Últimas de Carros

BMW C Evolution é maxiscooter elétrico divertido, eficiente e ainda caro

Infomoto
C Evolution é o primeiro scooter elétrico da história da BMW imagem: Infomoto

Arthur Caldeira

Da Infomoto, em Colônia (Alemanha)

Primeiro maxiscooter totalmente elétrico da história da BMW, o C Evolution impressiona pelo porte, desenho moderno e acabamento cuidadoso. Apresentado no Salão de Frankfurt de 2013, junto com o i3, um carro também 100% movido a eletricidade, o modelo tem a árdua missão de atrair motociclistas para um novo mundo sobre duas rodas.

A julgar pela enorme fila de visitantes que queriam testar o C Evolution no Intermot, o Salão de Motos de Colônia, parece que a estratégia tem tudo para dar certo. A espera chegava a passar de meia hora, mas a maioria dos interessados se mantinha ali, firme, esperando o tempo que fosse para dar umas voltinhas na pista de testes do evento e matar a curiosidade sobre como se comporta este maxiscooter.

Infomoto também andou com o C Evolution e constatou que, sim, é possível construir um veículo de duas rodas elétrico que apresente bom desempenho e autonomia. Afinal, rodar até 100 quilômetros sem precisar recarregá-lo é mais do que suficiente para quem usa um scooter só na cidade. E a velocidade máxima de 120 km/h (controlada eletronicamente) também permite que se rode em qualquer estrada com segurança.

O preço é que ainda representa um entrave: na Europa, parte de 15 mil euros (R$ 47,5 mil), sendo 4 mil euros mais caro que o C 600 Sport (scooter a gasolina no qual o C Evolution se inspira, e que já é vendido no Brasil, a partir de R$ 52 mil). Embora esse valor possa ser amortizado pelo baixíssimo custo de manutenção e recargas -- segundo a BMW, cada ciclo de carga cheia na tomada sai por cerca de 3 euros (R$ 9,50) --, será preciso trabalhar muito para convencer o motociclista comum de que acelerar um scooter elétrico é tão tão divertido quanto pilotar um movido a combustão.

COMO ELE É
Ao montar no C Evolution, chamam a atenção o excelente acabamento e o visual futurista do painel digital, semelhante à tela de um smartphone. Lá constam informações sobre autonomia, modo de condução e nível de carga das baterias. O motor, fixado à frente da roda traseira e refrigerado a água, emite um zunido alto, mas que some à medida em que o scooter entra em movimento, sendo substituído pelo som do vento.

Ao acionar o acelerador, percebe-se que o C Evolution não se assemelha ao convencional C 600 Sport só na parte estética: o desempenho do modelo elétrico também é muito parecido. Os 48 cavalos de potência estão longe dos 60 cv do primo, porém o torque é superior -- 7,3 kgfm contra 6,7 kgfm --, e entregue de forma imediata. Na reta da pista de testes, que tinha pouco mais de 3 km de extensão, foi possível chegar a 100 km/h sem muita dificuldade.

Sua autonomia, entretanto, é o detalhe mais importante: os 100 quilômetros anunciados pela BMW são só uma estimativa média, o que significa que podem ser estendidos de acordo com o modo de pilotagem escolhido, dentre quatro opções: Road (nível convencional de freio-motor, com pouca ação do freio regenerativo, que ajuda a recarregar a bateria); Dynamic (oferece mais freio-motor e regenerativo); Sail (que praticamente anula o freio-motor); e Eco Pro (este último reduz o desempenho e amplia a autonomia, sendo indicado para quando a carga de energia elétrica está mais baixa).

Infomoto
Cortando o C Evolution ao meio, dá para notar o enorme trabalho que é comportar as baterias de íon-lítio sem comprometer a arquitetura imagem: Infomoto
Mesmo com os 15 quilos a mais em relação ao C 600 Sport (consequência inevitável de se trabalhar com três células de bateria íon-lítio), a maneabilidade é boa. O comportamento ciclístico lembra muito o do modelo a gasolina, com reduzido ângulo de cáster. O elétrico é ágil em mudanças de direção, equilibrado nas curvas e oferece segurança para usar acelerador e freios, já que vem munido de controle de tração e freios a disco com sistema ABS (antitravamento).

O assento tem o mesmo desenho do C 600 Sport, oferecendo conforto para dois ocupantes, e o para-brisa garante boa proteção aerodinâmica. As baterias ficam localizadas sob o banco, em uma grande caixa de alumínio, e “roubam” o espaço no qual é possível guardar até dois capacetes no maxiscooter movido a combustão. Por isso, o C Evolution possibilita guardar só um capacete.

A BMW não abriu qualquer previsão sobre se o C Evolution virá ou não ao mercado brasileiro.

Topo