Honda CB 500F cria nova porta ao segmento premium a R$ 22 mil

Aldo Tizzani

Da Infomoto

Álbum mostra detalhes da CB 500F
Veja Álbum de fotos

Com a chegada da linha 500cc ao Brasil, onze meses após sua apresentação mundial no Salão de Motos de Milão 2012, a Moto Honda da Amazônia terá uma complexa e arrojada missão pela frente. O objetivo inicial é atrair os motociclistas que querem fazer o upgrade natural de uma 250/300cc para uma moto de maior capacidade. Mas a montadora também quer conquistar clientes de outras marcas, além de seduzir o público feminino, que desejava uma moto mais dócil que a radical CB 600F Hornet.

O LARANJA E O AZUL

  • Doni Castilho/Infomoto

    O Salão Duas Rodas 2013 também marca o debute da nova geração da superesportiva CBR 600RR. Redesenhada, a moto recebeu atualizações na carenagem lateral e também faróis maiores.

    O tanque de gasolina também foi redesenhado para acomodar melhor o peito do piloto e favorecer a postura de ataque.

    Por dentro, a CBR média continua com o propulsor de quatro cilindros em linha de 599 cm³, que continua gerando 120 cv máximos a 13.500 rpm. Entretanto, uma nova programação na ECU a deixou mais dócil para os pilotos novatos.

    No esquema de cores, o detalhe fica por conta da pintura Repsol alusiva ao modelo da MotoGP.

    TUDO AZUL
    A Honda apresentou também uma série comemorativa, a linha Flex One, com modelos equipados com o sistema bícombustível da marca (Biz, CG, Bros, CB 300R e XRE 300) pintadas nas cores azul e branca.

  • O preço é o mesmo das motos com cores normais. (Roberto Brandão Filho)

  • Doni Castilho/Infomoto

Para concretizar o plano, a Honda apresenta no Salão Duas Rodas 2013, de uma tacada só, a naked CB 500F, a superesportiva CBR 500R e crossover CB 500X. Os três modelos chegarão ao consumidor de forma escalonada, mas compartilham chassi, motor e ciclística, serão fabricados em Manaus (AM) e terão a maior rede de concessionária do país como apoio durante e após a venda.

Primeira novidade da linha, a naked CB 500F chega às lojas agora em outubro, após o Salão, com preços públicos sugeridos de R$ 22.000 (versão standard) e R$ 23.500 (com freios ABS). 

PROPOSTAS DIFERENTES
Para obter sucesso com a linha 500, a Honda focou seus esforços em seis pilares: conforto, versatilidade, fácil condução, custo/benefício, design moderno e promessa de bom desempenho. As novas CB 500F, CBR 500R e CB 500X chegam ao mercado com chassi em aço, do tipo Diamond, com dupla trave superior.

O motor é bicilíndrico, de quatro tempos, com 471 cm³ e 50,4 cv de potência máxima. Os pistões são forjados em liga de alumínio, ou seja, semelhantes aos utilizados na superesportiva CBR 600RR.

Na parte ciclística, a família recebeu o tradicional garfo telescópio na dianteira (120 mm de curso) e, na traseira, a suspensão monoamortecida do tipo Pro-Link (109 mm de curso), que oferece nove níveis de regulagens da pré-carga do amortecedor, nas versões CB 500F e CBR 500R. Claro que na versão mais aventureira, a 500X, o curso de suspensão e o ângulo de cáster serão maiores. 

Também é comum aos modelos o painel de instrumentos. As informações são passadas ao motociclista em mostrador digital: velocímetro, conta-giros, relógio, hodômetro (total e parcial), medidores de consumo de combustível instantâneo e média, além de indicadores de diagnóstico do motor.

Todas as versões receberam rodas em alumínio fundido calçadas com pneus de medidas 120/70 ZR-17 na frente e 160/6 ZR-17 na traseira.

Apesar de a linha ter sido concebida por meio de soluções que buscam eficiência e economia, faltou ousadia na criação do desenho do escape, simples demais para uma família tão radical.


FICHA TÉCNICA
+ Motor: dois cilindros, DOHC, 471 cm³, quatro tempos, arrefecido a líquido.
+ Diâmetro e curso: 67,0 x 66,8 mm.
+ Potência máxima: 50,4 cv a 8.500 rpm.
+ Torque máximo: 4,55 kgfm a 7.000rpm.
+ Câmbio: seis marchas.
+ Suspensão: garfo telescópico, 120 mm (dianteira); pró-link, 119 mm (traseira).
+ Freios: disco de 320 mm (dianteira) e 240 mm (traseira).
+ Pneus e rodas: liga leve, 120/70 R17 (dianteira); 160/60 R17 (traseira).
+ Dimensões: 2.075 mm x 780 mm x 1.060 mm (CxLxA).
+ Altura do assento: 785 mm.
+ Altura mínima do solo: 155 mm.
+ Entre-eixos: 1.410 mm.
+ Tanque: 15,7 litros.
+ Peso: 180 kg (a seco).

PRIMEIRAS IMPRESSÕES
Infomoto já andou com a CB 500F, em testes na pista da Honda no município de Rio Preto da Eva, a 85 quilômetros de Manaus (AM). Com design atual e vocação urbana, apesar de seu desenho lembrar a Yamaha Fazer 250, a naked tem o melhor estilo "street fighter".

A nova moto começa a apresentar seus diferenciais ao motociclista de cara: banco bipartido, guidão reto, painel digital e, mesmo sem rodar, apenas fazendo o tradicional "teste" de afundar a suspensão dianteira, garfo telescópico firme, com comportamento digno de um modelo com comportamento esportivo. São apenas 120 mm de curso.

Na hora de acelerar, os primeiros contatos com a moto se deram em circuito no qual o objetivo maior era comprovar a agilidade em média velocidade, desviando de cones, o popular "slalon". Nestas condições, a CB 500F oferece mudanças de direção bastante precisas em baixas e médias velocidades. O conjunto ciclístico mostrou-se equilibrado. Já contornando curvas em alta, a moto tem um bom ângulo de inclinação, deixando claro novamente seu caráter esportivo.

NA MÃO

  • Caio Mattos/Divulgação

    Na versão com ABS, central eletrônica calibra pressão de fluidos para controlar força de frenagem. Impressão é de se controlar moto menor do que a CB 500F realmente é.

Em reta e com aceleração máxima, a CB 500F chegou a atingir pouco mais de 160 km/h. Isso em virtude do bom rendimento do compacto motor bicilíndrico com duplo comando de válvulas no cabeçote, de quatro tempos e 471 cm³ de capacidade cúbica, que desenvolve potência máxima de 50,4 cv a 8.500 rpm e torque máximo de 4,3 kgfm a 7.000 rpm. O balancim roletado tira o efeito de aspereza do motor dois-cilindros.

O propulsor, com acabamento preto fosco, tem comportamento elástico: é possível esticar as marchas até os 9.000 rpm, com potência e torque lineares e progressivos, sem trancos. Ou seja, a CB 500F é uma moto dócil. O câmbio de seis velocidades tem engates suaves e precisos.

Detalhe: as respostas rápidas ao comando do acelerador são garantidas pelo sistema de alimentação eletrônica PGM-FI, que também contribui para economia de combustível. A 105 km/h, a moto estará rodando com folga, com a sexta marcha engatada e o motor girando a 5.000 rpm.

Outro ponto elogiável na nova naked da Honda é seu poder de frenagem. A CB 500F está equipada com freio dianteiro a disco com diâmetro de 320 mm e duas pinças de duplo pistão. Já o traseiro, tem disco simples, de 240 mm de diâmetro, acionado por pinça simples -- praticamente o mesmo usado na NC 700X.

Claro, a versão equipada com freios ABS (que evita o travamento das rodas) transmite uma maior segurança ao piloto. Para ajudar neste trabalho, a moto conta ainda com uma central computadorizada que calibra automaticamente a pressão dos fluidos no mecanismo de travamento do disco, freando com eficiência e controle em menor espaço, mesmo em situações extremas.

A impressão que fica é que o motociclista está pilotando uma moto menor (em tamanho e capacidade cúbica) do que realmente é. Assim é a CB 500F, uma moto que veste o piloto e, em menos de 10 minutos provoca uma sensação de intimidade entre homem e máquina.

  • Caio Mattos/Divulgação

    Nova família começa com CB 500 F (à esq.), mas terá ainda CBR 500R e crossover CB 500X

VAI VENDER QUANTO?
Em grande estilo, a Honda marca seu retorno no segmento de média-alta cilindrada apostando no crescimento do mercado e também na diversidade e no gosto de cada motociclista. Incluindo as três versões da nova família 500, a expectativa da marca é comercializar, até 2016, um volume superior a 30 mil unidades/ano e dominar 50% do segmento nacional de média-alta cilindrada.

No primeiro ano, a Honda acredita que irá vender 6.000 unidades CB 500F, número bastante conservador, já que a CB 600F Hornet, moto equipada com motor de quatro cilindros em linha e 102 cv de potência máxima, vendeu 4.279 unidades em 2012 -- este ano, de janeiro a setembro, já foram 3.257 unidades.

Há uma diferença substancial de preço entre a 500 e a 600cc da Honda, porém. A Hornet custa entre R$ 31.990 (Standard) e R$ 34.990 (C-ABS), bem acima da nova naked de 500cc.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos