Yamaha MT-07 chega por R$ 26.990 com visual ousado e torque de sobra

Arthur Caldeira

Da Infomoto

Segunda integrante da família MT a chegar ao Brasil, Yamaha MT-07 desembarca com receita interessante para incomodar Honda CB 500F, Suzuki Gladius 650 r Kawasaki ER-6n no segmento de nakeds urbanas: motor moderno de 700 cc, visual ousado, comportamento dócil e preço sugerido em R$ 26.990 para a versão básica, sendo R$ 28.490 para aquela com freios ABS (antitravamento).

Disponível em três cores -- branca, cinza fosco e vermelha --, o modelo chega em março às lojas e mostrou, durante o lançamento, realizado nesta semana, que oferece bastante pelo que custa. A marca japonesa estabelece meta de 350 unidades vendidas ao mês.

DESENHO MARCANTE
Com traços agressivos, assim como os da irmã maior MT-09, a MT-07 leva ao extremo o conceito de naked: motor, quadro e outras peças ficam bem à mostra; a aparência do farol, em formato de diamante, sugere que ali havia uma carenagem que foi retirada; a cobertura do tanque, poligonal, foge ao convencional; ao lado, há duas entradas de ar com a insígnia dos três diapasões, completando o visual invocado.

Divulgação
Desenho do farol faz parecer que MT-07 foi "descarenada" por customização
Apesar de a massa estar concentrada na parte dianteira, a naked também ostenta esportividade com a rabeta alta, o assento bipartido e a lanterna de LED embutida. O escapamento curto, localizado do lado direito, ajuda na centralização de massas.

MOTOR BICILÍNDRICO
A MT-07 começa a se desvincular da outra integrante da família pelo motor, um 2-cilindros paralelos (ao invés de tricilíndrico). Embora tenha menor capacidade cúbica, o propulsor de 689 cm³ privilegia torque em ampla faixa de rotações -- são 6,9 kgfm, a 6.500 rpm, porém com boa parte da força sendo entregue a 2.500 giros --, tornando a pilotagem mais fácil para iniciantes e garantindo emoção com acelerações vigorosas.

Divulgação
Apesar de a frente ser mais robusta, rabeta alta também ostenta esportividade
Em primeiro contato com a MT-07 (duas sessões de 30 minutos em circuito fechado), o desempenho impressionou: as respostas são imediatas e o torque, abundante. Há a vantagem da moto ser menos arisca que a MT-09. A potência não ficou esquecida: com 74,8 cv (a 9.000 rpm), a naked oferece bom desempenho para sua capacidade. O câmbio manual de seis marchas é bastante suave.


LEVE, ÁGIL E DIVERTIDA
Montada sobre um quadro de aço com tubos de espessura variável, a MT-07 pode ser considerada a motocicleta mais leve do segmento -- pesa 179 quilos em ordem de marcha na versão de entrada, e 182 kg com ABS. Também é bastante esguia, o que faz com que seu banco estreito facilite o apoio dos pés no chão, embora a altura do assento fique a 80,5 centímetros do solo.

O guidão está mais alto e recuado que o da MT-09, e as pedaleiras foram posicionadas mais à frente e abaixo, o que deixa a postura do motociclista no padrão de uma naked urbana, porém com um guidão mais largo.

Seu comportamento ciclístico é previsível e dá pistas de que a naked é fácil de pilotar na cidade e divertida na estrada: ela muda facilmente de direção e, graças à menor distância entre as bengalas do garfo dianteiro, mostrou-se extremamente dócil para manobrar ou deitar nas curvas.
Divulgação
Esguia, leve e com ciclística eficiente, MT-07 permite deitar nas curvas e fazer manobras como se fosse uma motocicleta menor
O conjunto segue a proposta da família MT: a suspensão dianteira usa garfo telescópico convencional e não ajustável, enquanto a traseira possui monoamortecedor com ajuste na pré-carga da mola. Ambas têm 130 mm de curso.

Já os freios, embora com boas especificações -- disco duplo de 282 mm na dianteira, com pinças monobloco, e disco único com pinça simples na traseira --, proporcionam frenagem progressiva até demais para uma pilotagem esportiva. Em condições normais de uso, certamente funcionam melhor.

MT-09 é irmã maior da família
Veja Álbum de fotos

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos