostenta seus traços mais marcantes: pneus largos (130 mm na dianteira), paralamas cortados e retrovisores posicionados sob o guidão.

Em um curto teste de 100 quilômetros, o banco, levemente reestilizado, continuou a deixar explícitas suas limitações para viagens mais longas, assim como o pequeno tanque estilo “amendoim” de 7,9 litros, que proporciona pouco mais de 140 km de autonomia. O motor é da mesma família Evolution V2 da Iron, porém com 1.200 cm³.

Softails mais fortes

Divulgação
imagem: Divulgação
O renovado motor Twin Cam 103 High Output de 1700 cc, utilizado em modelos Touring e mais luxuosos, agora vai equipar também a linha Softail. Ajustado para proporcionar mais potência e torque, ele teve o comando de válvulas redimensionado e a caixa de ar redesenhada, para melhorar a entrega de torque em baixos giros (especialmente arrancadas e retomadas).

Maior e mais moderno do que o atual Twin Cam 96 que equipa a família, o novo propulsor agrega acelerador eletrônico e já vem preparado para instalação do piloto automático, embora este último item só seja de série nos modelos Deluxe e Heritage Classic. Esta última, aliás, foi reestilizada, ganhando novos detalhes e ares ainda mais nostálgicos.

Para o Brasil, além dos quatro modelos já existentes, um outro deve começar a ser importado, já equipado com o motor maior: a Slim. De caráter minimalista, a moto remete ao visual da Fat Boy, porém com rodas raiadas e banco único.

Viagem a convite da Harley-Davidson.

Topo