Doze motos que custam mais que carros de luxo

Da Infomoto

  • Divulgação

Não podemos negar que nos últimos anos o mercado de motos cresceu no Brasil. Se na década de 1990 apenas duas dezenas de modelos estavam à venda no país, hoje há quase uma centena -- de todos os estilos, para todos os gostos. Até para os bolsos dos mais abastados: recentemente, a Ducati vendeu uma esportiva por R$ 275 mil!

Aproveitando esse gancho fizemos uma lista de 12 motos que custam a partir de R$ 90 mil, valor próximo ao do Toyota Corolla Altis, por exemplo, de R$ 93.730. Conheça as motos que valem o preço de um sedã médio topo ou até mais.

Divulgação
1) BMW R 1200 GS ADVENTURE -- R$ 87.900
Versão mais aventureira da bigtrail alemã, traz visual imponente, um enorme tanque de 30 litros e muita tecnologia para auxílio do motociclista, seja na estrada ou fora dela. Equipada com motor de dois cilindros opostos de 1.170 cc, de refrigeração líquida, ela produz 125 cv (a 7.750 rpm) e 12,6 kgfm de torque (6.500 rpm). As suspensões de longo curso contam com um ajuste eletrônico chamado Dynamic ESA. O pacote tecnológico tem freios ABS desligáveis, controle de tração e cinco modos de pilotagem: "rain" (chuva), "road" (estrada), "dynamic" (dinâmico), "enduro" e "enduro pro" -- este último é recomendado para ser utilizado com pneus cravados.

Divulgação
2) DUCATI MULTISTRADA 1200 S PIKES PEAK -- R$ 89.900
Esportividade e conforto viajam lado a lado. Com nome alusivo à famosa competição de subida de montanha realizada anualmente nos Estados Unidos, a versão topo de linha da bigtrail italiana conta com itens alusivos à Ducati Corse, divisão de competição da marca, como a pintura e o escape Termignoni. Montada no Brasil, ela conta com propulsor de dois cilindros em "L" de 1.198 cc (Testastretta 11º) que pode gerar até 150 cv (a 9.250 rpm) e 12,7 kgfm de torque (a 7.500 rpm). No quesito tecnologia, a moto tenta justificar o preço com equipamentos como freios ABS, vários modos de pilotagem, acelerador eletrônico e controle de tração. A suspensão é ajustável eletronicamente e ainda conta com o sistema semi-ativo "Skyhook", que faz ajustes automáticos "como se a moto estivesse suspensa no ar".

Divulgação
3) BMW R 1200 RT -- R$ 89.900
Outra luxuosa touring alemã, a BMW R 1200 RT foi reformulada para 2014 e desembarcou há pouco tempo no Brasil com o novo motor boxer, de dois cilindros e 125 cv. Mais leve e dinâmica que a anterior, ela também não deve em nada quando o assunto é conforto e tecnologia embarcada, já que traz, de série, freios com ABS, controle de tração, diversos modos de pilotagem e para-brisa ajustável eletronicamente, entre outros. Para completar, a nova R 1200 RT ainda possui sistema de som completo, painel com tela de cristal líquido, GPS e piloto automático.

Divulgação
4) HONDA GL 1800 GOLD WING -- R$ 92.531
Sinônimo de estrada, a Honda GL 1800 Gold Wing oferece tudo que um motociclista necessita para viajar: muito conforto, sistema de som, freios com ABS, aquecedor de banco e manoplas, piloto automático e até mesmo airbag -- aliás, ela é a única moto do mundo com tal dispositivo. Outra atração é seu motor de seis cilindros opostos (boxer) e 1.832 cc, que oferece 118 cv (a 5.500 giros) e poderosos 17 kgfm de torque (a apenas 4.000 rpm). Mesmo pesando 387 kg (a seco, sem gasolina, óleo e outros fluidos), basta um leve toque no acelerador para o piloto desfrutar de todo o luxo e conforto que fizeram sua fama -- o modelo foi lançado originalmente em 1974, quando era chamada de GL 1000, e trazia motor de quatro cilindros e 999 cc, mas não oferecia carenagens.

Infomoto
5) HARLEY-DAVIDSON CVO BREAKOUT -- R$ 98.700
Ter quase R$ 100 mil reservados para comprar uma moto pode significar exclusividade ou diversão. No caso Harley-Davidson CVO Breakout, as duas características vêm inclusas no pacote, uma vez que a moto chega ao país limitada a 30 unidades. Feita no estilo chopper, com garfo alongado e um largo pneu traseiro (240 mm), a moto foi um dos modelos cujo nascimento fez parte das comemorações de 100 anos da marca. Com pintura cromada e uma estilosa roda com ares de turbina de avião, ela ainda traz itens elaborados pela divisão Screamin' Eagle, como o filtro de ar externo e, claro, o motor Twim Cam 110, de dois cilindros em V, 1.800 cc, 80 cv e impressionantes 15,5 kgfm de torque (a 3.500 rpm). Um prato cheio para amantes de custom e fãs da marca centenária.

Divulgação
6) BMW S 1000 RR HP4 -- R$ 98.900
Estar em busca do melhor desempenho nem sempre significa procurar a potência mais alta de um motor. Há pilotos que preferem atingir esse objetivo com altas doses de tecnologia. Se este for seu caso e o cheque de R$ 98.900 for possível, a moto indicada é a BMW S 1000 RR HP4 com o pacote Competition. A superesportiva conserva o mesmo propulsor de quatro cilindros em linha de 999 cc de sua versão convencional. Até os números de potência e torque são os mesmos: 193 cv (a 13.000 rpm) e 11,4 kgfm (9.750 giros). No entanto, o uso de materiais mais leves, como titânio e fibra de carbono, eliminaram 2,4 kg no peso da moto, que ficou com 169 quilos. A moto também esbanja eletrônica, onde se destaca o pioneiro sistema DDC (Dynamic Damping Control), sistema de suspensão semi-ativa que faz ajustes automáticos nos conjuntos de amortecimento de acordo com o solo, mesmo com a moto em movimento. Itens "de praxe" em superbikes, como freios ABS, controle de tração e diferentes modos de pilotagem também não foram esquecidos.

Divulgação
7) MV AGUSTA F4 RR -- R$ 89.900
Se você estiver disposto a desembolsar praticamente R$ 100 mil em uma moto, vale deixar sua garagem mais bonita com uma MV Agusta F4 RR. Entretanto, ter a versão topo de linha da superbike italiana e deixá-la estacionada por muito tempo é quase sacrilégio. Nacionalizada em março deste ano, ela conserva as linhas criadas por Massimo Tamburini há mais de uma década e usa o motor Corsa Corta de quatro cilindros emparelhados e 998 cc, capaz de gerar mais de 200 cv. Além do motor mais potente que o da versão convencional, a superesportiva traz itens de respeito: freios da grife Brembo com sistema ABS, acelerador eletrônico, regulagem eletrônica de suspensão com ajuste no painel, controle de tração e câmbio com EAS (Electronic Assisted Shift), que permite trocas de marcha sem o acionamento da embreagem.

Divulgação
8) BMW K 1600 GT -- R$ 100.500
Com posição de pilotagem mais esportiva que a da GTL, a K 1600 GT é praticamente uma sport-touring. O motorzão de seis cilindros em linha e 160 cv empurra menos peso nessa versão, que não traz o top case. No restante ela conta com quase todos os opcionais da GTL, que incluem muita eletrônica embarcada e itens de conforto. Feita para quem prefere uma pilotagem mais esportiva, pode-se dizer que ela é mais jovem -- afinal, está lá o confortável banco, a enorme proteção aerodinâmica do parabrisa (com ajuste automático), controle de tração, freios com ABS, suspensão eletrônica, diferentes modos de pilotagem e o sistema de som.

Divulgação
9) DUCATI PANIGALE 1199 R -- R$ 119.900
A versão "R" da Panigale, superesportiva da Ducati, traz diversos itens para tentar justificar seu preço de R$ 119.900, R$ 40 mil a mais do que a Panigale standard. A base mecânica é a mesma (motor Superquadro, L2, de 1.198 cc, quatro válvulas por cilindros e refrigeração líquida e 195 cv; e câmbio de seis marchas, que também traz o sistema Quick Shift, que permite subir marchas sem apertar a embreagem). São as rodas, suspensões e outros itens que diferenciam a versão "R". Além disso, a moto conta com ajuste eletrônico de compressão e usa equipamentos mais leves, só encontrados em motos de competição. Na dianteira, ela traz garfo telescópico invertido da Öhlins, com tubos de 43 mm. Na traseira, monoamortecedor TTX36, também da Öhlins. As rodas são forjadas pela grife italiana Marchesini, que ajudam na redução de peso. Na dianteira, a pinça de freio da Brembo é construída em uma só peça. Tudo para deixar a moto mais rápida.

Divulgação
10) BMW K 1600 GTL EXCLUSIVE -- R$ 124.500
A K 1600 GTL Exclusive é, simplesmente, a moto mais cara da BMW no Brasil. Versão ainda mais cara da já luxuosa K 1600 GT, a Exclusive traz alguns diferenciais, como acabamento mais refinado e apoio de braço para a garupa, entre outros. Capaz de desbancar muitos carros de luxo, essa BMW tem motor de seis cilindros em linha e 1,6 litro -- são 160 cavalos (a 7.750 giros) e 17,9 kgfm de torque (a 5.250 rpm). São 348 kg. Se os números mecânicos impressionam, os equipamentos de conforto e segurança "ajudam" a justificar seu preço. O farol, por exemplo, tem sistema direcional que acompanha a inclinação da moto. Além disso, ela traz controle de tração, sistema ABS, controle de pressão dos pneus e piloto automático, além do sistema Hill Start, que auxilia saídas em subidas. O piloto ainda conta com aquecedor de banco e manoplas (com acionamento individual para piloto e garupa); sistema de som com entrada para MP3 e iPod e alto-falantes individuais. Com capacidade para 115 litros de bagagem (divididos entre o top-case e as malas laterais), ela tem tudo para se considerada uma das motos mais confortáveis do mundo.

Divulgação
11) HARLEY-DAVIDSON CVO LIMITED -- R$ 139.100
Robusta e icônica, a Harley-Davidson CVO Limited traz o que há de mais moderno em tecnologia, desempenho e conforto. Importada, a topo de linha da marca terá apenas 30 unidades no Brasil. Ela conta com sistema completo de informações e entretenimento, batizado de "Boom! Box 6.5GT", que traz tela de cristal líquido de 6,5 polegadas, áudio, conectividade Bluetooth, GPS e comando por voz. Todos este recursos foram herdados do projeto Rushmore, que atualizou tecnologicamente os modelos da Harley. A CVO Limited usa o motor "Twin Cam 110 High Output Twin Cooled", de arrefecimento misto, que tem 1.800 cc e usa filtro de ar de alto desempenho da grife Screamin' Eagle -- é o maior propulsor produzido em série atualmente pela empresa. O modelo ainda oferece sistema de freios com ABS eletrônico, luzes de neblina, faróis de LED, sistema de iluminação e uma nova mesa com garfos dianteiros mais rígidos.

Divulgação
12) DUCATI 1199 SUPERLEGGERA -- R$ 275.000
Com exceção do peso, tudo é exagerado na Ducati 1199 Superleggera. A começar pelo preço: o único exemplar vendido no Brasil custou cerca de R$ 275 mil, segundo a marca. Seu motor produz cerca de 200 cv, mas pode render ainda mais. Já o peso é baixo: 155 kg, e é daí que vem seu nome, Superleggera (algo como "super leve" em tradução livre do italiano). O grande motivo para seu preço são justamente as peças fabricadas em materiais nobres e mais leves, que reduzem peso. Só para comparar, a 1199 Panigale standard pesa cerca de 164 kg e produz "só" 195 cv. A Superleggera foi lançada no Salão de Motos de Milão de 2013. Sua produção é limitada a 500 unidades e, além das características mais esportivas, seu felizardo comprador recebe um "kit de pista" para acelerar essa máquina em autódromos. Segundo a Ducati, outra Superleggera já foi encomendada por um brasileiro.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos