Yamaha Ténéré vira brasileira, ganha novas cores e freios ABS

Roberto Brandão Filho

Da Infomoto

A família Ténéré da Yamaha é conhecida mundialmente por conta de seu DNA offroad. Seu nome é uma referência ao trecho do Ténéré, no deserto do Saara, considerado um dos mais difíceis por pilotos do extinto rali Paris-Dakar.

O primeiro modelo foi lançado em 1983 e desde então a moto conquista fãs a cada ano. Para 2015, a Yamaha anunciou novidades para a família família, que no Brasil (único país do mundo) disponibiliza as três versões: 250 cc, 660 cc e 1.200 cc.

A partir de agora, aliás, as três Ténéré (XTZ 250, XT 660Z e XT 1200Z Super) serão produzidas na fábrica da Yamaha em Manaus (AM) -- todas já estão à venda. As alterações consistem, basicamente, em novas cores e grafismos, além da adição de equipamentos eletrônicos.

Conheça a família Ténéré 2015
Veja Álbum de fotos

XTZ 250 Ténéré 2015
A caçula da família ganhou apenas novas cores. A moto é equipada com motor de 250 cc, SOHC (comando único de válvulas), com arrefecimento a ar, que rende 21 cv (8.000 rpm) e 2,10 kgfm de torque (6.500 giros). Custa R$ 13.620 e pode ser nas cores azul, cinza, vermelha e branca.

Divulgação
Caçula da família, a XTZ 250 Ténéré ganhou apenas novas cores para 2015
XT 660Z Ténéré ABS 2015
Para 2015, a maior novidade desta versão é a adição do sistema de freios ABS. Ao receber o equipamento, que não pode ser desabilitado, o modelo ficou com apelo mais urbano/estradeiro. Devido a isso, a Yamaha decidiu reduzir sua -- a suspensão dianteira, que na versão sem ABS tem 210 mm, foi reduzida para 160 mm; e o curso do monoamortecedor traseiro passou de 200 mm para 145 mm. 

Uma das grandes reclamações do público era a altura do assento. Com 896 mm, colocar os dois pés no chão para quem tem no máximo 1,70 metro era tarefa impossível. Não é mais: a versão com ABS também está três centímetros mais (agora são 865 mm de altura). Além disso, o comprimento total passou de 2.246 mm para 2.260 mm e sua altura, de 1.477 mm para 1.450 mm. O raio mínimo de giro foi de 1.958 mm para 1.980 mm; e o peso aumentou, passando de 206 kg para 215 kg (ordem de marcha). Ela custa R$ 29.920 na versão standard e a versão com ABS, que também ganhou as novas cores, vale R$ 32.990.

Impressões - Yamaha XT 660Z Ténéré ABS 2015
  • Divulgação
    Como anda a versão do meio?
    O motor é o mesmo monocilíndrico SOHC de 660 cc e arrefecimento a ar, capaz de gerar 48 cv (6.000 rpm) e 5,95 kgfm de torque. Na estrada, consegue desenvolver boa velocidade. No entanto, alguns pontos negativos não foram corrigidos: o parabrisa vibra muito em altos giros, emitindo um barulho irritante. Além disso, o lado esquerdo do motor continua transferindo muito calor para as pernas do piloto Foto: Divulgação
XT 1200Z Super Ténéré 2015
A moto mais potente da família vem agora em duas versões: Standard e Deluxe. Ela sai de fábrica equipada com piloto automático, piscas em LED, parabrisa com ajuste de altura, computador de bordo e suporte para GPS. Segundo a Yamaha, as versões sofreram mudanças internas no motor, que aumentaram em dois cavalos, chegando a 112 cv (a 7.250 rpm). Além disso, a moto recebeu ajustes para garantir melhor resposta do acelerador eletrônico (ride-by-wire) e uma entrega de potência mais eficiente e suave (seu torque máximo é de 11,9 kgfm a 6.000 giros). A Super Ténéré traz ainda controle de tração em dois níveis (com opção de ser desligado), dois modos de pilotagem e o sistema U-BS (de freios combinados com ABS), que não pode ser desabilitado.

Para oferecer mais conforto, as duas versões também receberam nova mesa do guidão em alumínio, bagageiro triplo e duas telas de LCD no painel de instrumentos. O novo computador de bordo oferece consumo médio/instantâneo, autonomia, temperatura do líquido de arrefecimento e hodômetros total e parcial, além das telas de seleção dos modos de pilotagem e do controle de tração. A altura do banco e do parabrisa são reguláveis manualmente, dispensando utilização de ferramentas (o assento varia entre 845 mm e 870 mm). O parabrisa chegou a ser redesenhado para dar mais proteção contra o vento, além de menos poluição sonora. A posição do guidão, segundo a empresa, também está 10 mm mais próxima ao piloto. A Super Ténéré Standard (azul ou cinza) custa R$ 55.990. A topo de gama Deluxe -- que se diferencia por oferecer ajuste de suspensão eletrônico (tanto na pré-carga quanto na altura), aquecedor de manopla com diversos níveis de calor e guidão em alumínio -- sai por R$ 61.990 (também azul ou cinza).

Divulgação
Versão topo, Super Ténéré custa entre R$ 55.990 (standard) e R$ 61.990 (Deluxe)

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos