Yamaha Factor 2014 perde equipamentos para ficar mais barata

Roberto Brandão Filho

Da Infomoto

O mercado de motos está em declínio no Brasil. Segundo a Abraciclo (Associação dos Fabricantes de Motocicletas), as vendas no acumulado de 2013 tiveram queda de 11% se comparadas às do mesmo período do ano passado.

Pensando em trazer uma opção mais em conta para quem está entrando no mundo das duas rodas (e também para motivar o consumidor e fortalecer o setor), a Yamaha traz de volta ao mercado a versão básica da Factor, a K1. A moto custa R$ 5.390 (R$ 500 a menos que a anterior) e chega sem cavalete central e marcador de combustível.

COMO É A K1
A Yamaha não arriscou e, tirando o nome, a moto sofreu apenas pequenas alterações estéticas. O motor manteve a mesma capacidade cúbica e não recebeu injeção eletrônica, ou seja, sua alimentação ainda é feita por carburador -- tudo para beneficiar o bolso do consumidor, segundo a companhia.

A primeira coisa que se nota na K1 é a tampa lateral, que ganhou a inscrição "Yamaha" (o nome "Factor" foi para as aletas do tanque de combustível e a sigla "YBR" sumiu).

A parte traseira ficou com design mais esguio e o para-lamas dianteiro recebeu novo desenho, ficando mais longo e protegendo uma área maior do pneu. O painel de instrumentos também foi renovado e usa mostrador com fundo branco.

O sistema de escapamento foi reformulado. Mais estreito, ele utiliza novo protetor térmico com cortes maiores (para melhor dissipação do calor). Esta é a terceira vez que a moto passa  por atualizações desde seu lançamento, em 2000.

A K1 ainda traz partida a pedal e freios a tambor. Para ter redução de preço, a moto também perdeu outros itens: cavalete central (item presente na geração anterior) e marcador de combustível. Segundo uma gerente de uma concessionária Yamaha, a aceitação do consumidor tem sido boa, pois o público procura pelo produto com preço baixo e melhor custo-benefício. Segundo ela, os R$ 500 de diferença vão para os gastos com emplacamento e regularização, que se torna bom argumento de venda.

  • Doni Castilho/Infomoto

    Bastante econômica, a Yamaha Factor K1 teve consumo médio de 31,3 km/l durante o teste

TREM-DE-FORÇA
Equipada com motor monocilíndrico de 124 cm³ com comando único no cabeçote (SOHC), arrefecimento a ar e alimentação por carburador, a Factor gera 10,2 cv e 1 kgfm de torque. Os números, apesar de baixos, são suficientes para empurrar os 117 kg da moto, mesmo em aclives mais íngremes. Claro que o motor pede primeira marcha, mas assim que engatada, a moto encara qualquer subida.

O modelo também se mostrou econômico. Depois de mais de 200 km rodados, sendo metade deles em rodovias, o consumo médio foi de 31,3 km/l. Portanto, seu tanque de 13 litros tem uma autonomia de cerca de 400 quilômetros.

A Factor K1 vem equipada com freios a tambor na dianteira e na traseira, de 130 mm de diâmetro. Assim, desde a produção até a manutenção, o custo fica mais baixo, tanto para fabricante quanto para usuário. Mesmo assim, eles oferecem bom poder de frenagem. Os momentos mais críticos são em situações de emergência e com o solo molhado: o motociclista sente falta dos freios a disco.

Com características simples, a K1 oferece garfo telescópico dianteiro com um curso de 120 mm e balança com duplo amortecedor traseiro. Apesar de espartanas, as suspensões são capazes de absorver a maioria dos impactos causados pelas vias ruins de todo o Brasil. Seu chassi, do tipo Diamond em aço, oferece boa rigidez e garante ótima maneabilidade.

Yamaha Factor K1 2014
+ Motor: Monocilíndrico, 124 cm³, 2V, SOHC, refrigeração a ar.
+ Potência: 10,2 cv a 7.800 rpm.
+ Torque: 1 kgfm a 6.000 rpm.
+ Câmbio: Cinco marchas.
+ Alimentação: Carburador.
+ Dimensões: 1.950 mm x 745 mm x 1.060 mm (CxLxA).
+ Peso: 117 kg em ordem de marcha.
+ Tanque: 13 litros.
+ Preço: R$ 5.390

BOM PARA O BOLSO
Pensando em atrair ainda mais consumidores, a Yamaha anunciou um plano de manutenção com preço fixo para a nova Factor. Segundo a fabricante, as sete primeiras revisões, de 1.000, 3.000, 6.000, 9.000, 12.000, 15.000 e 18.000 quilômetros, terão preços entre R$ 21 e R$ 157.

Em 2012, a moto foi a sexta motocicleta mais vendida do Brasil, emplacando 82.194 unidades. A chegada da versão K1 por um preço mais em conta e este plano de revisões fixas podem ser fatores decisivos para que a Factor  abocanhe ainda mais fatias do mercado. A Factor K1 está disponível em preto ou vermelho com preto.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos