Honda NC 700X e Kawasaki Versys 650 são comparadas para você decidir qual é a melhor 'aventureira do asfalto'

Arthur Caldeira
Aldo Tizzani

Da Infomoto

  • Doni Castilho/Infomoto

    Honda NC 700X e Kawasaki Versys 650: um duelo para saber qual das "estradeiras da cidade" é a melhor

    Honda NC 700X e Kawasaki Versys 650: um duelo para saber qual das "estradeiras da cidade" é a melhor

  • http://img.uol.com.br/ico_verfotos.gif ÁLBUM DE FOTOS
  • MAIS MOTOS

A nova Honda NC 700X e a já conhecida Kawasaki Versys 650 têm muitas semelhanças: ambas têm motores de dois cilindros paralelos, suspensões de longo curso e visual aventureiro. Porém, as duas gostam muito mais de asfalto do que de terra, como evidenciam suas rodas dianteiras de 17 polegadas calçadas com pneus esportivos sem câmara.

Até mesmo seus preços são bastante próximos: giram em torno de R$ 30 mil. Mas antes de escolher entre as duas, o consumidor deve conhecê-las bem, pois apesar das semelhanças técnicas, na prática, os dois modelos são totalmente diferentes.

NC 700X
A Honda NC 700X é a mais "desconhecida". Recém-lançado, o modelo faz parte de uma nova geração de motocicletas da marca que compartilha a mesma base mecânica. Ainda única integrante da família NC -- de New Concept (novo conceito, em inglês) -- disponível no Brasil, a versão X conta com um motor que é praticamente metade do propulsor de dois cilindros do Honda Fit.

Com coletores de admissão e escape fundidos no mesmo bloco dos cilindros, o propulsor se caracteriza pela economia de combustível conseguida por meio de muito torque em baixos giros e potência comedida, como mostram os números de desempenho divulgados pela Honda. A moto produz 52,5 cv a 6.250 rpm e 6,3 kgfm de torque a 4.750 rpm.

As primeiras marchas do câmbio de seis velocidades são bem curtas e o motor corta os giros já a 6.500 rpm. Leva certo tempo até se acostumar com seu estilo de pilotagem, mas na cidade a NC roda com muita suavidade e o bicilíndrico quase não vibra, garantindo conforto para o uso urbano.

Com um banco largo e baixo (a apenas 831 mm do solo), a motocicleta permite apoiar bem os dois pés no chão e ainda conta com um pequeno para brisa que ajuda a desviar o vento. Na cidade, o porta-capacete instalado no lugar do tanque completa a praticidade. Tem capacidade para levar uma pequena mochila e, na hora de estacionar, comporta luvas e um capacete integral.

Apesar do visual aventureiro, a NC 700X se sai bem mesmo no uso urbano. Trata-se de uma moto racional: seu motor não desperta grandes emoções e nem altos giros, mas é econômico e seu comportamento, bastante dócil. Assim como o conjunto ciclístico de concepção simples, oferece estabilidade e bom controle, e seus freios a disco nas duas rodas proporcionam frenagens com segurança, ainda mais na versão com sistema combinado e ABS (C-ABS). Veja, abaixo, a ficha técnica completa:

Honda NC 700X C-ABS
+ Motor: dois cilindros em linha, 669,3 cm³, SOHC, refrigeração líquida.
+ Potência: 52,5 cv a 6.250 rpm.
+ Torque: 6.4 kgfm a 4.750 rpm.
+ Câmbio: seis marchas com transmissão por corrente.
+ Alimentação: injeção eletrônica.
+ Dimensões: 2.209 mm x 831mm x 1.284 mm (CxLxA).
+ Peso: 206 kg.
+ Tanque: 14,1 litros.
+ Preço: R$ 29.990.

Veja as fotos do duelo entre as 'aventureiras urbanas'
Veja Álbum de fotos

VERSYS
A Kawasaki Versys também nasceu com uma proposta multiuso. Traz no nome sua versatilidade, mas também com rodas de liga leve e pneus esportivos, ela gosta mais do asfalto do que da terra. E, nesse aspecto, tem proposta mais "esportiva" que a da Honda.

Seu motor é o mesmo da naked ER-6n e da Ninja 650. Os dois cilindros paralelos com 649 cm³ de capacidade (não muito menos do que os 669,3 cm³ da NC) tem quatro válvulas por cilindro e duplo comando no cabeçote (DOHC), enquanto a NC 700X conta com comando simples. Ambos são alimentados por injeção eletrônica e contam com refrigeração líquida.

De projeto mais "esportivo", é também mais potente e gira mais: produz 64 cv a 8.000 rpm e 6,2 kgfm de torque a 6.800 rpm. Números bem mais generosos do que os da Honda e um comportamento mais "brusco". O motor tem um caráter divertido nas acelerações de 0 a 100 km/h. Os giros e a velocidade sobem rapidamente e garantem uma pilotagem mais prazerosa do que na NC 700X. Mas cobra o preço no consumo: rodamos em média 19 km/litro. Nessa situação surge o grande trunfo da NC, que supera os 26 km/l.

A Versys oferece mais ao motociclista também na ciclística. Na dianteira, ela conta com garfo telescópico invertido com ajustes e 150 mm de curso -- na Honda o garfo é convencional e sem ajustes. Já na traseira, a Versys tem balança assimétrica e conta com um amortecedor posicionado na lateral direita da moto que tem 145 mm de curso. Especificações suficientes para enfrentar os obstáculos do dia a dia, como valetas, lombadas e buracos. Mas, assim como na NC 700X, não são completamente adequadas para uma estrada de terra com muitas imperfeições. No máximo, aquela estradinha de terra (bem) batida até a chácara no final de semana.

Os dois discos dianteiros em forma de pétala têm 300 mm de diâmetro e pinças de duplo pistão. Na traseira, a Versys carrega disco simples de 220 mm de diâmetro mordido por uma pinça simples. Também oferece a versão com sistema ABS -- apesar das especificações serem tecnicamente melhores do que a Honda, na prática o funcionamento de ambos é bastante semelhante.

Mais potente do que a NC 700X, a Versys é feita para pilotos mais experientes e que buscam mais desempenho. No uso urbano, a moto da Kawasaki também se mostrou ágil e divertida de pilotar, porém mais "beberrona". Não conta com a praticidade do porta-capacete no dia a dia, mas em compensação sua bolha pode ser ajustada em três posições diferentes (para viagens) com o auxílio de uma chave Allen -- possibilidade inexistente na NC 700X. A seguir, a ficha da Versys:

Kawasaki Versys 650 ABS
+ Motor: dois cilindros paralelos, 649 cm³, quatro válvulas por cilindro, DOHC, refrigeração líquida.
+ Potência: 64 cv a 8.000 rpm.
+ Torque: 6,2 kgfm a 6.800 rpm
+ Câmbio: seis marchas com transmissão por corrente.
+ Alimentação: injeção eletrônica.
+ Dimensões: 2.125 mm x 840 mm x 1.330 mm (CxLxA).
+ Peso: 209 kg.
+ Tanque: 19 litros.
+ Preço: R$ 30.990.

NA ESTRADA
Levamos as motos para uma viagem até o litoral norte com a intenção de conferir a diferença de comportamento e consumo. Nosso roteiro, com destino a Caraguatatuba (SP), se iniciou nas rodovias Carvalho Pinto e Ayrton Senna, que oferecem ótimo asfalto e longas retas.

Nesse trecho a diferença de comportamento entre as motos se tornou ainda mais perceptível. Enquanto o piloto da NC desfrutou da linearidade do motor que entrega potência quase sem vibração nos pedais, punhos e retrovisores; na Kawasaki foi possível sentir a vibração da pista, porém nada que incomode -- a impressão é que o motor pede mais velocidade a cada troca de marchas.

Nesse tipo de estrada a Kawasaki literalmente "despacha" a NC: sua aceleração, retomada e velocidade final são mais rápidas e despertam no piloto a vontade de rodar esportivamente. Já a NC mostrou ser uma moto mais racional, que pede por uma tocada mais regular, embora consiga manter tranquilamente a velocidade máxima permitida pela pista, de 120 km/h.

  • A Kawasaki Versys mostrou mais afinidade com cruvas, enquanto a NC 700X foi mais racional

CURVAS
Ao chegar na Rodovia dos Tamoios as motos mostraram mais um vez uma incrível diferença. Enquanto a Versys permitia atacar as curvas com maior esportividade -- graças a sua suspensão -- a NC superava os obstáculos com respostas eficientes do conjunto quadro/suspensão.

Resumindo: a Versys instigava a deitar nas curvas e encher o motor nas retomadas, enquanto a NC pedia uma tocada mais suave entrando na curva com o motor cheio e contornando-a forma linear, sem sustos, com eficiência mas sem emoção -- apesar disso, quando usada de uma forma mais esportiva, a NC deu contado do recado e acompanhou a Kawasaki sem problemas.

Por conta da menor vibração, a Honda NC também foi melhor no quesito conforto e em espaço para bagagens -- este, de fato, é um ótimo argumento a favor dessa Honda.

CONSUMO
No posto de gasolina encontramos mais diferenças entre os modelos, já que a Versys cobra em consumo sua esportividade, pois fez a média de 22 km/litro contra os 31 km/lda NC 700X. No momento de abastecer, o piloto da NC tem que obrigatoriamente cumprir o ritual de descer da moto e levantar o banco do garupa para abrir o bocal do tanque de combustível.

Na Versys, basta abrir o bocal (padrão aeronáutico) e abastecer de forma muito mais simples. Como são estradeiras, a autonomia pode ser um fator de decisão na compra -- com 14 litros de capacidade no tanque, a NC 700X pode percorrer mais de 430 quilômetros, enquanto a Versys percorreria 418 km com seu tanque de 19 litros.

Enquanto abastecíamos, tiramos algumas conclusões visuais: com seu escape lateral, a NC lembra modelos como as primeiras Hornet e mesmo as Suzuki Bandit. Já a Versys esbanja soluções ousadas em relação a ponteira do escape, suspensões e farol. Visualmente, falta ousadia na moto da Honda.

CONCLUSÃO
Antes de decidir qual moto escolher, cabe ao comprador perguntar a si mesmo que tipo de piloto ele é. Se for tranquilo na tocada, gostar de passeios e der valor a praticidade e economia de combustível, a Honda NC 700X será satisfatória. Se tiver espírito esportivo, curtir o motor subindo de giro e adorar contornar curvas com pegada mais forte, a Kawasaki  é a sua opção. No geral, a Versys se mostrou a melhor escolha.

UOL Cursos Online

Todos os cursos