Duas Harleys relembram locais históricos em passeio pelo Rio

Aldo Tizzani

Da Infomoto, no Rio de Janeiro (RJ)

Conhecer os balcões onde foram apoiadas mãos de presidentes da república, chapelarias visitadas por poetas como Vinícius de Moraes ou confeitarias onde se reunia a nobreza europeia para o chá da tarde são as novas atrações turísticas do Rio de Janeiro. Como parte das comemorações de seus 450 anos celebrados em 2015, a capital fluminense ganhou um roteiro com os mais tradicionais estabelecimentos que fazem parte do cotidiano carioca há mais de um século.

Para Washington Fajardo, presidente do Instituto Rio Patrimônio da Humanidade (IRPH), órgão ligado à prefeitura da cidade, "estes locais formam um patrimônio cultural e dão um novo sentido para vida na cidade". Em vez de visitar o Corcovado e o Pão de Açúcar, por exemplo, Infomoto foi até a "Cidade Maravilhosa" relembrar a história de alguns destes lugares centenários.

Sylvio Junior/Infomoto
Harley-Davidson Street Bob e Forty Eight chamam a atenção pelo estilo clássico
Para essa volta ao passado, escolhemos duas motocicletas da Harley-Davidson, outra marca centenária, que comemora 112 anos em 2015. A bordo de uma Street Bob e uma Forty Eight (ambas com propostas urbanas), circulamos pelo centro velho. O Instituto Rio relacionou diversos locais para compor a categoria de atividade econômica tradicional e notável. Assim, o comércio secular da região Central e de Copacabana e chapelarias, lojas de cofres, tabacarias, lojas de música, confeitarias, sebos e gráficas foram selecionados para ter suas atividades protegidas. Dessa forma, esses locais passaram a fazer parte da cultura da cidade.

O projeto, que existe desde a década de 1990, a partir de 2010 começou a agrupar o patrimônio por temas, além de abranger assuntos ligados à cultura. Atualmente são 10 circuitos: da Liberdade, Art déco, dos Cinemas, do Trem, dos Botequins, das Águas, do Samba, da Bossa Nova, da Praça Tiradentes e do Choro.

Hoje, há cerca de 190 placas em toda a cidade. A meta do IRPH é colocar outras 260 até o final do ano. "Dessa forma queremos ajudar a manter vivos negócios que fazem parte da vida do Rio de Janeiro", explica Fajardo. Para conhecer as atrações, reserve pelo menos um final de semana. Prepare seu apetite para degustar receitas seculares e conhecer um pouco da história do cotidiano carioca, em um tempo que o Rio de Janeiro era o centro do Brasil.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos