Yamaha faz apresentação tímida e mostra conceito de motor tricilíndrico

Arthur Caldeira

Da Infomoto, em Colônia (Alemanha)

A Yamaha realizou sua coletiva de imprensa no Salão de Colônia 2012 sem grandes lançamentos. Andrew Smith, vice-presidente comercial da marca para a Europa, apresentou sem muita empolgação uma nova versão do scooter Aerox R, no mercado há mais de 20 anos, e a opção de cores Race-Blu, o azul de competição, para as esportivas da marca: YZF R1, YZF R6 e YZF R125.

Outro mestre de cerimônias ainda se esforçou para animar o público com a renovada família XJ6, à venda no também no Brasil, que ganhou mudanças apenas visuais, e a naked FZ8, com melhorias no escapamento e suspensões.

A sport-touring FJR 1300, embora não possa ser considerada "novidade", recebeu melhorias suficientes para assumir o papel de principal estrela da marca no evento. Além das óbvias atualizações estéticas, o modelo ganhou acelerador eletrônico, seletor do modo de pilotagem (sport e touring), controlador automático de velocidade e controle de tração. Tudo para se manter atualizada em relação às concorrentes, que já trazem essas tecnologias. Disponível em duas versões -- A e AS (a segunda, automática e sem embreagem) --, a moto também ganhou melhorias no câmbio.

Veja mais fotos da apresentação da Yamaha em Colônia 2012
Veja Álbum de fotos

JUSTIFICATIVA
A falta de novidades era tanta que foi preciso que Kunihiko Miwa, um dos chefões mundiais da Yamaha, viesse do Japão explicar a notável timidez da marca nos últimos anos. "Vocês podem achar que não estamos desenvolvendo novos modelos e que esquecemos a Europa, mas não é assim", iniciou seu discurso. Talvez a marca precise também dar suas justificativas no Brasil, onde mantém a mesma atitude tímida, sem grandes lançamentos há algum tempo.

CONCEITO
A fabricante ainda apelou para a presença do espanhol Jorge Lorenzo, piloto da marca que lidera o Campeonato Mundial de MotoGP, para tentar atrair a atenção da imprensa. Lorenzo foi chamado para mostrar o futuro da fábrica japonesa: "Estamos aqui para mostrar o que estamos fazendo e para onde estamos indo", continuou Miwa ao revelar o conceito de um motor de três cilindros com o virabrequim crossplane -- o mesmo tipo de motor que equipa a R1.

Caracterizado por proporcionar maior controle do torque no acelerador, o virabrequim crossplane também é utilizado na moto de corrida da marca, a M1. O executivo afirmou que o motor de três cilindros irá equipar uma nova família de modelos da Yamaha, focada em economia de combustível e facilidade de pilotagem. É esperar pra ver.

GAFE
Além da ausência de grandes novidades, a Yamaha ainda cometeu grande gafe. Quase todos os pilotos que levavam os lançamentos ao palco não usavam capacetes -- uma atitude injustificável para uma fábrica de motocicletas. Ao menos Jorge Lorenzo "salvou" a imagem, ao chegar pilotando a naked Fz8 com o equipamento. 

UOL Cursos Online

Todos os cursos