Entre carro e moto, maxiscooter cresce no Brasil

Cícero Lima

Colaboração para o UOL

  • Divulgação

    O chinês estreante Index 350i (foto) quer brigar com o Dafra Citycom 300i de R$ 14.290

Está em dúvida entre ter carro ou moto? O maxiscooter, um scooter de grande porte, pode ser a solução. São versáteis, fáceis de pilotar e têm bom espaço para bagagens. As opções de produto dobrarão em 2014.

O preconceito com esse tipo de veículo, que comentei em abril, está diminuindo. Hoje há apenas três modelos à venda no Brasil: Suzuki Burgman 400, Burgman 650 e Dafra Citycom 300i. Mas três novos maxiscooters serão apresentados no Salão Duas Rodas, em outubro, com o início das vendas previsto para o ano que vem.

Um deles é o Yamaha T-Max 530. O modelo tem motor de dois cilindros paralelos, que entrega 46,5 cv, design futurista e bom pacote de equipamentos. Embora rodar com ele seja experiência sofisticada e empolgante, como pude comprovar em teste realizado em agosto, pode ser difícil encontrá-lo nas ruas: o scooter custará na faixa dos R$ 40 mil -- preço de hatch compacto premium, como o Ford New Fiesta.

O concorrente direto é o Burgman 650, que tem a seu favor o preço menor (R$ 35 mil) e a potência maior (55 cv). O rival ainda conta com opção de câmbio com troca manual, que faz dele um veículo de duas rodas divertido de se pilotar.

A Dafra, que já oferece o Citycom 300i há três anos, lançará o Maxsym 400. Fabricado pela taiwanesa Sym, e equipado com motor de 400 cc, o modelo tem como destaque as rodas de 15 polegadas na frente e 14" atrás. Uma vantagem ante o consagrado Suzuki Burgman 400, que usa rodas de aro 13 na traseira. A outra boa notícia será o preço: a expectativa é que ele custe cerca de R$ 20 mil -- o Burgman 400 sai por R$ 27 mil.

  • Divulgação

    Maxsym 400 terá preço abaixo de R$ 20 mil para concorrer com o consagrado Burgman 400

Mas a Dafra que se cuide, pois seu Citycom 300i (R$ 14.290), sucesso pelo baixo custo, terá um rival chinês. A Keeway trará o Index 350i, com motor de 313 cm³ (21 cv) e rodas maiores: 16" (dianteira) e 15" (traseira). Ainda não divulgado, o preço será semelhante.

HONDA DE FORA
A Honda deve continuar fora do segmento. A marca tem o Integra 700, que usa o mesmo motor 670 cc de 51 cv da NC 700. O modelo tem câmbio automático de seis marchas e rodas de aro 17.

Tive a chance de pilotá-lo, no Japão, e posso afirmar que é um veículo fascinante para quem gosta da comodidade do scooter e de adrenalina de moto. Só que não há planos para venda no Brasil. E o preço, provavelmente, seria superior a todos estes citados.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos