Honda CBR 650F, R$ 30.690, é esportiva na dose certa para iniciantes

Roberto Brandão Filho

Da Infomoto

A nova moda entre as fabricantes de motocicletas é oferecer produtos de alto desempenho, porém com perfil mais amigável. São modelos de média e alta capacidade cúbica que atendem a todo tipo de piloto, do novato ao mais experiente, e cujo objetivo é agradar o maior número possível de consumidores.

Uma das máquinas com esse perfil é a Honda CBR 650F, nova sport-touring que já está à venda no Brasil por R$ 30.690 -- com sistema ABS (antitravamento) nos freios, o preço sobe a R$ 32.890. Produzida em Manaus (AM), a moto é fácil e divertida de pilotar, e chega até a se assemelhar com a superesportiva 600RR. No entanto, basta um olhar mais clínico para perceber suas características mais "dóceis", como o banco único e o garfo telescópico convencional.

Apesar de este lançamento ter aposentado a CBR 600F, a Honda insiste que não se trata de uma "substituição". E tem razão, em partes. O projeto atual deu continuidade à proposta visual da antecessora, mas é mais bem resolvido esteticamente e não compartilha nenhum componente. As carenagens laterais estão com linhas mais angulosas e agressivas, trazendo partes de plástico com textura que imitam fibra de carbono.

Mario Villaescusa/Infomoto
CBR 650F ficou com pinta mais malvada que a da antecessora CBR 600F, mas, na prática, é um modelo menos potente e mais dócil
O painel de instrumentos passou a ser dividido em dois, com ambas telas digitais: à esquerda, velocímetro, tacômetro e marcador de combustível; à direita, demais informações, como hodômetros, marcador de consumo e temperatura do motor. É uma solução criativa, mas que deixa espaço de sobra na tela do lado esquerdo, que poderia (mas não é) ser ocupado por um indicador de marcha engatada, por exemplo.

"SEMIESPORTIVA"
Por apresentar temperamento mais manso que sua antecessora, a CBR 650F perdeu alguns cavalos de potência: o motor, um tetracilíndrico em linha, produz 87 cv e 6,4 kgfm de torque, e entrega força com aceleração suave e picos entre 4.000 e 6.000 rpm. Números à parte, a verdade é que o conta-giros precisa passar dos 7.000 giros para que a máquina mostre seu potencial. Em resumo, é um propulsor divertido de explorar, pois apresenta faixas diferentes de desempenho, mas que deixará decepcionado quem quiser desempenho imediato para acelerar em circuito fechado -- aqui, vale lembrar que ela não é uma superesportiva; o "F" vem do inglês "fun" (diversão).

A caixa de câmbio, com seis marchas, mostrou-se bastante suave, e não é preciso abusar muito das trocas: o bom torque em baixos e médios regimes permite rodar a 50 km/h em sexta marcha, sem que a motocicleta engasgue ou peça redução. Só não espere fôlego nestas condições para uma ultrapassagem. O consumo de combustível também foi bom: durante a avaliação, que mesclou trechos urbanos e de rodovias, o painel registrou 15,4 km/l de gasolina, marca razoável para um motor de quatro cilindros e 650 cc.

Para conseguir equilibrar a distribuição de peso, o motor foi integrado ao chassi de dupla viga de aço com subquadro de alumínio parafusado. A CBR 650F também vem equipada com semiguidões que, aliadas ao posicionamento recuado das pedaleiras, oferecem posição de pilotagem quase esportiva (costas levemente curvadas à frente). O assento possui espuma macia e tecido antideslizante, mas pode causar incômodo se o piloto permanece sentado ali por muito tempo. 

Mario Villaescusa/Infomoto
Para melhorar distribuição de peso, motor de 4 cilindros em linha foi integrado ao chassi
Dotada de garfo telescópico convencional na dianteira e balança monoamortecida na traseira, a CBR 650F não chega a transmitir a firmeza de uma verdadeira superesportiva, mas também não é macia demais. É uma configuração que garante bom desempenho em alta velocidade e também bom uso para o dia-a-dia. 

A unidade testada não contava com ABS e, por isso, pesava 195 quilos a seco, dois a menos que a outra versão. O sistema de freios é formado por dois discos dianteiros de 320 mm e um traseiro de 240 mm. Há boa sensibilidade no manete e o conjunto opera de forma progressiva. É mais um indício de que a CBR 650F é uma motocicleta com esportividade na medida certa para iniciantes.

CBR e irmã CB 650F posam juntas
Veja Álbum de fotos

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos