Tamanho da roda ajuda motocicletas a vencerem obstáculos

Cícero Lima

Colaboração para o UOL

  • Divulgação

    Honda XR 300 E, de uso misto (on e off-road), utiliza pneus grandes, de aro 21

    Honda XR 300 E, de uso misto (on e off-road), utiliza pneus grandes, de aro 21

Entre as grandes invenções da humanidade, a roda pode ser considerada uma das mais significativas. Você já imaginou o mundo sem ela? Tudo que se move neste planeta (fora os seres vivos) a utiliza, seja na forma de um rolamento ou de roda propriamente dita. Ela garante, com o auxílio de pneus, a tração, o movimento, o direcionamento e a frenagem dos veículos. Apesar de tanta importância, nem sempre o diâmetro da roda, que é medido em polegadas (cada uma equivale a 2,54 cm), é levado em consideração na escolha da motocicleta. E ele faz diferença.

Na seção Cidadania do site oficial do governo federal, o visitante fica sabendo que, dentre os principais problemas de nossas estradas, estão os buracos, erosões na pista, pontes caídas e quedas de barreiras. São dados que sugerem um verdadeiro rali (com graves riscos de acidentes) para quem se dispõe a viajar em algumas regiões do Brasil. 

Realidade também comum nas ruas das cidades, muitas em péssimas condições, onde bueiros abaixo do nível da pista, ondulações e remendos no asfalto são corriqueiros.

Esse tipo de piso pede a pilotagem de modelos de motocicletas adequados, como as on-off, também chamadas de "uso misto". São motos com rodas maiores que as demais, próprias para superar essas dificuldades. Entre elas, podemos citar as bem conhecidas Honda XR 300 E e Yamaha Lander 250. Elas vêm equipadas com aros de 21 polegadas na dianteira.

Com essa dimensão, o piloto consegue transpor os obstáculos com mais conforto e segurança. O conjunto pneus/rodas é capaz de superar a dificuldade, e o piloto consegue manter o controle da moto. O mesmo ocorre na hora de ultrapassar uma lombada ou subir numa guia. Nos modelos de uso misto, o longo curso de suspensão e a boa altura em relação ao solo são características essenciais. A desvantagem das rodas grandes é o maior efeito giroscópico, força que tende a manter a roda na posição vertical e dificulta a realização de curvas em altas velocidades.

Rodas de 18 polegadas não possuem a mesma capacidade para superar obstáculos, mas oferecem relativo conforto, permitem manobras mais eficientes e mantêm a estabilidade em curvas. São usadas na maioria dos modelos -- como a Honda CG 150, moto mais vendida do Brasil. Apesar de não ser adequada ao uso off-road, é comum encontrar essas motos trafegando em atoleiros, principalmente no Norte do país.

  • Cícero Lima/UOL

    Rodas menores, como essa de aro 17, tendem a ser "engolidas" pelos buracos nas vias

Há uma medida de roda cada vez mais comum nos lançamentos no Brasil: 17 polegadas. Essa roda equipa a Honda NC 700 e a Kawasaki Versys, que oferecem bom desempenho (superando 170 km/h) e têm propostas multiuso (podem ser usadas tanto na cidade como nas estradas). Devem ser boas de curvas, porém capazes de superar obstáculos como buracos ou desníveis de asfalto e até uma escapada para uma estrada de terra. Nesses modelos tão versáteis, a roda de aro 17 cumpre sua tarefa ao transmitir segurança nas curvas e enfrentar estradas ruins. Mas o piloto sente o impacto ao deparar-se com um buraco ou uma lombada.

GIROSCÓPICO
No mundo da velocidade, o tamanho da roda é ainda mais crítico, pois está ligado às forças que atuam sobre a motocicleta, entre elas o já citado efeito giroscópico. Em modelos esportivos, as rodas de 16 polegadas são necessárias para permitir a dirigibilidade da moto. Verdadeiros bólidos que se aproximam dos 300 km/h usam rodas que, nessa velocidade, possibilitam a mudança de trajetória e o contorno de curvas com incrível precisão. Claro que, além do tamanho das rodas, existem suspensão, quadro, distribuição de peso e outros fatores que colaboram para essa eficiência.

Quando o assunto são rodas pequenas, lembramos imediatamente dos scooters, que usam, em sua maioria, unidades de 12 polegadas. São veículos ágeis e fáceis de pilotar, porém sofrem com pisos em más condições. Para vencer essa adversidade, alguns modelos são equipados com rodas maiores, como o Dafra Citycom 300i (16 polegadas) e o Honda PCX (14 polegadas).

Rodas menores facilitam as manobras, mas são indicadas apenas para pisos em boas condições; rodas maiores exigem mais esforço nas manobras, mas estão prontas para encarar qualquer tipo de rua ou estrada. No entanto, embora mais indicadas para as condições brasileiras, as motos de uso misto perdem feio em número de vendas. Nos primeiros cinco meses de 2013 foram vendidas  20.604 unidades da street Honda CB 300R (com roda de 17 polegadas), contra 13.477 da XRE 300, equipada com roda de 21 polegadas e mais indicada para as nossas ruas e estradas.

Cícero Lima, especialista em motocicletas, limita-se a falar delas.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos