Dafra Horizon 250, R$ 13.690, chega para ser líder de segmento

Roberto Brandão Filho

Da Infomoto

A categoria de motocicletas custom atrai adeptos por todo o mundo. O segmento ganhou fama por aparecer em filmes hollywoodianos representando a liberdade e o prazer de pilotar motocicletas, principalmente em estradas. No Brasil, não é diferente. No ano passado, 14.927 motos dessa categoria foram vendidas no país, sendo que cerca de 40% foram de modelos de baixa cilindrada.

Ao analisar o mercado, entretanto, nota-se que são pouquíssimas as escolhas para o consumidor de entrada -- mais exatamente, três opções. Pensando nesse público, a Dafra lançou há algumas semanas a Horizon 250. A moto, já disponível nas lojas da marca, custa de R$ 13.690 e pode ser preta ou preta/pérola. Sua principal concorrente, Kasinski Mirage 250, sai por R$ 13.990.

MOTOR
O modelo foi equipado com um motor de 250 cc derivado da mini-esportiva da marca, a Roadwin. O propulsor tem 250,2 cm³, duplo comando de válvulas no cabeçote (DOHC), quatro válvulas, injeção eletrônica e é arrefecido a líquido. Porém, algumas alterações foram feitas para que ele entregasse mais torque em baixos e médios regimes de rotação.

Dessa forma, segundo a fabricante, ele produz  23,1 cv e 2,21 kgfm de torque. Na prática, são números suficientes para encarar viagens e o trânsito das cidades. O motor vibra um pouco, mas nada incomum para propulsores monocilíndricos.

  • Renato Durães/Infomoto

Dafra Horizon 250
+ Motor: Monocilíndrico, 250,2 cm³, quatro válvulas, refrigeração líquida.
+ Potência: 23,1 cv a 8.000 rpm.
+ Torque: 2,21 kgf.m a 7.000 rpm.
+ Câmbio: Cinco marchas.
+ Alimentação: Injeção eletrônica.
+ Dimensões: 2.245 mm x 790 mm x 1.140 mm (CxLxA).
+ Peso: 178,6 kg (em ordem de marcha).
+ Tanque: 17,5 litros
+ Preço: R$ 13.690.

CICLÍSTICA E DESIGN
Motocicletas custom, antes de tudo, devem ter estilo. Para ganhar o coração dos possíveis clientes, elas utilizam "charmes", como peças cromadas e linhas arredondadas. A Dafra Horizon 250 segue essa linha e chama atenção por sua beleza. O painel de instrumentos traz mostrador redondo, com velocímetro, hodômetro total e parcial. Há ainda um painel sobre o tanque com marcador de combustível e luzes de advertência.

Seu chassi é do tipo berço duplo e a ciclística da moto chama a atenção. A posição de pilotagem privilegia a ergonomia. Sendo assim, pedaleiras e guidão estão posicionados de forma a acomodar braços e pernas de maneira confortável. A pedaleira, aliás, é do estilo semi-plataforma com borracha, amenizando a vibração causada pelo motor.

O assento baixo faz com que o piloto alcance o chão com muita facilidade, o que auxilia em manobras e paradas. O alto grau de esterço do guidão insinua bom comportamento nos trajetos urbanos, já que a mudança de direção é feita com agilidade. Só que não tão precisa: na mudança rápida de direção, a frente oscila, mostrando instabilidade.

Outra qualidade é a distância livre do solo, de 145 mm. Com isso, é possível deitar a motocicleta em curvas mais fechadas sem que as pedaleiras, ou até mesmo o escapamento, raspem no chão.

  • Renato Durães/Infomoto

    Além de estilo e bom preço, modelo oferece acessórios, como o escudo frontal, de R$ 299

FREIOS E SUSPENSÃO
A Horizon vem equipada com dois discos dianteiros de 276 mm de diâmetro, mordidos por pinças de duplo pistão. Na traseira, há um disco de 225 mm. Apesar de parecerem superdimensionados para a cilindrada da motocicleta, eles são bons e funcionam quando exigidos. O trabalho de suspensão é feito por garfo telescópico dianteiro de 140 mm de curso e duplo amortecedor traseiro com 70 mm de curso.

Na dianteira, as rodas são de 18 polegadas e há um ângulo de cáster mais longo, que privilegia a estabilidade em retas. Na traseira, as rodas são aro 15". Ambas são de liga-leve e calçadas por pneus Pirelli City Demon (sem câmara).

ACESSÓRIOS
Junto com o lançamento da motocicleta, a Dafra anunciou três opções de acessórios: para-brisa maior (R$ 299); Sissy Bar, expressão em inglês para o apoio para garupa (R$ 299); e protetor dos pés, conhecido como mata-cachorro, que custa R$ 379.

Pesando 178,6 kg, a motocicleta competirá diretamente com a Kasinski Mirage 250, que conta com motor V2 e custa R$ 13.990. Assim como fez quando trouxe o scooter Citycom, a Dafra espera dominar este segmento: a meta é vender 60 unidades/mês.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos