Yamaha VMax chega aos 30 anos com força e estilo de muscle car

Carlos Bazela

Da Infomoto

O ano era 1985. Os famosos "muscle cars", com seus motores imensos que mal cabiam no capô, faziam a cabeça dos fanáticos por desempenho. Atsushi Ichijo, projetista da Yamaha, decidiu implantar a mesma filosofia para o mundo das motocicletas. Nascia ali a Yamaha VMax, um modelo com corpo de custom, ciclística de naked esportiva e potência quase incontrolável.

Neste mês, este ícone da marca nipônica completa 30 anos de existência, sendo o principal exemplar entre as power cruisers do mercado.

Um dos maiores responsáveis pelo sucesso foi o motor V4 de 1.200 cc, herdado da touring Venture Royale. Na época, ele era capaz de gerar 143 cv de potência, nada tão absurdo, mas proporcionava aceleração impressionante ao empregar, logo nos primeiros giros, quase a totalidade dos 8,5 kgfm de torque. 

Divulgação
"Ela separa os meninos dos homens"; assim as primeiras peças publicitárias da Yamaha VMax definiam a power cruise
O visual distinto também contribuiu: caracterizada em todas as gerações pelas entradas laterais em formato de cornetas, a VMax mudou pouco no decorrer dos anos. Embora alguns detalhes tenham sido alterados nas reestilizações -- tais quais pintura, cor das rodas e elementos mecânicos como garfo da suspensão e pistões extras inseridos nas pinças do freio dianteiro --, os traços ficaram praticamente inalterados entre 1985 e 2007, quando a VMax original deixou de existir.

RENASCIMENTO
Em 2005, a Yamaha apresentou no Salão de Tóquio um ousado conceito de power cruiser que, muito provavelmente, chegava para susbtituir a velha VMax. "Os entusiastas esperavam por uma nova reestilização, mas sabíamos que era hora de desenvolver uma máquina completamente nova", revela Oliver Grill, gerente de produto da Yamaha na Europa.

Abrutalhado e com linhas futuristas, que incluíam dois escapes duplos, o protótipo mantivera do projeto original apenas as tradicionais entradas de ar ao lado do tanque e o motor "V4", porém aumentado para 1.700 cc. Após três anos de suspense, a marca japonesa enfim confirmou aquele conceito como sendo a nova geração da VMax (já sem o hífen) em 2008, lançando o modelo no ano seguinte. 
Divulgação
Para celebrar o aniversário da VMax, a Yamaha apresentou na Europa uma edição especial batizada de Carbon; a série traz peças em fibra de carbono e escapes com diâmetro menor do que os originais, que remetem à primeira geração do modelo
A nova VMax chegou ao mercado praticamente inalterada em relação ao conceito, e trouxe novidades como o tanque abaixo do assento e com bocal escondido. O novo propulsor agora rende até 200 cv de potência (a 9.000 rpm) e 17 kgfm de torque (a 6.500 giros). Para manter o espírito de moto "crua" e arisca, controle de tração e outras assistências ficaram de fora da lista de equipamentos. Só o sistema ABS (antitravamento) nos freios foi incorporado.

Em 2013, a Yamaha decidiu colocar o Brasil na rota da VMax e anunciou a importação de um lote com 14 unidades. Todas foram vendidas. O modelo continua na linha de produtos da montadora para o mercado brasileiro, pelo preço de R$ 99.000, e mostra que sempre há espaço para a força bruta no mundo das duas rodas.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos