Kasinski Prima 150 tem design italiano e alma chinesa

Da Infomoto

  • Mario Villaescusa/Infomoto

    Novo scooter chega ao mercado com motor Piaggio Zongshen de 12,2 cavalos e preço competitivo: R$ 5.990,00

    Novo scooter chega ao mercado com motor Piaggio Zongshen de 12,2 cavalos e preço competitivo: R$ 5.990,00

Para não ficar de fora da guerra pela mobilidade, a Kasinski lançou o Prima 150 com três anos de garantia e preço sugerido de R$ 5.990,00. A empresa, que hoje pertence ao grupo chinês CR Zongshen, já havia apresentado o Prima 150 no Salão das Duas Rodas de 2009, entretanto lançou o modelo oficialmente nesta quarta-feira (20), na cidade de Embu (SP).

"Tivemos que fazer alguns ajustes antes de lançar o Prima 150 no mercado brasileiro", justifica o presidente Cláudio Rosa a demora de quase dois anos para o lançamento. O nome Prima pode soar familiar, pois a marca já possui o Prima Electra, seu scooter elétrico. A Kasinski espera vender para o atacado 1.000 unidades por mês do seu novo modelo. Meta ambiciosa, já que o líder do segmento, o Honda Lead, emplacou em média 1.721 unidades por mês no primeiro trimestre deste ano.

Para atingir as metas, a Kasinski equipou o Prima 150 com o propulsor mais potente da categoria: são 12,2 cavalos de potência máxima a 8.000 rpm. A marca ainda se gaba de ter o motor PZ (Piaggio Zongshen), como foi chamado pelo presidente, no coração do Prima. O design também lembra os scooters italianos, principalmente na cor vinho, mas o acabamento ainda deixa a desejar.

MOTORIZAÇÃO
O espaço escolhido para o teste era generoso, embora acontecesse dentro de um hotel em Embu. As duas rodas de 13 polegadas diferenciam o Prima 150 dos seus concorrentes e devem ajudar no trânsito caótico e esburacado dos grandes centros urbanos, seu habitat natural.

Motor monocilíndrico de 150 cm³, com arrefecimento a ar e potência de 12,2 cv é suficiente, apesar de ser alimentado pelo já ultrapassado carburador. Em uma subida mediana, o scooter da Kasinski chegou a ganhar velocidade durante a aceleração. Destaque para o torque de 1,1 kgfm a 7.000 rpm.

Com transmissão automática do tipo CVT, o Prima 150 começa a ganhar força a partir dos 5.000 giros e nos 8.000 rpm já está estável. Ponto negativo para a partida elétrica. Demora a pegar e faz um barulho que não combina com a motorização Piaggio.

FICHA TÉCNICA: Kasinski Prima 150

Motor: Quatro tempos, monocilindro, 150 cm³, duas válvulas, OHC, refrigerado a ar.
Potência máxima: 12,2 cv a 8.000 rpm.
Torque máximo: 1,1 kgfm a 7.000 rpm.
Câmbio: CVT.
Suspensão: Dianteira telescópica. Traseira por balança bi-choque ajustável.
Freios: Dianteiro a disco. Traseiro a tambor.
Pneus: 130/60 R13 (dianteiro)/ 130/60 R13 (traseiro).
Dimensões: 2.033 mm (comprimento); 1.140 mm (altura); 670 mm (largura); 1.335 mm (entre-eixos); 140 mm (distância do solo).
Capacidade do tanque: 8 litros.
Peso: 106 kg em ordem de marcha.

PRATICIDADE
Já o tanque de combustível recebeu uma atenção especial. Com oito litros de capacidade, o bocal do tanque fica ao lado esquerdo da ignição. Basta girar a chave para que a tampa se abra, facilitando a vida do motociclista na hora de abastecer.

A chave também serve para abrir o banco e ter acesso a um generoso espaço de carga. Como o tanque de combustível foi para a parte frontal do Prima 150, o espaço sob o banco comporta um capacete fechado e ainda sobra lugar para outros objetos. Há ainda um porta-treco sem tampa no escudo frontal do Prima. As pedaleiras do garupa são retráteis e combinam com o design do modelo. O bagageiro de série segue as linhas do Prima e está preparado para a instalação de um baú. O painel é completo e bem desenhado. Traz velocímetro, hodômetro, conta-giros e marcador de combustível.

CICLÍSTICA
A ciclística se mostrou bem acertada. Garfo telescópico na dianteira e sistema bichoque ajustável na traseira atendem aos anseios do modelo. Ao longo do teste, se mostraram macios e absorveram as imperfeições do trajeto. Sempre lembrando que se trata de um scooter, portanto em ruas mais esburacadas ou em pisos mais irregulares o Prima 150 não se sente à vontade.

Os freios não agradaram. A ficha técnica informa: disco simples na frente e tambor atrás. Apesar de estarem de acordo com a proposta e peso (106 kg a seco) do Prima 150, os freios da unidade avaliada estavam "borrachudos", ou seja demoravam a atuar e não paravam com eficiência o scooter.

NA DISPUTA
Com o Prima 150 a Kasinski entra na disputa do segmento de scooters. A garantia de três anos, o motor de 12,2 cv e o design italiano o credenciam para brigar com seus principais concorrentes. São eles: Lead 110 (R$ 6.062,00), Dafra Smart 125 (R$ 5.490,00) e Burgman i (R$ 5.990.00). Nas cores Preto/Caramelo, Bordeaux/Caramelo e a versão GTS, na cor amarela com detalhes em prata, o novo Prima 150 já está disponível nas 400 concessionárias Kasinski existentes no Brasil. (por André Jordão)



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos